Ondas de calor na menopausa: o que fazer?

21 Fevereiro, 2020
A grande maioria das mulheres sente ondas de calor na menopausa, provavelmente devido às alterações hormonais que ocorrem durante esta fase. Na maioria dos casos, a frequência e a intensidade dessas ondas de calor diminuem ao longo dos anos.
 

As ondas de calor na menopausa são calores súbitos sentidos no corpo. Elas constituem um sintoma comum em mulheres que atravessam essa fase da vida. Trata-se de uma manifestação desconfortável que, em muitos casos, permanece presente por muitos anos, causando desconforto.

Essas ondas de calor geralmente ocorrem durante a noite. Nesse caso, elas são chamadas de suores noturnos e afetam a qualidade do sono. Um bom número de mulheres sente que esse sintoma afeta significativamente suas vidas diárias.

Segundo várias pesquisas científicas, mulheres negras e hispânicas tendem a sofrer com as ondas de calor durante a menopausa por mais anos, em comparação com as mulheres brancas e asiáticas. Se os calores forem leves, dificilmente irão requerer tratamento. Por outro lado, quando se manifestam severamente, exigem medidas especiais.

Ondas de calor na menopausa

Mulher sentindo calor na menopausa
As ondas de calor na menopausa se caracterizam por uma forte sensação de calor em diferentes partes do corpo. Muitas vezes elas ficam mais intensas durante a noite, interrompendo o descanso.

As ondas de calor na menopausa são o principal motivo de consultas médicas durante esta fase. Geralmente, elas começam como um calor repentino que é sentido primeiro no rosto e no peito e depois se espalha por todo o corpo.

Elas geralmente duram entre dois e quatro minutos e surgem a qualquer momento, sem aviso prévio. Algumas mulheres também sofrem de sudorese, calafrios e pequenos tremores no final desses episódios.

 

Também há mulheres que experimentam palpitações e um forte sentimento de ansiedade durante as ondas de calor na menopausa. Normalmente, elas ocorrem uma ou duas vezes por dia, mas também podem se repetir com frequência, até uma vez a cada hora.

O comum é que essas ondas de calor comecem a aparecer durante a pré-menopausa. Após a menopausa em si, elas geralmente permanecem por uma média de cinco a sete anos, embora sua intensidade diminua com o tempo. Algumas mulheres sofrem por 10 anos.

Descubra também: A encruzilhada física e emocional da menopausa

Causas das ondas de calor na menopausa

A ciência não sabe o motivo exato pelo qual as ondas de calor ocorrem na menopausa. No entanto, acredita-se que se devam às súbitas variações hormonais que ocorrem durante esse estágio. Aparentemente, a diminuição do nível de estrogênio faz com que o sistema vasomotor do cérebro se comporte de maneira diferente. Isso afeta a temperatura do corpo.

Também foi estabelecido que o estresse emocional afeta a intensidade e a frequência das ondas de calor. Da mesma forma, refeições exageradas, ingestão de álcool e tabagismo exercem uma forte influência sobre esses episódios.

Estima-se que 80% das mulheres terão ondas de calor na menopausa. No entanto, apenas uma em cada quatro os sofrerá intensa e frequentemente. Para as outras, no entanto, este será um sintoma que passará despercebido ou que poderá ser gerenciado com o uso de um simples ventilador.

 

Como lidar com as ondas de calor?

Mulher na menopausa se consultando
Para gerenciar adequadamente as ondas de calor na menopausa, o médico pode sugerir mudanças no estilo de vida e medicamentos.

O tratamento médico para a administração das ondas de calor na menopausa é feito basicamente com medicamentos. Em alguns casos, é receitada uma terapia hormonal que consiste na ingestão de estrogênio.

No entanto, esse tipo de tratamento possui vários riscos, por isso a situação deve ser cuidadosamente avaliada pelo médico. Não é recomendado que a terapia de reposição hormonal exceda dois anos.

Em outros casos, é aconselhável usar medicamentos antidepressivos em doses baixas. A terapia antidepressiva não é tão eficaz no controle das ondas de calor severas quanto a terapia hormonal. Ela também gera vários efeitos colaterais, como tontura, náusea, boca seca, ganho de peso e diminuição do desejo sexual .

Em certos casos, anticonvulsivantes também podem ser prescritos para aliviar os sintomas em algumas mulheresRecentemente, um procedimento chamado “bloqueio do gânglio estrelado” está sendo usado para os casos mais graves. Consiste na aplicação de anestesia em vários nervos do pescoço. Sua eficácia é promissora, mas não comprovada.

Você também pode gostar de ler: Mudanças na menopausa: saiba como lidar com elas!

 

Informações adicionais

Por fim, as ondas de calor na menopausa não devem necessariamente ser tratadas farmacologicamente. Na maioria dos casos, algumas medidas caseiras são suficientes. Apenas muito raramente as ondas permanecem mais do que o esperado e requerem um tratamento especializado.

O mais aconselhável é manter uma dieta saudável, evitando alimentos condimentados e apimentados. Evite café e álcool, bem como alimentos excessivamente gordurosos. Perder peso é uma medida saudável. Se você fuma, é recomendável abandonar este hábito.

É apropriado usar roupas leves, feitas de fibras naturais, e manter os ambientes bem ventilados. Muitos profissionais recomendam a prática regular de exercícios de relaxamento, como ioga ou tai chi, pois o estresse é um fator que aumenta as ondas de calor.

 
  • Juliá, M. D., Ferrer, J., Allué, J., Bachiller, L. I., Beltrán, E., Cancelo, M. J., … & Mendoza, N. (2008). Posicionamiento de la Asociación Española para el Estudio de la Menopausia sobre el uso clínico de las isoflavonas en el climaterio. Progresos de obstetricia y ginecología, 51(3), 146-161.
  • Im EO. Ethnic differences in symptoms experienced during the menopausal transition. Health Care Women Int. 2009;30(4):339–355. doi:10.1080/07399330802695002
  • Morrow PK, Mattair DN, Hortobagyi GN. Hot flashes: a review of pathophysiology and treatment modalities. Oncologist. 2011;16(11):1658–1664. doi:10.1634/theoncologist.2011-0174
  • Freedman RR. Menopausal hot flashes: mechanisms, endocrinology, treatment. J Steroid Biochem Mol Biol. 2014;142:115–120. doi:10.1016/j.jsbmb.2013.08.010
  • Lugo T, Tetrokalashvili M. Hot Flashes. [Updated 2019 Apr 5]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2019 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK539827/