Qual a melhor dieta na gravidez

28 Janeiro, 2020
O corpo da mulher grávida requer um consumo maior de nutrientes. Uma dieta na gravidez inclui frutas e verduras e carnes magras para o bom desenvolvimento do feto.
 

Uma boa dieta na gravidez é de vital interesse e importância já que isso garantirá o nascimento de um bebê saudável. A alimentação saudável evita que futuras mães arrisquem sua saúde durante o processo de gravidez, além de garantir as contribuições necessárias para o futuro bebê.

De forma geral este cuidado vem acompanhado de:

  • Uma avaliação médica quinzenal ou mensal.
  • O controle nas atividades físicas ou diárias a serem realizadas.
  • Uma dieta saudável

Neste último ponto, deve ser dado um interesse especial. É essencial que durante a gravidez a dieta seja cuidadosamente observada. Isso não significa que você precise optar pela queima de calorias ou perda de peso. Isso pode ser prejudicial ao feto em formação. Então, qual é a dieta mais recomendada a se seguir durante a gravidez?

O consumo de todos os tipos de frutas e vegetais

frutas e vegetais contêm grandes quantidades de ácido fólico

As frutas e vegetais contêm altas taxas de vitamina C e ácido fólico. Por isso, é aconselhável consumi-los em grandes quantidades durante o segundo e terceiro trimestres da gravidez. Além disso, a alta ingestão de frutas (como laranja, melão e toranja) e vegetais (como brócolis, tomate e alface) favorecem o crescimento do feto.

 

Por outro lado, a ingestão desses alimentos durante a gravidez permite que o feto obtenha um tamanho adequado no momento do nascimento. Assim então, uma mulher nesse estado deve comer de 2 a 4 porções diárias de frutas e legumes.

Proteínas magras

As proteínas magras reduzem a fadiga e fornecem nutrientes essenciais como o ferro

Para estimular o crescimento do bebê, também será necessário que as mulheres grávidas complementem suas refeições com alimentos ricos em proteínas, como:

  • Carne
  • Ovos
  • Queijo
  • Leite
  • Sementes
  • Frutos secos

Esses alimentos também são ricos em vitamina B e ferro. Assim, por exemplo, o ferro colabora com a oxigenação tanto do feto em desenvolvimento como na formação dos músculos do corpo da gestante. Como resultado, a futura mãe terá menos problemas com fadiga, fraqueza, irritabilidade ou depressão. Finalmente, é aconselhável consumir de 50 a 60 mg por dia de proteína magra.

Você pode estar interessado: 8 hábitos para ter uma gravidez saudável

Grãos e farinhas 

Os grãos são considerados uma fonte muito importante de energia para o corpo, especialmente em casos de gravidez. Eles oferecem alto teor de fibras, ferro e vitamina B. O consumo de farinha fornece uma grande quantidade de carboidratos e ácido fólico, o que é benéfico para o desenvolvimento do bebê. É aconselhável consumir entre 6 e 12 porções de alimentos como:

 
  • Aveia.
  • Macarrão integral.
  • Arroz.
  • Pão.
  • Cereais.

Limitar o consumo de cafeína e peixe

O consumo de café deve ser reduzido durante o período de gravidez. Assim, várias fontes americanas de obstetras e ginecologistas, como o ACOG (Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas) recomendam reduzir significativamente o seu consumo, uma vez que a cafeína se acumula dentro da placenta após passar pelo feto. O consumo excessivo desses alimentos tem sido associado a casos de abortos espontâneos ou nascimentos prematuros.

O peixe também deve ser consumido moderadamente. Alguns peixes, como o atum voador, podem ter alto teor de mercúrio, o que causaria problemas no feto.

Você pode estar interessado em: Pressão arterial alta durante a gravidez: sintomas e tratamentos

Evitar o consumo de bebidas alcoólicas 

Em primeiro lugar, saiba que o consumo de álcool durante a gestação e lactação deve ser completamente eliminado.

O álcool, uma vez consumido, viaja pelo corpo através do sangue, afetando o funcionamento do organismo quando excede os níveis recomendados. Nas mulheres grávidas o álcool é transferido para o bebê através do cordão umbilical. Por exemplo, isso pode afetar seu desenvolvimento e causar problemas de comportamento e aprendizado no futuro desenvolvimento da criança. Existem muitas investigações que sugerem evitar o consumo de álcool durante a gravidez.

A importância de cuidar da alimentação durante a gravidez

Sem dúvida alguma, é importante destacar que o que uma mulher consome ou bebe durante a gravidez será a principal fonte de alimentação do bebê em formação. Portanto, muitos especialistas recomendam e aconselham as futuras mães a ingerir bebidas e alimentos saudáveis ​​e nutritivos. Dessa forma, podem fornecer os nutrientes necessários e importantes para o desenvolvimento e crescimento do bebê.

 

Finalmente, como se vê acima, são muitos os alimentos adequados para se consumir e evitar durante a fase da gravidez. No entanto, uma mulher nesse estado precisa consumir ainda mais cálcio, ácido fólico, ferro e proteínas, do que o que geralmente consome norma uma mulher comum.

 

  • Loy, S.-L., Marhazlina, M., Azwany, Y. N., & Hamid Jan, J. M. (2011). Higher intake of fruits and vegetables in pregnancy is associated with birth size. The Southeast Asian Journal of Tropical Medicine and Public Health, 42(5), 1214–1223. Retrieved from http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22299448
  • Brannon, P. M., & Taylor, C. L. (2017). Iron Supplementation during Pregnancy and Infancy: Uncertainties and Implications for Research and Policy. Nutrients, 9(12). https://doi.org/10.3390/nu9121327