Para que serve a glicose?

03 Janeiro, 2020
A glicose possibilita que nossas células desempenhem todas as suas funções, como a multiplicação. No entanto, quando se acumula no sangue, pode provocar o aparecimento de doenças crônicas como a diabetes.
 

A glicose é uma das moléculas essenciais para a vida, pois é a principal fonte de energia para as células do nosso organismo. Ou seja, é o nutriente que permite que nossas células obtenham energia suficiente para desempenhar todas as suas funções.

É uma forma de açúcar encontrada livremente (como em frutas) e como parte de outras moléculas maiores, chamadas polissacarídeos. Os polissacarídeos mais conhecidos são o amido e glicogênio, encontrados no arroz, na carne e em outros alimentos.

É muito importante saber que está envolvida em praticamente todos os processos que fazem parte do nosso metabolismo. Neste artigo, explicamos para que serve e quais problemas estão relacionados a ela.

Para que serve a glicose?

Tipos de açúcar

Primeiramente, como já mencionamos, a glicose é um nutriente adquirido através dos alimentos. Durante todo o processo de digestão, ela é obtida e usada por todas as células do nosso corpo.

Quando ingerimos qualquer alimento, seus nutrientes, sejam ácidos graxos, proteínas ou carboidratos, passam para o sangue e atingem o fígado. Nesse órgão, são realizados procedimentos complexos que acabam transformando esses nutrientes em glicose.

 

Ela então, passa para o sangue e assim, através dele, pode atingir todas as partes do nosso corpo. As células usam essa molécula como combustível para obter energia. Fazem isso através de uma série de reações que são a base do nosso metabolismo.

Dessa maneira, a glicose permite que nossas células se nutram e cumpram todas as suas funções. Assim, ela participa da reprodução celular, do reparo tecidual, do movimento muscular, da função nervosa e assim por diante.

Quais problemas de saúde derivam da glicose?

Embora, como já tenhamos mencionado, não possamos viver sem glicose, também existem doenças relacionadas a essa substância. A mais importante e conhecida é a diabetes. É uma doença na qual a insulina não é produzida ou há resistência a ela.

A insulina é a substância que permite que a glicose passe para as células. Por assim dizer, é a “chave” dessa molécula. Quando nosso corpo é incapaz de produzi-la ou usá-la, grande parte da glicose permanece no sangue.

Isso faz com que as células tenham menos quantidade dessa molécula. Além disso, pode causar danos a muitos tecidos do corpo. Os mais afetados são geralmente os vasos sanguíneos, o coração e os rins.

Infelizmente, a diabetes é uma doença multifatorial que está aumentando sua incidência rapidamente hoje em dia. Isso ocorre por muitos fatores, como por exemplo, o estilo de vida sedentário e o tipo de alimento que ingerimos.

Para evitar todos os riscos que essa patologia acarreta, é muito importante manter um controle rigoroso da glicose no sangue. Além disso, devemos estar cientes de nossos hábitos de vida e tentar modificá-los.

 

Não deixe de ler também: Viajar com diabetes

Como a glicose é medida?

Medir a glicose no sangue

Hoje existem muitos métodos para controlar os níveis de glicose no sangue. É normal que a glicose esteja abaixo de 100 mg / dl quando estamos em jejum. Ou seja, quando está acima desses valores, pode significar que há um problema com sua passagem para as células.

Para a medição podemos utilizar um glicosímetro. É um dispositivo que, a partir de uma gota de sangue, fornece o resultado em alguns segundos. Você só precisa fazer uma pequena picada no dedo. Além disso, também é possível saber por um exame de sangue ou medindo na urina a glicose que é expelida pelos rins.

Você pode estar interessado: Diabetes sob controle: como posso fazer isso?

Em conclusão

A glicose é uma molécula essencial para a vida. Seus níveis no sangue muito altos ou muito baixos podem colocar nossa saúde em risco. Portanto, é importante checar esses níveis de tempos em tempos e fazê-lo continuamente, se houver risco de ser diabético.

 
  • Kharroubi AT, Darwish HM. Diabetes mellitus: The epidemic of the century. World J Diabetes. 2015;6(6):850–867. doi:10.4239/wjd.v6.i6.850
  • McMillin JM. Blood Glucose. In: Walker HK, Hall WD, Hurst JW, editors. Clinical Methods: The History, Physical, and Laboratory Examinations. 3rd edition. Boston: Butterworths; 1990. Chapter 141. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK248/
  • Pickering D, Marsden J. How to measure blood glucose. Community Eye Health. 2014;27(87):56–57.
  • Hantzidiamantis PJ, Lappin SL. Physiology, Glucose. [Updated 2019 Aug 13]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2019 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK545201/