Por que sonhamos que estamos caindo no vazio?

30 de novembro de 2018
Certamente isso já aconteceu com você alguma vez. Você sabia que este tipo de sonho pode estar relacionado ao estresse?

Sonhar que estamos caindo no vazio é algo tão comum que se diz que pelo menos 95% da população já o experimentou alguma vez. Isso nos cria uma ansiedade súbita e, às vezes, nos faz acordar de repente. A que se deve?

Possíveis explicações de porquê sonhamos que estamos caindo no vazio

Possíveis explicações de porquê sonhamos que estamos caindo no vazio

É algo comum. Tão logo adormecemos sonhamos que estamos caminhando com total tranquilidade e, em seguida, caímos em um profundo abismo.

  • O chão desaparece dos nossos pés ou nos precipitamos a um declive no qual nosso corpo fica suspenso.
  • Sentimos essa sensação brutal de queda.
  • O coração acelera e acordamos assustados e com a inquietação ligada ao nosso corpo e à nossa mente.

É até comum ter a sensação de que, sem saber como, estamos caindo da cama. Além disso, muitas pessoas realmente chegam a cair dela. Por que esse fenômeno ocorre?

Leia também: 7 curiosidades sobre os sonhos

1. Ocorre nos estágios iniciais do sono

O sonho de estar caindo no vazio ocorre nos estágios iniciais do sono

Se você se lembra um pouco de cada vez que teve esses sonhos, certamente vai perceber que isso geralmente acontece em poucos minutos depois de se deitar.

Dizem que isso geralmente se deve a uma pequena descompensação entre o chamado sistema vesticular (presente em nossos ouvidos) e o sistema cinestésico (o sistema que nos torna conscientes dos movimentos).

  • O corpo ainda não se adaptou à nossa posição horizontal.
  • Com o qual há um pequeno erro de processamento que nos obriga a acordar subitamente com a sensação clara de que estamos caindo.
  • Isso faz com que muitas pessoas realmente caiam da cama.

2. O componente estresse também tem sua influência

O componente estresse contribui para o fato de sonhar que estamos caindo no vazio

Agora tente relacionar como era seu estado pessoal e emocional toda vez que você experimentou esse fenômeno. Sonhar que caímos no vazio também está relacionado ao estresse.

Submetemos nosso cérebro a uma grande atividade, o cortisol acelera nossas funções básicas, a preocupação aumenta, as ondas cerebrais vão ao máximo de seus limites.

No entanto, quando nos deitamos, nosso corpo relaxa, mas o cérebro continua muito ativo, muito mais que o normal.

E então, ocorre uma nova descompensação ocorre: a alta atividade cerebral somada a um corpo relaxado provoca uma sensação de queda brutal que resulta em tais sonhos, que depois de alguns momentos, nos obriga a despertar alarmados.

Pode lhe interessar: Quando seus sonhos falam de sua própria saúde

3. O fenômeno da paralisia do sono

O fenômeno da paralisia do sono

Já falamos sobre a paralisia do sono em nosso artigo sobre o que acontece quando dormimos.

  • Isso acontece, basicamente, quando estamos conscientes de que estamos tendo um pesadelo, no entanto, não podemos acordar.
  • A sensação é muito vívida e intensa, às vezes até aterrorizante, já que tudo é muito real.

Sonhar que estamos caindo no vazio é uma experiência desagradável. Também nos força a querer despertar antes de sentir a dor da queda.

Podemos concluir dizendo que esse fenômeno tem como essência principal o estresse. Nosso cérebro está superexcitado e, com isso, as primeiras fases do sono derivam dessa descompensação mente-corpo. Como consequência, o cérebro reage à esses sonhos cheios de ansiedade.

Como curiosidade, também devemos falar sobre a versão proposta pela etologia, que explica que pode ser devido a um instinto herdado de quando nossos ancestrais hominídeos dormiam nas árvores e eram forçados a acordar de repente para evitar cair. Curioso, não é mesmo?

  • Freud, S. (1979). 4 La interpretación de los sueños. Sigmund Freud Obras Completas. https://doi.org/10.1046/j.1460-9568.2002.02000.x
  • Tirapu-Ustárroz, J. (2012). Neuropsicología de los sueños. Revista de Neurologia.
  • Brailowsky, S. (1998). Las sustancias de los sueños: neuropsicofarmacología. La ciencia para todos.
  • Gómez Milán, E. (2008). El sueño. Vasa.