O que é a retinopatia diabética?

06 Outubro, 2020
A retinopatia diabética pode ser evitada mantendo os níveis de açúcar no sangue estáveis ​​e verificando regularmente o fundo do olho. Por que esta doença ocorre? Descubra a seguir.

A retinopatia diabética é uma complicação que aparece naqueles que sofrem de diabetes, independentemente de ser do tipo 1 ou 2. Embora sua incidência esteja diminuindo, ainda afeta um número significativo de pessoas.

Especificamente, estima-se que afete quase 98% dos pacientes com diabetes mellitus tipo 1 após 20 anos de doença. No caso do tipo 2, o percentual atinge quase 60% após 20 anos do diagnóstico.

A retinopatia diabética surge dos danos causados ​​pela diabetes nos vasos sanguíneos que fornecem sangue à retina. Tende a afetar as pessoas que têm diabetes há muito tempo.

A probabilidade de sofrer desse distúrbio aumenta quando não há um bom controle do açúcar no sangueA longo prazo, essa patologia pode levar à completa perda de visão.

Portanto, devido à sua importância, explicaremos quais são suas causas e sintomas, para que sua incidência continue diminuindo.

O que é a retinopatia diabética?

Médica com paciente diabética
A retinopatia diabética é uma condição caracterizada por problemas de saúde ocular. Ocorre quando os níveis de açúcar no sangue estão muito altos e não são controlados.

A retinopatia diabética ocorre quando os níveis de açúcar no sangue permanecem altos e descontrolados por um longo período de tempo. Os vasos sanguíneos da retina sofrem certas alterações em resposta a esse dano. O processo é dividido em várias etapas:

  • Retinopatia diabética não proliferativa leve. É o estágio mais inicial da doença. Pequenas áreas de inflamação (microaneurismas) aparecem nos vasos sanguíneos.
  • Retinopatia não proliferativa moderada. Se a patologia não parar, alguns vasos ficam entupidos e a gravidade aumenta.
  • Não proliferativo grave. Nesta fase já existem muitos vasos bloqueados. Portanto, a retina não recebe o sangue adequadamente. O corpo estimula a formação de novos vasos para tentar manter a irrigação da retina.
  • Retinopatia diabética proliferativa. Novos vasos sanguíneos são criados, mas eles são frágeis e se formam sobre a retina. Por serem fracos, podem deixar o sangue escorrer e causar a perda de visão.

Por outro lado, também pode ocorrer inflamação da mácula. A mácula é uma parte do olho envolvida no processo de visãoEssa inflamação é causada por edema macular, que pode ocorrer em qualquer um dos estágios mencionados, causando cegueira.

Você pode se interessar: 5 conselhos fundamentais para controlar a pré-diabetes

Quais são os sintomas da retinopatia diabética?

Normalmente, a pessoa que sofre dessa complicação começa a perceber os sintomas quando a doença já progrediu demais. Portanto, para evitá-la, todos os diabéticos devem ser submetidos periodicamente a exames de verificação da retina.

É um procedimento simples e indolor chamado de fundo do olho. A detecção precoce da patologia ajuda a impedir que ela progrida, interrompendo a perda de visão. À medida que a retinopatia progride, os sintomas podem ser os seguintes:

  • Perda gradual da visão.
  • Má visão noturna.
  • Problemas na distinção das cores. Além disso, a visão pode ficar embaçada e até variável, dependendo do momento.
  • Às vezes, manchas aparecem no campo visual. Podem ser áreas escuras, um dos sintomas do descolamento de retina.

O descolamento de retina consiste em uma separação da retina da parede posterior do olho, à qual, em condições normais, ela é anexada. É uma complicação séria e uma emergência médica.

Como podemos evitar essa patologia?

Exame ocular
O diagnóstico oportuno da retinopatia diabética é decisivo para definir um tratamento bem-sucedido. Além disso, é essencial monitorar os níveis de glicose no sangue.

A retinopatia diabética pode ser evitada, em um grande número de casos, graças a uma série de medidas simples. Antes de mais nada, é essencial que os diabéticos examinem regularmente a sua visão.

Existem inúmeros estudos que mostram que a detecção precoce de patologias como a retinopatia diabética pode ajudar a melhorar os custos de saúde e a qualidade de vida dos pacientes.

Da mesma forma, controlar os níveis de açúcar no sangue e a pressão arterial é fundamental. Devemos seguir uma dieta saudável e fazer exercícios de maneira moderada e regular.

Idealmente, siga as diretrizes de tratamento indicadas pelo médico. Para garantir que tudo esteja correto, você pode medir seus níveis de açúcar no sangue com frequência. Além disso, você também deve evitar hábitos tóxicos, como o cigarro e o álcool.

Você pode gostar de ler: Diabetes sob controle: como posso fazer isso?

Conclusão

Quando os níveis de açúcar no sangue são mantidos altos, podem causar obstruções nos vasos sanguíneos da retina. Consequentemente, o olho tenta desenvolver novos vasos sanguíneos. No entanto, estes são frágeis e podem sangrar facilmente.

Isso leva ao surgimento gradual de problemas oculares. Portanto, se você é diabético, não pode negligenciar a saúde da sua visão. Você deve ir ao médico frequentemente para verificar o seu estado de saúde.

  • Duh EJ, Sun JK, Stitt AW. Diabetic retinopathy: current understanding, mechanisms, and treatment strategies. JCI Insight. 2017;2(14):e93751. Published 2017 Jul 20. doi:10.1172/jci.insight.93751
  • Jimenez-Baez, M. V., Marquez-Gonzalez, H., Barcenas-Contreras, R., Morales Montoya, C., & Espinosa-Garcia, L. F. (2015). Early diagnosis of diabetic retinopathy in primary care. Colombia Médica : CM46(1), 14–18. Retrieved from http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4437282
  • Martínez Rubio, M., Moya Moya, M., Bellot Bernabé, A., & Belmonte Martínez, J. (2013). Diabetic retinopathy screening and teleophthalmology. Archivos de La Sociedad Española de Oftalmología (English Edition)87(12), 392–395. https://doi.org/10.1016/j.oftale.2012.04.016
  • Drakatos, P., Kosky, C., & Williams, A. J. (2012). Diabetic retinopathy [5]. New England Journal of Medicine367(2), 184. https://doi.org/10.1056/NEJMc1205011
  • Fong, D. S., Aiello, L., Gardner, T. W., King, G. L., Blankenship, G., Cavallerano, J. D., … Klein, R. (2004, January). Retinopathy in Diabetes. Diabetes Care.
  • Stewart, M. W. (2010). Pathophysiology of diabetic retinopathy. In Diabetic Retinopathy: Evidence-Based Management (pp. 1–30). Springer New York. https://doi.org/10.1007/978-0-387-85900-2-1