Quais são os sintomas de um infarto?

18 de março de 2019
Os sintomas de infarto variam dependendo do sexo, principalmente se existirem antecedentes ou fatores de risco. Tanto para homens quanto para mulheres, é fundamental ter hábitos saudáveis e manter uma dieta equilibrada.

Segundo dados da Organização Mundial da saúde, o infarto ou ataque cardíaco é responsável por 25 milhões de mortes anualmente. No mundo todo, esse número representa representa 45%, ou quase a metade das mortes.

Este dado configura o infarto como algo um tanto quanto perigoso, visto que constitui a primeira causa de óbito no mundo.

Por isso, é necessário prestar atenção aos sinais de infarto para preveni-lo e se preparar caso chegue a ocorrer. A boa notícia é que é bastante simples manter esta ameaça na linha.

Veja o que pode ser feito para manter o coração saudável e como reconhecer os sintomas de um infarto.

O que é o infarto?

O infarto do miocárdio é um bloqueio do fluxo de sangue ao coração, que ocorre pela obstrução total de um vaso sanguíneo ou de uma artéria coronária.

Isto impede que o sangue chegue a uma seção do coração, causando a morte do músculo cardíaco. A interrupção do fluxo sanguíneo ocorre por uma acumulação de gordura chamada “placa”, que se forma nas paredes da artéria coronária, por coágulo ou por espasmos coronários.

O segredo está no estilo de vida

A forma realmente efetiva de prevenir o infarto é adotando ou modificando um conjunto de hábitos em distintas áreas da vida, direcionando-os ao cuidado das necessidades nutricionais, físicas, emocionais e espirituais.

  • A dieta é fundamental e o coração agradecerá se consumir vegetais e frutas regularmente, especialmente alimentos como nozes, amêndoas, alho, cebola, gengibre, chocolate preto e uma a duas taças de vinho por dia.
    • É igualmente necessário reduzir ao máximo o consumo de farinhas, carboidratos e açúcar. Os peixes gordurosos como o salmão, a sardinha e o atum também beneficiam o coração.
  • Exercícios físicos realizados regularmente têm um poderoso efeito protetor contra o infarto. Qualquer atividade que aumente o ritmo cardíaco por pelo menos 20 minutos, três vezes ao dia, é benéfica. Como, por exemplo, caminhar, praticar jardinagem ou dançar.
  • A saúde e o equilíbrio emocional também são fundamentais. Por isso, deve-se tomar algumas medidas, como fomentar uma rede de relações saudáveis, desenvolver uma autoestima equilibrada, além de conscientizar, aceitar e expressar as emoções sem julgá-las e sem prejudicar as demais pessoas.
  • Desenvolver a espiritualidade para se conectar no transcendental é outro recurso valioso, visto que já foi mostrado que práticas como a meditação, a oração e, inclusive, a yoga têm uma alta taxa de sucesso em trabalhos preventivos e paliativos.
  • A atividade sexual saudável e regular, dentro de uma relação monogâmica e bem encaminhada, também reduz o risco de infarto, já que é um exercício físico e reduz o estresse ao estreitar os vínculos afetivos do casal.
  • Acabar com o hábito de fumar é outro grande aliado contra o infarto.
um infarto

Como reconhecer os sintomas?

O ataque cardíaco se manifesta geralmente com uma dor súbita e intensa no peito, muito semelhante a uma sensação de pressão sobre o peito, com uma duração superior a cinco minutos.

Leia também: Quais são os sintomas de um pré-infarto?

A dor pode ser irradiada para o braço, o ombro, a mandíbula, o pescoço ou as costas. Outros sintomas podem ser enjoo, suor frio, falta de ar, confusão, sudoração excessiva, desvanecimento, náuseas ou mal-estar semelhante à indigestão.

Nas mulheres, os sintomas podem ser diferentes, tais como ardor na região superior do abdômen, enjoo, sudoração e mal-estar estomacal. É possível também que as mulheres não sintam a dor clássica na metade esquerda do peito.

Por isso, é importante muita atenção, pois nestes casos, o ataque cardíaco pode passar despercebido e culminar em morte.

Dessa forma, como os sintomas variam para ambos os sexos, diante da dúvida e principalmente se existir antecedentes ou fatores de risco, procure imediatamente um médico. Mas nunca saia dirigindo, já que é totalmente perigoso fazê-lo durante um infarto.

A melhor parte de manter o coração saudável é que isso requer que nos amemos e cuidemos de nós mesmos por meio de um estilo de vida que é fonte segura do bem-estar.

  • McDonald, W. (1996). Heart Attack. JAMA: The Journal of the American Medical Association. https://doi.org/10.1001/jama.1996.03530300015013

  • Singh, R. B., Kartik, C., Otsuka, K., Pella, D., & Pella, J. (2002). Brain-heart connection and the risk of heart attack. Biomed Pharmacother. https://doi.org/WOS:000180216900004