Por que abusamos da comida durante a noite?

Descubra quais são as razões pelas quais abusamos da comida à noite e algumas dicas para acabar com este mau hábito.
Por que abusamos da comida durante a noite?

Última atualização: 26 Fevereiro, 2018

Um antigo conselho diz que você tem que tomar café da manhã como rei, almoçar como príncipe e jantar como um mendigo.

Apesar das boas intenções do conselho, é uma recomendação difícil de manter na prática. Principalmente quando você chega em casa após o trabalho. Nesse sentido, não são poucas as pessoas que abusam da comida durante a noite.

Além de comermos demais no jantar, também é comum que, depois de ficarmos revirando na cama, a gente decida ir até a geladeira para comer algum petisco. Ao tentar nos justificar, temos a crença de que a comida nos ajudará a dormir.

Comer uma refeição muito grande no jantar, além de não nos ajudar a dormir melhor, também traz outras consequências pouco agradáveis ​​para a nossa psique. Comer demais à noite nos deixa, de acordo com especialistas, com sentimentos de culpa, tristeza e irritabilidade que afetam negativamente o descanso e a qualidade do sono.

Causas pelas quais abusamos da comida durante a noite

Mulher abusando da comida à noite

Entre os motivos pelos quais comemos mais à noite estão o estresse e a ansiedade. Esses males da vida moderna nos levam a aumentar nosso desejo de comer quando deveríamos descansar.

De acordo com os psicólogos, quando chegamos em casa à noite após um dia estressante, procuramos maneiras de nos agradar. O alimento é, sem dúvida, o nosso principal analgésico. Em outras palavras, usamos a comida como bode expiatório.

Além disso, o ciclo circadiano desempenha um papel importante quando abusamos dos alimentos durante a noite. Estudos indicam que o relógio biológico nos leva a consumir alimentos doces e salgados com um alto teor de amido.

Esse comportamento ajudou grandemente nossos antepassados ​​a armazenar energia. Para nós, pelo contrário, isso nos afeta negativamente e dificulta a manutenção de um peso saudável.

O que costumamos comer à noite?

A preferência ao comer tarde, ou o desejo da meia-noite é pelos carboidratos. Este tipo de alimento nos causa não apenas prazer, mas um certo vício que não termina com a sensação de saciedade.

Alimentos ricos em carboidratos também são ricos em calorias. Comer à noite consome uma grande porcentagem das calorias que devem ser distribuídas durante o dia.

Não é por acaso que os alimentos ricos em carboidrato são chamados em inglês de: comfort foodque pode ser traduzido literalmente como “comida para o conforto”. Ou seja, este seria o tipo de alimento que faz a gente se sentir bem, e que, em alguns casos, alivia as dores da alma. E é esse tipo de alimento que nosso corpo exige de nós à noite.

Por que não é bom para nós abusar da comida à noite?

Se abusamos da comida podemos engordar

De acordo com estudos científicos, fazemos mais do que ganhar peso quando abusamos de alimentos durante a noite. A compulsão noturna aumenta o risco de diabetes e doenças cardíacas.

Aquele jantar com muita comida ou aquilo que decidimos comer ou beber à meia-noite aumentam os níveis de glicose e insulina. Se fizermos disso um costume, seremos candidatos perfeitos para a diabetes tipo dois.

Comer muito de noite também pode aumentar os níveis de colesterol. Esta é uma das principais causas de doenças coronárias ou ataques cardíacos.

Outros motivos para não comer tanto à noite

  • A compulsão noturna pode alterar os padrões de sono. Pode até causar sonhos e pesadelos estranhos, principalmente naqueles com idade mais jovem.
  • Comer à noite pode afetar nossa memória e funções cognitivas e de aprendizado.
  • De acordo com estudos, comer depois das sete da noite aumenta o risco de ataques cardíacos.
  • Comer demais e ir dormir logo em seguida promove o refluxo gastroesofágico.
  • Graças à insulina que o nosso corpo produz quando comemos, uma maior sensação de fome será desencadeada quando acordarmos.

Dicas para evitar abusar de comida durante a noite

Mulher se alimentando de forma saudável

  • Evite jantar tarde. Idealmente, tente jantar antes às 8 ou 9 da noite.
  • Planeje as refeições. Se você tiver um plano das refeições que serão feitas durante cada dia, será mais fácil manter o controle. Chegar cansado e não saber o que comer pode levar a comer demais durante a noite.
  • Escreva uma lista do que você comeu durante o dia. Ao fazer isso, tomamos consciência do tipo de alimento e da quantidade que comemos. Ao saber disso, podemos modificar os hábitos alimentares que nos fazem sentir menos fome quando a noite chega.
  • Embora pareça comum, manter uma rotina de sono reduzirá as visitas noturnas à geladeira. Quando ficamos acordados até tarde, acabamos por ceder à tentação de comer o tempo todo.
Pode interessar a você...
Quer perder peso? Não se esqueça de jantar
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Quer perder peso? Não se esqueça de jantar

Quando queremos perder peso, é comum ter a ideia de não jantar como uma maneira de emagrecer mais rápido. Mas isso tem o efeito contrário.



  • Grant CL, Coates AM, Dorrian J, Kennaway DJ, Wittert GA, Heilbronn LK, Pajcin M, Della Vedova C, Gupta CC, Banks S. Timing of food intake during simulated night shift impacts glucose metabolism: A controlled study. Chronobiol Int. 2017;34(8):1003-1013. doi: 10.1080/07420528.2017.1335318. Epub 2017 Jun 21. PMID: 28635334.
  • Jensen T, Abdelmalek MF, Sullivan S, Nadeau KJ, Green M, Roncal C, Nakagawa T, Kuwabara M, Sato Y, Kang DH, Tolan DR, Sanchez-Lozada LG, Rosen HR, Lanaspa MA, Diehl AM, Johnson RJ. Fructose and sugar: A major mediator of non-alcoholic fatty liver disease. J Hepatol. 2018 May;68(5):1063-1075. doi: 10.1016/j.jhep.2018.01.019. Epub 2018 Feb 2. PMID: 29408694; PMCID: PMC5893377.
  • Aune D, Giovannucci E, Boffetta P, Fadnes LT, Keum N, Norat T, Greenwood DC, Riboli E, Vatten LJ, Tonstad S. Fruit and vegetable intake and the risk of cardiovascular disease, total cancer and all-cause mortality-a systematic review and dose-response meta-analysis of prospective studies. Int J Epidemiol. 2017 Jun 1;46(3):1029-1056. doi: 10.1093/ije/dyw319. PMID: 28338764; PMCID: PMC5837313.