O que significa "parafilia" e que tipos existem?

A parafilia é entendida como um desvio no comportamento sexual que leva as pessoas a cometer atos irracionais ou que escapam à moralidade.
O que significa "parafilia" e que tipos existem?

Última atualização: 07 janeiro, 2022

Se entende por “parafilia” as fantasias sexuais ou atos que fogem do convencional. Interpreta-se que a excitação ocorre por meio da satisfação dessas fantasias, por exemplo: incluir objetos, animais ou outras pessoas de fora do relacionamento faz parte dessa definição.

A parafilia é conhecida como um desejo impossível de controlar, que vai além da vontade das pessoas. Aquelas que sofrem de algum tipo de parafilia geralmente não passam por tratamento psicológico. Em vez disso, elas consideram que essa é uma condição normal da própria vida íntima, enquanto para o resto da sociedade isso parece extremamente extravagante e difícil de entender. Alguns tipos de parafilia são até passíveis de punição por lei.

Tipos de parafilia

A parafilia pode ser leve, moderada ou grave. No primeiro grupo estão aquelas que raramente são expressas ou manifestadas. Em seguida estão os comportamentos mais explícitos, mas ainda controlados. E o último extremo são aquelas que dominam completamente a vida das pessoas.

Segundo artigo publicado em 2000 na Revista Arquivo Médico de Camagüey, a quarta edição do manual para diagnóstico e estatística de transtornos mentais (DSM IV) indica como parafilias o exibicionismo, fetichismo, frotteurismo, pedofilia, masoquismo, voyeurismo e a parafilia não classificada.

Por outro lado, a American Psychiatric Association publicou em 2013 a quinta edição do DSM. Nesta nova edição os distúrbios parafílicos são classificados em 8 grandes grupos: voyeurismo, exibicionismo, frotteurismo, sadismo, masoquismo, pedofilia, fetichismo, travestismo. O restante das parafilias são agrupadas na categoria de transtorno parafílico não especificado.

1. Exibicionismo

O exibicionismo é uma espécie de parafilia.

Consiste em alcançar o êxtase mostrando os órgãos genitais a outras pessoas que são tomadas de surpresa. Em outros casos o que os exibicionistas fazem é se masturbar em público. A maior satisfação deles é observar a reação das pessoas.

O exibicionismo pode ser menos evidente, incluindo comportamentos como mostrar grande parte do corpo sem roupa ou fazer com que os outros olhem e percebam a presença da pessoa.

2. Masoquismo

É praticado um jogo sexual no qual os golpes são encorajados ou os movimentos do parceiro são inibidos. Também consiste em diversas formas de humilhação. Desta forma, os desejos ocultos de ser dominado são satisfeitos. O mais comum é uma encenação na qual uma das pessoas assume o lugar de dominante e a outra de dominada.

O masoquista busca na dor física e emocional a excitação e o prazer sexual. Além disso ela também pode buscar ativamente a humilhação social como meio de gratificação.

A quinta edição do DSM divide esta parafilia em 2 tipos diferentes: masoquismo e sadismo sexual. O masoquismo envolve a excitação de ser espancado, humilhado ou subjugado pelo parceiro. Por sua vez, o sadismo sexual se refere à excitação que ocorre ao submeter outra pessoa de forma física ou psicológica.

3. Fetichismo

Elementos para fazer sexo pervertido.

Essa pessoa precisa incluir no sexo algum elemento com o qual ela tenha uma obsessão. O uso de salto alto é muito comum entre as pessoas que sofrem deste tipo de parafilia.

Portanto, o problema está no objeto em relação ao qual o desejo sexual é produzido. Não se trata de desejo por uma pessoa, mas sim por um objeto inanimado.

O travestismo é um tipo específico de parafilia fetichista que alguns livros consideram como uma parafilia adicional. Nesse caso a pessoa se excita ao usar roupas tidas como do sexo oposto. Esse tipo de fetiche não é ilegal, e apenas representa uma patologia quando provoca ansiedade em quem sofre com ela, impedindo-a de levar uma vida normal.

4. Necrofilia

Seja através da imaginação ou pela prática real, os necrófilos gostam de corpos imóveis. Especificamente, eles alcançam um verdadeiro prazer em fazer sexo com cadáveres. De fato, vários filmes apresentam cenas deste tipo, mostrando uma realidade difícil de compreender.

5. Voyeurismo

As pessoas que sofrem dessa parafilia se excitam com o risco de serem descobertas ao espionar os outros. Elas tentam observar pessoas nuas ou fazendo sexo. Uma grande porcentagem se masturba enquanto assiste, mas sempre de forma bem escondida.

6. Asfixiofilia

A principal característica desse comportamento sexual é estrangular o parceiro durante a relação sexual. A pressão é forte o suficiente para excitar, mas não para provocar danos reais. No entanto, é importante estar atento à reação da pessoa que está sendo sufocada para evitar acidentes não intencionais.

7. Escopofilia

Ao contrário do voyeurismo, as pessoas com essa parafilia gostam de observar abertamente os outros fazendo sexo. Algumas chegam ao clímax vendo o próprio parceiro na cama com um terceiro.

8. Pedofilia

A pedofilia é um tipo de parafilia que é punida por lei.

Esse é um dos tipos de parafilia mais repudiados por todas as sociedades, um crime que todas as nações e culturas desejam combater. Os pedófilos sentem excitação sexual por crianças. Alguns ficam satisfeitos apenas em imaginá-los, mas outros vão muito mais longe, utilizando de pornografia infantil e agressões sexuais como comportamentos típicos, infelizmente.

9. Frotteurismo

São aquelas pessoas inconvenientes que esfregam os órgãos genitais nos outros em um lugar público. No metrô, no ônibus ou na fila para entrar em um recital, por exemplo, elas ganham coragem, aproveitando o espaço pequeno para tocar com seus membros em uma vítima.

10. Zoofilia

A excitação sexual é provocada por animais. É possível definir zoofilia como a atração sexual e bestialismo como o ato em si. Em alguns países ela é ilegal, enquanto em outros não existe uma legislação específica sobre esse assunto.

As pessoas que sofrem de parafilias associais muitas vezes se sentem vítimas de si mesmas. As que procuram ajuda profissional passam por tratamentos para controlar possíveis crises compulsivas. A compulsão é a causa de muitos crimes relacionados à parafilia.

Muitas pessoas caem em diferentes parafilias pela necessidade de provar a si mesmas que têm poder. Outra causa é o desejo de provar que elas podem correr riscos e saírem vitoriosas.

As parafilias estiveram presentes ao longo da história da humanidade e eram definidas como perversões. Com os avanços tecnológicos, os tipos entre os quais elas podem ser classificadas aumentaram. Além disso novos desvios surgiram com a utilização de elementos que antes não existiam.

This might interest you...
O que é spanking? Saiba tudo sobre esta prática sexual
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
O que é spanking? Saiba tudo sobre esta prática sexual

A imaginação desempenha um papel importantíssimo nas relações sexuais. Hoje, vamos falar sobre o spanking, uma prática que pode ser muito excitante...



  • Alfageme Redondo M.S., Martínez Pérez-Crespo Á.. El papel del impulso sexual como elemento mediador de la autoestima en un agresor sexual con múltiples parafilias. Cuad. med. forense  [Internet]. 2016  Jun [citado  2018  Dic  03] ;  22( 1-2 ): 40-45. Disponible en: http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1135-76062016000100006&lng=es.
  • Peña Galbán Liuba Y, Casas Rodríguez Liudmila, Padilla de la Cruz Manuel, Barreras López Olga Lidia, Gallardo Alvarez Mayra. Trastornos múltiples de la inclinación sexual. Presentación de un caso. AMC  [Internet]. 2000  Jun [citado  2018  Dic  03] ;  4( 3 ). Disponible en: http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1025-02552000000300017&lng=es.
  • Rangel, Lucía. (2010). El sadomasoquismo: una estructura circular. En-claves del pensamiento4(8), 29-43. Recuperado en 03 de diciembre de 2018, de http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-879X2010000200002&lng=es&tlng=es.
  • Serrano, R. H. (2013). Parafilia una clasificación fenomenológica. Revista Sexología y Sociedad, 8(20).
  • Kafka, M. P. (2000). The paraphilia-related disorders. Principles and practice of sex therapy, 471-503.