Pregabalina: para que serve?

Como todos os medicamentos do mercado, a pregabalina também pode causar uma série de reações adversas que devem ser levadas em consideração ao iniciar o tratamento.
Pregabalina: para que serve?

Última atualização: 23 Fevereiro, 2021

A pregabalina é uma substância ativa utilizada principalmente no tratamento da dor e de convulsões neuropáticas. Em relação a estas últimas, a pregabalina demonstrou reduzir a frequência de ocorrência de convulsões de início parcial quando administrada como tratamento adjuvante.

Ao longo deste artigo, veremos as principais características das patologias para as quais este princípio ativo é indicado, bem como as suas características gerais.

Mecanismo de ação: como a pregabalina age no corpo?

Pregabalina

A pregabalina é uma substância análoga ao neurotransmissor inibidor do sistema nervoso central, GABA. O GABA, como outros neurotransmissores, é uma substância química sintetizada no corpo e responsável pela transmissão de sinais de um neurônio para o outro.

À medida que se liga a um receptor ou outro, certas ações serão acionadas no corpo. A ativação do receptor GABA- A, que é o que predomina no cérebro, leva à redução da atividade neuronal, o que justificaria o efeito anticonvulsivante da pregabalina.

No entanto, o mecanismo exato da pregabalina ainda não é totalmente compreendido, pois não há evidências de que ela se ligue aos receptores GABA-A ou GABA-B.

Você pode se interessar: Tipos de epilepsia

Para que doenças a pregabalina é utilizada?

Como já sabemos, a pregabalina é indicada, entre outras doenças, para o tratamento da dor neuropática. Também é indicada em combinação com outros medicamentos para o tratamento da epilepsia, especialmente em convulsões de início parcial.

A pregabalina e as convulsões

Como dissemos, a pregabalina é uma das drogas antiepilépticas mais recentes introduzidas para o tratamento da epilepsia parcial.

Especificamente, parece que pode desempenhar um papel na redução da frequência de convulsões na epilepsia, quando administrada como tratamento adjuvante. Isso foi confirmado por um estudo publicado em 2008 pela revista Neuropsychiatric Disease and Treatment.

Mais sobre as epilepsias

Epilepsia

As epilepsias são resultado de um distúrbio do sistema nervoso centralElas ocorrem porque a atividade do cérebro não funciona como deveria e provoca descargas que geram convulsões. Sem tratamento adequado e medidas de prevenção, as convulsões podem ser fatais.

Os sintomas e a forma como são desencadeadas variam de pessoa para pessoa. Além disso, todos podem ter essa doença. No entanto, se uma pessoa sofreu de um tipo de epilepsia, se ocorrer novamente, é mais provável que seja o mesmo tipo, embora nem sempre seja o caso e os sintomas possam variar.

No entanto, para um médico diagnosticá-lo como um paciente epiléptico, você deve ter tido pelo menos duas convulsões não provocadas.

O que é a dor neuropática?

Esta é uma patologia que atinge cerca de 7 a 10% da população europeia. Esses pacientes descrevem a dor neuropática como uma dor aguda. Além disso, às vezes sentem uma espécie de formigamento e latejamento em diferentes partes do corpo.

É uma dor que ocorre porque o sistema nervoso não funciona perfeitamente. Dessa forma, esse sistema interpreta os estímulos de forma anormal, desencadeando a dor a partir de estímulos que não deveriam causá-la.

Esta doença geralmente persiste com o tempo, aparecendo de forma intermitente. No entanto, embora possa surgir de forma espontânea, existem algumas situações que favorecem o seu aparecimento, como ter sido submetido a uma cirurgia, ter tido uma infecção ou um traumatismo.

Leia também: Dor irruptiva: sintomas e tratamento

Reações adversas

Ligações entre neurônios

Como todos os medicamentos no mercado, a pregabalina também pode causar uma série de reações adversas que devem ser levadas em consideração ao iniciar o tratamento com este medicamento.

Entendemos as reações adversas como todos os eventos indesejáveis ​​e não intencionais que são esperados com o tratamento com um medicamento. Nesse sentido, as reações adversas mais relatadas em ensaios clínicos com este medicamento foram:

Pregabalina: um medicamento que ainda está sendo estudado

A pregabalina é um medicamento usado principalmente para tratar a dor neuropática e as epilepsias. É uma substância análoga ao GABA, um neurotransmissor inibidor do sistema nervoso central.

Porém, o mecanismo de ação pelo qual ela desencadeia seu efeito no organismo não é conhecido com precisão, uma vez que não interage com os receptores desse neurotransmissor.

Recomendamos que você se informe bem sobre a administração deste medicamento, bem como sobre os possíveis efeitos adversos que ele pode provocar. Além disso, lembre-se de sempre seguir as instruções de uso indicadas pelo médico.

Pode interessar a você...
Epilepsia e gravidez: tudo que você precisa saber
Mejor con SaludLeerlo en Mejor con Salud
Epilepsia e gravidez: tudo que você precisa saber

A associação entre epilepsia e gravidez não é impossível, mas possui seus riscos. Por isso, é importante saber mais informações sobre o tema.



  • Pregabalina. (2005). Pharmaceutical Care Espana.
  • Ryvlin P, Perucca E, Rheims S. Pregabalin for the management of partial epilepsy. Neuropsychiatr Dis Treat. 2008;4(6):1211–1224. doi:10.2147/ndt.s4716
  • González-Escalada, J. R. (2005). Pregabalina en el tratamiento del dolor neuropático periférico. Revista de La Sociedad Espanola Del Dolor.
  • Toth C. Pregabalin: latest safety evidence and clinical implications for the management of neuropathic pain. Ther Adv Drug Saf. 2014;5(1):38–56. doi:10.1177/2042098613505614
  • Awwad, Z. M., El-Ganainy, S. O., ElMallah, A. I., Khedr, S. M., Khattab, M. M., & El-Khatib, A. S. (2019). Assessment of Pregabalin-Induced Cardiotoxicity in Rats: Mechanistic Role of Angiotensin 1–7. Cardiovascular toxicology, 1-11.