Pilates na gravidez: quando é perigoso?

· 3 de junho de 2019
O pilates é um dos esportes mais recomendados entre as grávidas. Descubra a razão e se é perigoso durante alguma etapa da gravidez.

Praticar exercício durante a gravidez é benéfico tanto para a mamãe como para o bebê. Em resumo, os médicos recomendam para as grávidas realizar atividade física de baixo impacto, como nadar, caminhar ou yoga. Outra opção que atrai as futuras mães é o pilates na gravidez. Sabe quando é perigoso?

Pilates na gravidez, sim ou não?

Durante a gravidez, as mulheres costumam ser mais cuidadosas e pesquisam absolutamente tudo o que está relacionado com a alimentação e exercício físico. Por isso, neste artigo responderemos as dúvidas sobre o pilates. Continue lendo!

O que é o pilates?

Mulher praticando pilates

Joseph Hubertus Pilates foi o criador do exercício físico que leva seu nome. Em suma, é um programa de exercícios para trabalhar o corpo e a mente, tudo ao mesmo tempo. O objetivo é estimular a concentração, o controle e a respiração, entre outras coisas.

O pilates pode ser realizado no chão ou com aparelhos e trabalha o corpo principalmente para aumentar a força, melhorar a flexibilidade e a agilidade. Além disso, a nível emocional, ajuda a aumentar a autoestima e se conectar com si mesmo.

No entanto, é possível praticar pilates durante a gravidez? A resposta varia em função da condição física da grávida. Lembre que cada pessoa e cada gestação é diferente, por isso será o médico que determinará se pode ou não realizar o pilates.

A prática de pilates pode ajudar a fortalecer o corpo das mãos para o futuro parto. Contudo, consulte com o especialista se pode realizar este programa de exercícios.

Como praticar pilates na gravidez

Bola de pilates

Diferentes estudos chegaram à conclusão de que as grávidas com uma gestação sem risco podem se beneficiar da prática do pilates.

Suponhamos que tenha procurado o médico e este tenha avaliado sua condição física, chegando à conclusão de que é seguro praticar o pilates. Quantas vezes na semana deveria fazê-lo? Pode-se realizar todos os exercícios?

As recomendações variam de um especialista para outro. Por isso, a seguir apresentaremos as observações publicadas no Journal of Yoga and Physioteraphy:

  • O pilates pode ser praticado desde o primeiro mês até o parto, sempre sob supervisão médica.
  • A regularidade recomendada é de entre duas e três vezes por semana.
  • Aconselha-se que durante o primeiro trimestre os exercícios não superem os 20 minutos de duração, estendendo-se até os 45-60 minutos quando a gestação está mais avançada.
  • Além disso, ao praticá-lo, é importante realizar bem cada exercício. O número de repetições não é determinante.

Descubra ademais: Inchaços na gravidez: como evitá-los?

Benefícios do exercício para as grávidas

O pilates pode ajudar a mulher sentir-se bem física e emocionalmente durante a gravidez.

O pilates durante a gravidez pode ser muito benéfico, não somente a nível físico, como também a nível emocional. Entre os principais benefícios destacam-se, por exemplo:

  1. Redução do medo do parto: os exercícios de respiração podem ajudar a mulher a suportar melhor as contrações.
  2. Possível melhora da dilatação devido ao trabalho de flexibilidade.
  3. Fortalecimento do solo pélvico.
  4. Melhora da flexibilidade e da coordenação.
  5. Prática da respiração e autocontrole que podem ajudar durante o parto.
  6. Prevenção de veias varicosas, hemorroidas e dores na coluna.
  7. Aumento da autoestima.
  8. Tonificação corporal.
  9. Relaxamento logo após a prática de exercício.
  10. Combate os problemas de insônia na gravidez.

Talvez te interesse ler também: Benefícios de fazer pilates toda semana

Quando não se recomenda o pilates na gravidez?

A hipertensão é um dos possíveis indicativos de pré-eclampsia e uma das principais contraindicações para praticar pilates.

Como dissemos anteriormente, será o médico quem dirá se está ou não em condições de praticar pilates. No geral, desaconselha-se sua prática nos casos em que:

  1. A grávida sofre com hipertensão arterial.
  2. Acontece ruptura prematura de membranas.
  3. Existe um retardamento do crescimento uterino.
  4. Acontece pré-eclampsia.
  5. A futura mãe sofre qualquer condição de risco na gravidez.

Ainda mais, é imprescindível procurar um centro que ofereça aulas para grávidas, já que alguns exercícios estão contraindicados durante a gestação. Entre eles se encontram: os exercícios supinos (em que se contrai o reto abdominal), aqueles que são realizados de barriga para baixo e os alongamentos profundos.

O pilates na gravidez pode trazer muitos benefícios para a mãe e para o bebê. Contudo, é necessário consultar o médico antes de se inscrever em alguma aula. Além disso, lembre que não deve realizar nenhuma mudança de hábito durante a gestação sem consultar o especialista. Sua saúde e a de seu filho vem em primeiro lugar!

  • Dilek S G. Pregnancy Pilates and Benefits of Pregnancy Pilates during Childbirth. J Yoga & Physio. 2018; 5(1): 555652. DOI:10.19080/JYP.2018.05.555652.002
    King M, Green Y (2002) Pilates workbook for pregnancy. Octopus Publishing Group, Canada.
  • NCBI. (2009). Effects of natural childbirth preparation versus standard antenatal education on epidural rates, experience of childbirth and parental stress in mothers and fathers: a randomised controlled multicentre trial. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19538406
  • Balogh, A. (2005). Pilates and pregnancy. RCM Midwives : The Official Journal of the Royal College of Midwives, 8(5), 220—222. Retrieved from http://europepmc.org/abstract/MED/15960329