Como fazer um kit de primeiros socorros para viagem

30 Junho, 2020
Em viagens, podemos sofrer tonturas, problemas digestivos, urticária e pequenos traumatismos. Um kit de primeiros socorros para viagem deve ser preparado para essas circunstâncias.

Um kit de primeiros socorros para viagem pode ser individualizado e adaptado às necessidades do viajante. Devemos levar em consideração o local para o qual vamos viajar, o tipo de transporte utilizado, a idade e o estado de saúde geral.

Não é a mesma coisa viajar para áreas rurais, tropicais ou urbanas. Dependendo do destino, você vai montar o seu kit de primeiros socorros para viagem de uma forma ou de outra. Você também deve considerar a duração da viagem e o tipo de mal-estar que costuma se sentir em seus deslocamentos.

O que levar em conta ao preparar um kit de primeiros socorros para viagem

Alguns dos problemas mais frequentes que aparecem ao viajar são:

  • Cinetose: enjoo de movimento
  • Picadas de insetos: com sua consequente urticária
  • Distúrbios digestivos
  • Traumas pequenos

Com base nesses problemas, que são os mais frequentes, devemos considerar a inclusão de elementos que cubram qualquer possível necessidade. Explicamos agora, em detalhes, o que é mais prático para cada caso.

Cinetose ou enjoo de movimento

A cinetose pode ocorrer em qualquer meio de transporte. No entanto, se você estiver viajando de avião, os sintomas podem ser exacerbados devido ao medo de voar. Os principais sintomas são náusea, vômito, hiperventilação, sudorese e sensação geral de tontura.

No kit para viagem, você deve incluir medicamentos para evitar tonturas, como dimenidrinato – sozinho ou associado à cafeína – e meclozina. A meclozina tem um efeito duradouro com uma dose única por dia, portanto, é indicada para viagens longas.

O dimenidrinato pode exigir várias doses, dependendo da duração da viagem. Pode ser usado em crianças a partir de 2 anos.

Você deve seguir as instruções do seu médico se estiver grávida ou amamentando. Nesses casos, cápsulas ou chicletes de gengibre podem ser usadas, sempre com a orientação prévia do obstetra.

Enjoo em alto mar
Qualquer meio de transporte é capaz de provocar enjoo e náuseas.

Leia também: Tonturas no carro, por que ocorrem?

Picadas de insetos e urticária

Picadas de insetos ou reações dérmicas provocadas por plantas estão associadas a viagens a lugares tropicais. Dependendo da intensidade, quantidade e sensibilidade pessoal, podem causar sintomas alérgicos e infecções na pele quando coçadas e arranhadas.

O melhor é a prevenção, por isso é aconselhável usar roupas que cubram os braços e pernas, mosquiteiros e dispositivos repelentes nos cômodos. O kit de primeiros socorros para viagem deve conter repelentes líquidos ou em forma de pulseiras.

Como tratamento, inclua loção de calamina ou pomada anti-histamínica. Outras opções incluem a Centella asiatica, calêndula, helichrysum (immortelle) ou óleos essenciais.

Problemas digestivos

Durante as viagens, mudamos nossos hábitos alimentares, por isso é comum sofrer de desconfortos digestivos. Eles podem surgir na forma de gases, sensação de peso, acidez, queimação e refluxo. Casos de prisão de ventre ou diarreia também são comuns.

Inclua antiácidos no kit de primeiros socorros para viagem para aliviar o peso no estômago, a acidez e o refluxo. Além disso, você pode recorrer à fitoterapia. Existem produtos no mercado baseados em combinações de várias plantas medicinais, como mamão, alcachofra, cardo de leite, erva-doce, anis ou ruibarbo. Para os gases, use antiflatulentos como simeticona ou plantas carminativas como o anis, cominho ou erva-doce.

Diarreia e prisão de ventre ocasionais

Para aliviar a diarreia, inclua no kit de primeiros socorros para viagem envelopes de sais minerais e glicose para reidratação. Além disso, é recomendável que você tome probióticos para recuperar a flora intestinal.

Se for necessário interromper a diarreia, você precisa ter em mãos um medicamento composto por loperamida. Por outro lado, se o problema for prisão de ventre, inclua um laxante estimulante, como bisacodil, picossulfato ou senna.

Isso também pode te interessar: 3 alimentos com efeito laxante contra a prisão de ventre

Material para curativos no kit de primeiros socorros para viagem

Elementos de emergência para uma viagem
Os machucados e as lesões são uma possibilidade ao viajar, então é importante estar preparado.

O kit para viagem deve conter material para tratar pequenas feridas, bolhas, queimaduras, entorses ou distensões. Recomendamos que você inclua o seguinte:

  • Soro fisiológico: para limpar feridas.
  • Desinfetantes: como solução de iodopovidona ou clorexidina.
  • Material para curativos: gaze, ataduras, esparadrapo, linha de sutura, curativos e bandagem de suporte.
  • Anti-inflamatórios tópicos: creme ou pomada para queimaduras leves.
  • Loção para eritema solar.
  • Compressas frias instantâneas.
  • Álcool em gel: que serve tanto para desinfetar as mãos quanto as superfícies.

Problemas como dor de garganta, resfriado, febre, dores musculares e dores de cabeça podem ocorrer a qualquer momento, portanto, seu kit para viagem deve conter um analgésico como paracetamol e pastilhas para aliviar a dor de garganta.

Conclusão sobre o kit de primeiros socorros para viagem

Se você preparar seu kit de primeiros socorros para viagem corretamente, evitará muitas complicações que podem prejudicar as suas férias. Em caso de dúvida, seu farmacêutico pode ajudá-lo a preparar seu kit de acordo com a rota que você seguirá.

Você também deve entender que existem patologias que você pode sofrer enquanto estiver viajando e que excedem o alcance de um kit de emergência. Portanto, é essencial que você viaje com um seguro médico para essas circunstâncias e consulte, em caso de dúvida, o local de atendimento médico que o seu destino possui.

  • Educación sanitaria: el botiquín casero. (2004). Pharmacy Practice.

  • Gómez-Zorita, S., & Urdampilleta, A. (2014). Fármacos y suplementos nutricionales para llevar en el botiquín del alpinista. Farmacéuticos Comunitarios. https://doi.org/10.5672/fc.2173-9218.(2014/vol6).001.06

  • Martinez, B. (2006). El botiquín escolar. Investigación y Educación.