Síndrome da tensão temporomandibular

18 Outubro, 2020
A síndrome da tensão temporomandibular pode causar dor aguda crônica, limitação da abertura da boca e desconforto em órgãos próximos. Como tratá-la? Descubra a seguir.

A síndrome da tensão temporomandibular se caracteriza por dores e uma alteração na função da articulação.

Também é chamada de disfunção da articulação temporomandibular e corresponde a um grupo de condições da articulação dessa região. Pode ter um impacto significativo na qualidade de vida do paciente. Do que se trata? Como tratá-la? Descubra tudo que você precisa saber a seguir.

Qual é a articulação temporomandibular?

É a articulação que conecta a mandíbula ao crânio na região temporal. Está localizada em ambos os lados da cabeça, logo na frente dos ouvidos. Sua função é permitir a abertura e o fechamento da boca. Isso é possível graças aos chamados músculos da mastigação.

Essa articulação é utilizada quando estamos conversando, comendo, bocejando ou rindo, por isso é fácil notar que a usamos constantemente. Por esse motivo, não é difícil observar disfunções articulares em adultos. Esse problema ocorre inclusive em crianças, principalmente a partir dos 10 anos de idade.

Homem com dor na mandíbula
A articulação temporomandibular permite a abertura e o fechamento da boca.

O que é a síndrome da tensão temporomandibular?

Como mencionamos antes, é um grupo de afecções e geralmente é classificada, de acordo com a origem do problema, em muscular ou articular. Na verdade, muitas vezes, tanto a articulação quanto os músculos da mastigação são afetados.

Pode ser unilateral ou bilateral. É mais comum em mulheres. Além disso, a idade de apresentação mais frequente é entre 20 e 44 anos (aproximadamente), embora possa ocorrer em qualquer idade.

É caracterizada pela presença de:

  • Dor aguda ou crônica relacionada ao movimento da mandíbula, geralmente na área ao redor dos ouvidos.
  • Estalo da articulação durante a abertura e fechamento da boca.
  • Limitação na abertura da boca, e a mandíbula pode chegar a travar.
  • Dor de cabeça e pescoço.
  • Dor de ouvido.
  • Zumbidos.
  • Diminuição da acuidade auditiva.

Leia também: Glândulas submandibulares: para que servem?

Quais são as causas possíveis?

As possíveis causas são muito variadas. Na verdade, em muitas ocasiões, mais de uma pode estar presente. Aqui estão algumas das mais comuns:

  • Má oclusão dentária.
  • Hábito de apertar a mandíbula.
  • Bruxismo.
  • Hábito de morder o lápis.
  • Mascar chiclete.
  • Estresse e ansiedade.
  • Maior sensibilidade à dor.
  • Artrite reumatoide.
  • Infecção articular
  • Luxação da articulação.
  • Neoplasias.
  • Doenças degenerativas das articulações.
  • Trauma na região articular.
  • Deslocamento do disco articular.

Geralmente, para fazer o diagnóstico, basta que o especialista trace um histórico da dor e faça um exame físico da região, inclusive do pescoço.

Às vezes, um estudo de imagem é solicitado, como um raio-X, tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Caso o médico considere necessário, ele fará exames de sangue para obter um diagnóstico diferencial.

Consulta com odontologista
O bruxismo, doenças articulares degenerativas e traumas são algumas das principais causas da síndrome da tensão temporomandibular.

Como melhorar a síndrome da tensão temporomandibular?

Em muitas ocasiões, as causas dessa síndrome coexistem e a solução para o problema pode exigir a participação de uma equipe interdisciplinar. Às vezes, pode ser uma situação temporária, que pode até melhorar sem nenhum tratamento específico.

No entanto, em outras ocasiões, serão necessárias medidas de tratamento que podem melhorar a dor e a função articular deficiente. Existem ações que podem ser realizadas pelos pacientes para reduzir ou controlar essa síndrome. Vamos chamá-las de medidas conservadoras:

  • Evitar morder qualquer elemento não comestível (lápis, canetas, unhas, etc.).
  • Manter a mandíbula ligeiramente aberta, relaxada, para evitar que fique constantemente apertada e tensa.
  • Ter muito cuidado ou até mesmo evitar certos instrumentos musicais que podem forçar a boca, mandíbula ou pescoço.
  • Aplicar técnicas de relaxamento muscular.
  • Aplicar compressas quentes ou frias na área dolorida.
  • Melhorar a higiene do sono.
  • Fazer massagem muscular.
  • Comer alimentos macios.
  • Evitar movimentos amplos da mandíbula.

Essas medidas serão muito úteis, sempre sob a supervisão do especialista. Às vezes, além dessas indicações, o médico também prescreve analgésicos e fisioterapia.

Existem talas oclusais removíveis que, em alguns casos, podem ser úteis. Por outro lado, em pacientes em que a articulação está gravemente comprometida e as medidas conservadoras não são suficientes, será necessária uma cirurgia.

Saiba mais lendo: 5 remédios caseiros para aliviar a dor na mandíbula

O prognóstico pode variar dependendo da causa

Felizmente, na maioria dos casos, esse tipo de patologia responde bem às medidas conservadoras. Portanto, há um bom prognóstico. Porém, é conveniente deixar claro que a síndrome da tensão temporomandibular pode tem origem em uma neoplasia, doenças articulares degenerativas, etc. Portanto, o prognóstico e a evolução da doença podem variar.

Diante do exposto, os sintomas podem melhorar ou piorar dependendo da evolução do problema que originou a doença. Por esse motivo, é essencial fazer um bom diagnóstico médico e iniciar o tratamento de acordo com as indicações do profissional.

  • Rios, J. (Feb 22, 2017). Temporomandibular Disorders. Medscape. Retrieved on May 11, 2020 from https://emedicine.medscape.com/article/1143410-overview
  • Mehta, N, R. (n.d.). Retrieved on May 11, 2020 from. Evidence-based Clinical Decision Support – UpToDate. Retrieved on May 11, 2020 from https://www.uptodate.com/contents/temporomandibular-disorders-in-adults?search=temporomandibular%20joint%20syndrome&source=search_result&selectedTitle=1~94&usage_type=default&display_rank=1
  • Kasper y col., Principios de medicina interna de Harrison, ed. Mac Graw Hill. Ed. 19.