O que é lavagem peritoneal diagnóstica

· 22 de abril de 2019
A lavagem peritoneal é um procedimento médico muito útil no diagnóstico de doenças relacionadas com a cavidade abdominal.

Atualmente, a lavagem peritoneal diagnóstica se trata de um exame médico altamente confiável do abdômen que produz uma quantidade mínima de falsos positivos. Além disso, é utilizado em conjunto com outras imagens de diagnóstico médico. É o caso da TC (tomografia computadorizada axial) ou de RM (Ressonância magnética).

Por outro lado, o peritônio consiste em uma membrana fina e muito resistente, encontrada na cavidade abdominal. Desse modo, possui duas camadas que se encontram unidas à face externa das vísceras (peritônio visceral) e ao interior do abdômen (peritônio parietal).

Imagem da lavagem peritoneal diagnóstica

Entre elas se situa a cavidade peritoneal na qual armazena uma pequena quantidade de líquido. Assim, é diminuída a fricção ou atrito entre as diferentes camadas, porque atua como um lubrificante.

De um modo habitual, cumpre importantes funções de apoio e proteção aos órgãos localizados no nível abdominal. No entanto, suas tarefas podem ser afetadas se o peritônio sofre alguma alteração desenvolvida a partir de uma doença, de um traumatismo, etc…

Descubra ademais: Mamão, chá verde e aloe vera: o melhor remédio para a inflamação abdominal

Como é realizada a lavagem peritoneal diagnóstica?

Em primeiro lugar, a equipe médica e de enfermagem preparará todo o material necessário para a intervenção. Além disso, devem ser seguidas as normas de higiene habituais e explicar o procedimento ao paciente, se for possível.

Por outro lado, às vezes a lavagem peritoneal para o diagnóstico pode ser contraindicada ou não recomendada. Por exemplo, se o paciente sofreu numerosas cirurgias abdominais. Outros fatores do paciente a considerar são obesidade, gravidez, cirrose em estado grave, problemas de coagulação, entre outros.

Antes de iniciar a lavagem peritoneal diagnóstica, devem ser utilizadas a sonda vesical e a sonda nasogástrica para garantir a confiabilidade do exame.

Depois, é desinfetada a futura área de incisão e aplicada a anestesia correspondente. Normalmente são utilizados compostos químicos como a lidocaína. Desta forma, o sujeito não sentirá desconforto intenso durante a técnica de lavagem.

Como é realizada a lavagem peritoneal diagnóstica

Em seguida, uma incisão é feita com a ajuda de um bisturi, atravessando as diferentes camadas de tecido até atingir o peritônio. Usando separadores, o grupo de especialistas pode obter uma melhor visão da membrana. Além disso, deve-se prestar atenção à hemostasia para evitar que o sangue inunde a cavidade abdominal exposta.

Depois, realiza-se uma incisão mínima no peritônio. Através da abertura criada, deve ser inserido um cateter de diálise peritoneal. Uma vez colocado, deve se acoplar uma seringa ao cateter e aspirar. Se forem obtidas amostras de sangue, matéria fecal, bile, urina ou líquido intestinal, o resultado é positivo, e se realiza uma laparotomia.

Talvez você esteja interessado em ler: 5 dicas sobre o que a sua dieta para definir o abdômen deve ter

Técnica de lavagem

Caso esses resultados não sejam obtidos, a equipe médica administra um litro de solução salina na cavidade. A maca ou o paciente deve ser movido para que o fluido se estenda ao longo de toda a cavidade, e se misture com o sangue da zona.

Depois de esperar alguns minutos, deve ser drenado naturalmente (com a ajuda da gravidade) o líquido na cavidade. Desta maneira, se obtém uma série de amostras que devem ser analisadas em um centro especializado, como um laboratório.

De acordo com os resultados obtidos, o grupo de especialistas pode determinar a causa da alteração abdominal. Testes também podem ser realizados para obter imagens internas da região abdominal para facilitar o diagnóstico.

Finalmente, é possível que a equipe de médicos correspondente cometa um erro durante a intervenção. Nesta situação, podem ocorrer várias complicações ou alterações. Por exemplo, perfuração de órgãos, ou hemorragia na área.

Em qualquer caso, as camadas de tecido seccionadas são suturadas com o auxílio de material reabsorvível. Assim, não há necessidade de extrair as uniões que mantém próximas o extremo da fáscia ou da pele. Além disso, é geralmente colocado um curativo firme sobre a ferida para promover a cicatrização, e evitar possíveis complicações ou infecções.

 

  • Schultz, D. J., & Weigelt, J. A. (2003). Diagnostic peritoneal lavage. Operative Techniques in General Surgery. https://doi.org/10.1016/S1524-153X(03)70005-0
  • Jansen, J. O., & Logie, J. R. C. (2005). Diagnostic peritoneal lavage – An obituary [5]. British Journal of Surgery. https://doi.org/10.1002/bjs.5222
  • Whitehouse, J. S., & Weigelt, J. A. (2009). Diagnostic peritoneal lavage: a review of indications, technique, and interpretation. Scandinavian Journal of Trauma, Resuscitation and Emergency Medicine. https://doi.org/10.1186/1757-7241-17-13