Problemas de visão em crianças pequenas

24 de julho de 2019
É importante realizar uma revisão oftalmológica completa a partir dos 4 anos. Especialmente se existe na família antecedentes de algum transtorno ocular.

Alguns problemas de visão comuns em crianças, como o estrabismo ou a miopia, são relativamente fáceis de detectar pelos pais. No entanto, existem outras doenças assintomáticas que podem passar desapercebidas.

É importante prestar atenção a uma série de sintomas e sinais que podem aparecer na presença de alguma doença ou transtorno ocular na criança. 

Sinais de alerta de problemas de visão em crianças

Visão cromática

Os primeiros sinais de problemas de visão nas crianças podem passar desapercebidos. No entanto, podem se manifestar como dores de cabeça e visão borrada.

Quando a criança apresenta sinais de alerta como não enxergar direito de longe, e aproxima muito os objetos do rosto. Também pode ser frequente esfregar os olhos de forma repetida e desviar um olho, principalmente em estado de cansaço. Em outros casos, é possível que seu filho incline a cabeça para trás para observar melhor e se queixe de dor de cabeça ou visão borrada. 

Comportamento visual da criança durante os primeiros meses de vida

Durante o primeiro ano de vida a evolução normal da visão é a seguinte:

  • 6 semanas. Reage ante expressões faciais.
  • 2-3 meses. Percebe o movimento e é capaz de seguir um objeto brilhante com o olhar.
  • 3-6 meses. Olha a mão e é capaz de seguir as atividades de seu ambiente.
  • 4 meses. Sorri ante sua própria imagem refletida no espelho.
  • 6 meses. Persegue com o olhar objetos pequenos e os alcança.
  • 7 meses. Toca sua imagem no espelho.
  • 9 meses. Levanta para ver um objeto.
  • 1 ano. Busca brinquedos e objetos que desaparecem de seu olhar.

Para evitar que se convertam em deficiências visuais crônicas e irreversíveis, é importante realizar uma revisão oftalmológica completa a partir dos 4 anos. Principalmente se existe na família antecedentes de algum transtorno ocular.

Problemas de visão

Os problemas de visão em crianças mais comuns são os defeitos de refração como a miopia, hipermetropia e astigmatismo. Além disso, são frequentes a ambliopia (olho preguiçoso), o estrabismo e a discromatopsia (alterações na visão de cor).

Olho preguiçoso

A ambliopia ou olho preguiçoso, afeta cerca de 2-5% da população e é uma das causas mais comuns de perda de visão nos países desenvolvidos. No caso do olho preguiçoso, o diagnóstico e tratamento precoce é essencial na hora de evitar a continuidade da doença em idade adulta.

Há que se prestar especial atenção caso a criança seja prematura, tenha antecedentes de olho preguiçoso na família, bem como problemas de refração ou problemas de retina.

Ainda que costume ser assintomático, alguns sinais podem ser a dor de cabeça ou de cervicais. Além disso, quando a criança já sabe ler, ela costuma pular as palavras ou confundir as letras.

Leia também: Cuide da sua visão

Estrabismo

O estrabismo afeta entre 3 a 6% da população. É necessário diagnosticá-lo a tempo, já que em crianças pode ser corrigido com tratamento, enquanto que na idade adulta não pode. Alguns dos sinais de estrabismo podem ser, por exemplo:

  • Incorreto alinhamento dos olhos.
  • Os olhos não se movem para a mesma direção.
  • Inclinação da cabeça para um lado para olhar pontos concretos.
  • Pisca os olhos ou os esfrega habitualmente.
  • A criança aperta ou fecha um olho para focar.

Problemas de refração

Menina usando óculos

Os problemas de refração são comuns durante a infância. Estima-se que afetam cerca de 20% das crianças.

Em suma, os defeitos de refração como o astigmatismo, miopia e hipermetropia, afetam cerca de 20% das crianças.

Miopia

A miopia aparece por volta dos 6 anos e costuma apresentar sintomas como forçar os olhos para focar objetos de longe, bem como confundir pessoas que se encontram a diferentes distâncias. Ademais, algumas crianças também podem aproximar os objetos para vê-los, assim como semicerrar os olhos para focar melhor.

Também pode te interessar: 10 exercícios e alguns alimentos para ter uma boa visão

Hipermetropia

Costuma ser fisiológica, por isso está presente na maioria das crianças ao nascer. No entanto, vai desaparecendo à medida que o olho vai crescendo.

Em alguns casos, no entanto, pode persistir a vida toda. Trata-se de uma hipermetropia elevada não corrigida, e pode provocar ambliopia ou estrabismo. Além disso, pode manifestar sinais como dor de cabeça ao tentar focar de perto e cansaço ocular logo após realizar este tipo de exercício.

Astigmatismo

Quando existe astigmatismo, a luz procedente dos objetos que entra no olho foca em mais de um ponto na retina. O principal sintoma é a percepção borrada ou distorcida, tanto dos objetos afastados como dos próximos.

Por fim, conhecia os sinais de um problema visual em crianças? Caso tenha notado algum desses sintomas em seu filho, não deixe de consultar o especialista de confiança. O profissional determinará o tipo de problema, assim como seu tratamento.

  • Fredrick DR. Myopia. BMJ. 2002;324(7347):1195–1199. doi:10.1136/bmj.324.7347.1195
  • Toda, I., Fujishima, H., & Tsubota, K. (1993). Ocular fatigue is the major symptom of dry eye. Acta Ophthalmologica71(3), 347–352. https://doi.org/10.1111/j.1755-3768.1993.tb07146.x
  • Chou R, Dana T, Bougatsos C. Screening for Visual Impairment in Children Ages 1-5 Years: Systematic Review to Update the 2004 U.S. Preventive Services Task Force Recommendation [Internet]. Rockville (MD): Agency for Healthcare Research and Quality (US); 2011 Feb. (Evidence Syntheses, No. 81.) 1, Introduction. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK52711/
  • Bates A. Common eye problems among children. London J Prim Care (Abingdon). 2010;3(1):27–30. doi:10.1080/17571472.2010.11493292
  • Natarajan S. The pediatric eye view. Indian J Ophthalmol. 2014;62(2):101–102. doi:10.4103/0301-4738.128583
  • Vision screening in infants and children. Paediatr Child Health. 1998;3(4):261–264. doi:10.1093/pch/3.4.261
  • Khandekar R. Visual disabilities in children including childhood blindness. Middle East Afr J Ophthalmol. 2008;15(3):129–134. doi:10.4103/0974-9233.51988