O que são alimentos de alto valor?

Vamos mostrar em que consiste a alimentação de alto valor, uma abordagem dietética que busca melhorar a saúde através da alimentação.
O que são alimentos de alto valor?

Última atualização: 25 julho, 2022

A alimentação de alto valor é um mecanismo dietético que prioriza o consumo de alimentos com alta densidade nutricional e não está sujeito a restrições estritas. Mesmo produtos pouco saudáveis poderiam ter um lugar aqui.

Porém, neste último caso, busca-se que a presença de produtos pouco saudáveis seja sempre em quantidades controladas para que não causem danos ao meio ambiente interno. O importante, neste caso, é estar atento aos sinais do organismo e ouvir as necessidades de cada momento.

Antes de começar, deve-se notar que manter uma dieta saudável é fundamental para alcançar uma boa saúde ao longo do tempo. Para isso, é aconselhável garantir variedade e equilíbrio ao nível energético.

Para este último não é necessário contar calorias constantemente. Em muitas ocasiões, será suficiente guiar-se pelos mecanismos de apetite e saciedade, pois em muitas pessoas eles funcionam de maneira ideal.

Os princípios básicos da alimentação de alto valor

Um dos princípios da nutrição de alto valor é escolher rotineiramente os alimentos frescos que são capazes de fornecer uma boa quantidade de nutrientes de qualidade.

Assim, garante-se o atendimento das necessidades nutricionais, o que ajudará a evitar déficits que possam condicionar negativamente o funcionamento do organismo. Agora, você também não precisa ficar obcecado com isso, não há problema em comer algo diferente ou calórico de vez em quando.

Dieta climática: em que consiste?
Alimentos frescos são a base da alimentação de alto valor.

Como regra geral, deve-se notar que muitas dietas são insuficientes em elementos como proteínas. Estas têm se mostrado essenciais para prevenir o desenvolvimento de patologias que podem afetar a massa magra, como a sarcopenia. A inclusão regular de alimentos como leguminosas, por exemplo, ajudará a prevenir esse problema, garantindo a recuperação do tecido.

Por outro lado, o fato de garantir a ingestão de micronutrientes presentes em produtos frescos será decisivo. Estes são sempre encontrados em pequenas quantidades, mas são necessários para o bom funcionamento do corpo.

Os micronutrientes mencionados participam de muitos processos fisiológicos diferentes. Em caso de deficiência, seria necessário recorrer à suplementação para evitar o desenvolvimento de problemas crônicos.

Alimentos processados na alimentação de alto valor

Em geral, a presença habitual de alimentos industrializados na dieta é desencorajada. Esses produtos contêm açúcares simples, gorduras trans e aditivos artificiais que podem ser prejudiciais à saúde humana. Esses lipídios aumentam os níveis de inflamação no ambiente interno, condicionando o estado de saúde. Isso é evidenciado por uma investigação publicada no BMJ.

No entanto, você não deve eliminar completamente esses alimentos de sua dieta, ou se sentir culpado depois de consumi-los. A alimentação de alto valor indica que nada acontece se houver uma ingestão pontual, desde que incluída no quadro de um padrão equilibrado e variado. Assim, desde que os alimentos frescos sejam priorizados na dieta, a ingestão pontual não deveria ser prejudicial.

2 deliciosas receitas para sua dieta de definição.
Na alimentação de alto valor, não existem alimentos “bons” e alimentos “ruins”.

Nesse sentido, a alimentação de valor defende que não existem alimentos bons ou ruins como tal, mas que tudo depende do contexto. Por exemplo, o excesso de açúcares simples pode ser negativo para pessoas sedentárias. De acordo com um estudo publicado no Current Diabetes Reports, eles aumentam o risco de desenvolver diabetes. No entanto, para os atletas são necessários em quantidades relativamente altas.

A importância dos hábitos

No entanto, para manter um bom estado de saúde, seria necessário combinar uma dieta de alto valor com uma série de hábitos ao longo do tempo. Por exemplo, será decisivo realizar atividade física de forma regular, priorizando acima de tudo o trabalho de força muscular. Desta forma, a inflamação no ambiente interno é mantida controlada, garantindo que os processos fisiológicos sejam realizados de forma eficiente.

Da mesma forma, é aconselhável garantir 7 ou 8 horas de sono de boa qualidade todas as noites. Durante o repouso, o corpo humano realiza uma série de processos de reparação tecidual, essenciais para que tudo funcione corretamente no dia seguinte. Além disso, os metabólitos tóxicos que foram gerados ao longo do dia serão eliminados.

Alimentos de alto valor, um mecanismo dietético que busca a saúde

Como você viu, alimentos de alto valor são um tipo de dieta flexível que visa ajudar a melhorar a saúde. Não se concentra tanto nas calorias ou na contribuição de um determinado nutriente em particular. Centra-se nas sensações e na variedade da dieta, com a promoção de alimentos frescos, mas sem exercer restrições. Isso garante aderência e sustentabilidade.

Finalmente, uma ênfase especial deve ser dada à necessidade de se ter cuidado com dietas restritivas. Muitos delas acabam gerando ansiedade ao longo do tempo. A partir daqui, é possível experimentar um efeito rebote subsequente que é muito contraproducente. É sempre melhor propor algo mais flexível.

Pode interessar a você...
Dieta do paradoxo dos vegetais: o que é, como funciona e quais são seus riscos
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Dieta do paradoxo dos vegetais: o que é, como funciona e quais são seus riscos

A dieta do paradoxo dos vegetais está comprometida em restringir a ingestão de lectinas para perder peso e melhorar a saúde.



  • Naseeb, M. A., & Volpe, S. L. (2017). Protein and exercise in the prevention of sarcopenia and aging. Nutrition research (New York, N.Y.)40, 1–20. https://doi.org/10.1016/j.nutres.2017.01.001
  • de Souza, R. J., Mente, A., Maroleanu, A., Cozma, A. I., Ha, V., Kishibe, T., Uleryk, E., Budylowski, P., Schünemann, H., Beyene, J., & Anand, S. S. (2015). Intake of saturated and trans unsaturated fatty acids and risk of all cause mortality, cardiovascular disease, and type 2 diabetes: systematic review and meta-analysis of observational studies. BMJ (Clinical research ed.)351, h3978. https://doi.org/10.1136/bmj.h3978
  • Yoshida, Y., & Simoes, E. J. (2018). Sugar-Sweetened Beverage, Obesity, and Type 2 Diabetes in Children and Adolescents: Policies, Taxation, and Programs. Current diabetes reports18(6), 31. https://doi.org/10.1007/s11892-018-1004-6