Reprimir as emoções pode bloquear o fígado

· 14 de março de 2015
Para desbloquear o fígado, devemos praticar exercícios que nos permitam mobilizar o braço direito. Quando realizamos movimentos com este braço, também estamos massageando e liberando nosso fígado.

Muitas vezes citamos tudo o que prejudica nosso fígado, como má alimentação, maus hábitos ou poluição. Além de todos os tipos de substâncias tóxicas que nos rodeiam. Mas há muitas pessoas que se cuidam e evitam esses fatores e que, no entanto, sofrem alguns problemas no fígado. A que se devem?

Neste artigo, explicamos como o fígado é afetado pelas emoções negativas que reprimimos, especialmente a raiva. Vamos ver de que maneira podemos ajudá-lo a ser saudável naturalmente.

O que o fígado esconde?

Segundo a medicina chinesa antiga, todos os órgãos estão relacionados a uma ou mais emoções. Isso nos dá pistas para descobrir quais podem ser os fatores emocionais desencadeantes de determinadas doenças. Por exemplo, o pulmão estaria relacionado à tristeza e o rim ao medo.

No caso do fígado, encontramos raiva e frustração. Duas emoções que devem ser aprendidas a canalizar. Caso contrário, afetam o fígado.

A raiva e outras emoções

Nos referimos à raiva, mas também devemos contemplar emoções próximas, como o rancor, a amargura ou o ódio, todas igualmente nocivas.

Além disso, um excesso de raiva reprimida provoca um bloqueio do fígado, que gera mais irritabilidade e muitos desconfortos físicos (tensões musculares no pescoço e nos ombros, dor de cabeça, problemas de visão, etc.). Se todas essas circunstâncias ocorrerem, somos pegos em uma espiral patológica. E, se se prolongarem ao longo do tempo, pode acabar causando uma doença crônica.

Então é necessário se livrar delas?

O que o fígado esconde?

A solução para não reprimir essas emoções não é tão simples quanto parece e aqueles que sofrem com isso sabem que é muito difícil mudar nossa maneira de reagir à vida. Continuamente vemos pessoas que têm repetidos ataques de raiva e bom senso nos dizem que também não é saudável . De fato, nesses casos, o coração é geralmente o órgão afetado.

Então, qual é a solução? Analisamos algumas dicas para desbloquear o fígado que muitas vezes sofre as consequências dessas emoções negativas.

Perceber

Perceber isso é o primeiro passo para evitar que essas situações se repitam com muita frequência ou muita intensidade. Devemos aprender a nos conhecer. Analisar quais pessoas ou situações nos provocam uma reação de raiva e de que maneira podemos administrá-la.

Nesse caso, podemos recorrer a um terapeuta para nos ajudar a administrar nossas emoções e até tomar algum remédio de homeopatia ou florais de Bach, duas opções naturais e sem efeitos colaterais que podem nos surpreender muito positivamente em pouco tempo de tratamento.

Pode te interessar: 5 exercícios para controlar as emoções

Aprender a se comunicar

O primeiro passo para não reprimir emoções é aprender a se comunicar. Ser capaz de falar com calma sobre o que sentimos e o que nos fere, especialmente com as pessoas que amamos e, em segundo lugar, com aquelas com quem lidamos diariamente, especialmente no local de trabalho. É um passo difícil, mas os resultados satisfatórios nos animarão a continuar nos esforçando esforço.

Praticar esportes

Praticar esportes pode ajudar a desbloquear o fígado

esporte é uma das grandes soluções para nossos problemas, neste caso porque nos ajuda a descarregar a tensão física. E se o nosso objetivo for desbloquear o fígado, recomendamos especialmente exercícios que nos permitam mobilizar o braço direito. Quando realizamos movimentos com este braço, também estamos massageando e liberando nosso fígado, por isso, podemos escolher, por exemplo, entre o tênis ou o boxe, dependendo do grau de intensidade que precisamos.

De vez em quando também podemos praticar esportes em meio a natureza e, se for possível, gritar bem forte. Não devemos subestimar este último conselho, que é mais útil do que parece.

Leia também: O esporte melhora o nosso estado psicológico?

Se expressar

Se expressar através da arte pode favorecer o fígado

A raiva sempre é expressa da mesma maneira agressiva. No entanto, existem muitas maneiras de se expressar, especialmente quando é difícil para nós nos comunicarmos com as palavras. A arte é uma excelente maneira e muitas pessoas introvertidas se apresentam como músicos surpreendentes, por exemplo. Não hesite em buscar uma disciplina artística que você possa praticar por prazer, livremente, livre de qualquer supervisão ou exigência.

  • Casado Morales, María Isabel. Ansiedad, stress y trastornos psicofisiológicos. Diss. Universidad Complutense de Madrid, Servicio de Publicaciones, 1994.
  • Fernández-Abascal, Enrique G. "Ira y Hostilidad en los trastornos coronarios." anales de psicología 10.2 (1994): 177.
  • Morales, María Isabel Casado, et al. "El estudio de la ira en los trastornos cardiovasculares mediante el empleo del Inventario de Expresión de Ira Estado-Rasgo-STAXI." Ansiedad y Estrés3.1 (1997): 5-20.