Salsaparrilha: benefícios, riscos e efeitos colaterais

16 Agosto, 2020
A salsaparrilha é uma planta conhecida por suas várias aplicações medicinais. No entanto, assim como outros remédios à base de plantas, não deixa de ter seus efeitos colaterais. Descubra tudo sobre ela a seguir.
 

A salsaparrilha é uma planta conhecida pelos seus benefícios para a saúde. É uma videira do gênero Smilax que pode crescer até 15 metros. Existem espécies diferentes, mas as mais utilizadas na fitoterapia são as americanas, que incluem smilax ornata, smilax officinalis, smilax medica, smilax siphilitica, entre outras.

Conforme detalhado em uma publicação na revista Pharmacological Research, seus extratos apresentam atividade anti-inflamatória e imunomoduladora. Embora seus efeitos ainda estejam sendo investigados, atualmente ela é utilizada na fabricação de suplementos. Você conhece os seus benefícios?

Salsaparrilha: benefícios para a saúde

As pesquisas sobre a salsaparrilha estão em andamento. No entanto, de acordo com algumas publicações, como a Farmacopeia dos Estados Unidos, muitos dos benefícios atribuídos a ela são decorrentes da sua concentração de compostos químicos vegetais, como triterpenos, sarsaparilósido, parilina, smitilbina, compostos fenólicos, entre outros.

No entanto, é conveniente saber que os estudos sobre a salsaparrilha em humanos são antigos e não são suficientes para confirmar seus benefícios. De qualquer forma, seu uso moderado foi considerado seguro para a maioria dos adultos saudáveis.

O importante a ter em mente é que este não é um tratamento de primeira linha contra doenças e, portanto, ainda é necessário obter atendimento médico. Além disso, dada a falta de evidências sobre a sua segurança e eficácia, é melhor usá-la com cautela. Vamos ver em detalhes para que serve.

 

1. Psoríase

A raiz da salsaparrilha é usada como adjuvante no tratamento contra a psoríase há várias décadas. De fato, este é um dos poucos efeitos da planta com suporte em evidências, como observado em um estudo publicado na International Immunopharmacology.

Segundo a pesquisa, um dos esteroides contidos na planta, a zarzaponina, tem a capacidade de se ligar a endotoxinas que causam lesões em pacientes com esta doença de pele. Dessa forma, isso poderia ajudar a melhorar seus sintomas.

Salsaparrilha para tratar a psoríase
A raiz da salsaparrilha pode ser usada como adjuvante no tratamento da psoríase.

Talvez você possa se interessar: Psoríase em crianças: como abordá-la?

2. Artrite

Na estrutura da raiz da salsaparrilha, existe um composto flavonoide chamado asilbina. De acordo com um estudo publicado na Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, este composto vegetal mostrou potencial para reduzir a resposta inflamatória em animais com artrite induzida.

Embora não existam estudos para verificar esses efeitos em humanos, os resultados são promissores. Além disso, existem dados anedóticos que sugerem que o consumo desse suplemento, em pó ou triturado, pode ajudar a combater a inflamação das articulações.

 

3. Sífilis

A salsaparrilha parece ter benefícios contra algumas doenças sexualmente transmissíveis, como a sífilis. Embora não substitua o tratamento com antibióticos e outros medicamentos, é um adjuvante para inibir o crescimento de bactérias.

Em um artigo publicado na revista Molecules, esta planta teve atividade positiva contra seis tipos de bactérias e um fungo. Seus compostos fenólicos seriam responsáveis ​​por esse efeito. Como nos casos anteriores, são necessários mais estudos.

4. Saúde do fígado

Pesquisas publicadas no The Journal of Membrane Biology verificaram que esta planta tem efeitos protetores no fígado. Graças aos seus compostos flavonoides, seu consumo como um complemento pode ajudar a otimizar as funções deste órgão. Além disso, minimiza os efeitos negativos causados ​​pelos radicais livres.

Doenças do fígado
A salsaparrilha tem efeitos hepatoprotetores.

Não deixe de ler: Conheça algumas doenças do fígado

Riscos da salsaparrilha e seus efeitos colaterais

Apesar da falta de evidências, a salsaparrilha é conhecida pelos benefícios discutidos. No entanto, é conveniente saber que, em alguns casos, seu consumo traz riscos e efeitos colaterais. Em geral, a maioria dos adultos saudáveis ​​não apresenta problemas quando faz uso da planta de maneira moderada.

 

Apesar disso, recomenda-se cautela em caso de:

  • Mulheres grávidas ou que estejam amamentando.
  • Doenças crônicas – sempre consulte um médico.
  • Uso de drogas: embora não haja dados sobre interações medicamentosas, a possibilidade não é descartada. Portanto, quando houver suspeita, é melhor consultar um profissional.

Por enquanto, não foi estabelecida uma dose segura para ingerir a planta. Os suplementos podem conter entre 100 e 1.000 miligramas. É importante não exceder esta dosagem. Embora não haja informações sobre efeitos colaterais graves, sabe-se que, em excesso, ela pode causar irritação no estômago.

Finalmente, cabe destacar que a Food and Drug Administration dos Estados Unidos (FDA) não aprovou esse tipo de remédio devido à falta de evidências sobre a sua segurança e eficácia. Portanto, ele deve ser usado com moderação e apenas como um complemento.

 
  • Jiang, J., Wu, F., Lu, J., Lu, Z., & Xu, Q. (1997). Anti-inflammatory activity of the aqueous extract from Rhizoma smilacis glabrae. Pharmacological Research36(4), 309–314. https://doi.org/10.1006/phrs.1997.0234
  • Di, T. T., Ruan, Z. T., Zhao, J. X., Wang, Y., Liu, X., Wang, Y., & Li, P. (2016). Astilbin inhibits Th17 cell differentiation and ameliorates imiquimod-induced psoriasis-like skin lesions in BALB/c mice via Jak3/Stat3 signaling pathway. International Immunopharmacology32, 32–38. https://doi.org/10.1016/j.intimp.2015.12.035
  • Kim, J. H., Kismali, G., & Gupta, S. C. (2018). Natural Products for the Prevention and Treatment of Chronic Inflammatory Diseases: Integrating Traditional Medicine into Modern Chronic Diseases Care. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine. Hindawi Limited. https://doi.org/10.1155/2018/9837863
  • She T, Zhao C, Feng J, et al. Sarsaparilla (Smilax Glabra Rhizome) extract inhibits migration and invasion of cancer cells by suppressing TGF-β1 pathway. PLoS One. 2015;10(3):e0118287. Published 2015 Mar 5. doi:10.1371/journal.pone.0118287
  • Xu, S., Shang, M. Y., Liu, G. X., Xu, F., Wang, X., Shou, C. C., & Cai, S. Q. (2013). Chemical constituents from the rhizomes of Smilax glabra and their antimicrobial activity. Molecules18(5), 5265–5287. https://doi.org/10.3390/molecules18055265
  • Xia, D., Fan, Y., Zhang, P., Fu, Y., Ju, M., & Zhang, X. (2013). Protective effects of the flavonoid-rich fraction from rhizomes of smilax glabra roxb. on carbon tetrachloride-induced hepatotoxicity in rats. Journal of Membrane Biology246(6), 479–485. https://doi.org/10.1007/s00232-013-9560-9