O óleo de rícino: indicações e contraindicações

17 de dezembro de 2019
Você sofre de prisão de ventre? Sabia que o óleo de rícino pode te ajudar? Hoje você vai descobrir indicações e contraindicações.

O óleo de rícino é extraído das sementes de Ricinus communis e é uma opção natural com diferentes propriedades. No entanto, é conveniente se aprofundar nas indicações e contraindicações desse óleo, devido à importância que tem para a nossa saúde.

Devemos nos lembrar de que, embora os produtos naturais geralmente não tenham efeitos secundários, em alguns casos é necessário checar se não há nenhuma condição em que seu uso não é, de maneira alguma, recomendado.

Informações sobre o óleo de rícino

Para poder falar sobre as indicações e contraindicações do óleo de rícino, é importante analisar sua ficha técnica obtida por meio da Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos Sanitários (AEMPS). Nela também podemos encontrar outras informações, como sua composição e sua forma farmacêutica.

Indicações

As pessoas que recorrem a esse óleo, o fazem com um propósito claro: facilitar o esvaziamento intestinal. É uma maneira natural de aliviar a prisão de ventre, seja ocasional ou frequente. No entanto para utilizá-lo corretamente, é importante levar em consideração as seguintes informações:

  • O óleo de rícino sempre deve ser administrado em jejum, em uma única dose de 25 ml.
  • Para tomar, pode ser misturado com leite, suco ou bebidas gaseificadas.
  • Seus efeitos começam a ser percebidos entre 2 e 6 horas depois de ingerido.
Óleo de rícino ajuda a ir ao banheiro

Um dado importante sobre esse óleo é que sempre deve ser tomado durante o café da manhã, nunca à noite. Se você for estar fora de casa e tiver medo de que a vontade de evacuar apareça em um momento inadequado, é preferível utilizar o óleo de rícino em outro momento mais propício.

Confira também os: Fatores que causam prisão de ventre

Contraindicações

Apesar dos benefícios do óleo de rícino para combater a prisão de ventre, existem algumas contraindicações que é necessário levar em consideração para não fazer um mal uso desse remédio natural. Vamos analisar algumas delas:

  • Crianças: devido à hipersensibilidade que as crianças menores de 12 anos apresentam a esse tipo de óleo, não é uma opção recomendada para elas.
  • Grávidas: assim como afirmado no artigo ‘Evaluación de nuevos productos‘ (‘Avaliação de novos produtos’), esse óleo não deve ser utilizado por mulheres grávidas, pois pode provocar contrações e um parto prematuro.
  • Amamentação: como os bebês não podem consumir óleo de rícino, as mães não devem ingeri-lo enquanto estiverem no período de amamentação, visto que pode ser passado via leite materno.
  • Síndrome do intestino irritável: devido à delicadeza dessa doença, o óleo de rícino não é recomendável, nem mesmo em casos de prisão de ventre.
  • Obstrução intestinal: o óleo de rícino pode não ser efetivo nesses casos, provocando uma dor abdominal aguda devido à impossibilidade de evacuar.
Homem com dor de barriga

O óleo de rícino também não deve ser utilizado se a pessoa tiver hemorroidas, colite ou outros problemas. Isso não apenas por causa da dor causada por essas condições, mas também pela desidratação que o consumo desse óleo pode provocar.

Além disso, seu uso também não é aconselhável se estivermos tomando medicamentos para a arritmia ou diuréticos, ou se tivermos alguma condição cardíaca.

Conselhos para utilizar o óleo de rícino

Se levarmos em consideração todos os aspectos anteriores, o óleo de rícino pode ser um excelente aliado para tratar os casos de prisão de ventre. No entanto, em caso de dúvidas, sempre é preferível pedir conselhos ao nosso médico ou farmacêutico de confiança.

Apesar de poder contar com esse óleo para facilitar a evacuação das fezes, não é positivo recorrer a ele com frequência. Por isso, o ideal é prevenir a prisão de ventre, recorrendo a uma dieta rica em frutas e verduras. Além disso, não devemos deixar de incluir o exercício físico como parte da nossa rotina.

Leia também: Como curar a prisão de ventre sem laxantes convencionais

Alguma vez você já usou o óleo de rícino para aliviar a prisão de ventre? Como foi sua experiência? Esperamos que as indicações e contraindicações que apresentamos tenham te ajudado a conhecer melhor a maneira correta de consumir esse óleo.

Paralelamente, recomendamos nunca exceder a dose recomendada. Em caso de sobredosagem, podem aparecer sintomas como diarreia, cólicas agudas ou uma perda grave de eletrólitos. Por isso, o óleo de rícino sempre deve ser utilizado com precaução.

  • Cañete Sera, Nielser, Martínez Aguilar, Yordan, Más Toro, Dairon, & Ruiz Corrales, Cristina. (2018). Inducción de diarrea metabólica con aceite ricino en aves neonatales. Revista de Producción Animal30(3), 63-65. Recuperado en 09 de julio de 2019, de http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2224-79202018000300010&lng=es&tlng=es.
  • Nogueira, B. M., Carrúez, A. J., & Barriga, E. G. Tratamiento de la diarrea y del estreñimiento. FARMACOLOGÍA CLÍNICA Y TERAPÉUTICA MÉDICA, 323.
  • Peiro, P. S., Lucas, M. O., & Tejero, S. S. (2010). Cuidados en el estreñimiento. Medicina naturista4(2), 15-22.