A síndrome do intestino irritável e o papel da dieta

· 13 de maio de 2019
A Síndrome do Intestino Irritável é uma das doenças gastrointestinais mais frequentes no presente. Para o seu controle a dieta exerce uma ação muito importante, como afirmam numerosos estudos.

Sem dúvida alguma, as pessoas que sofrem de síndrome do intestino irritável podem se sentir inseguras para continuar com uma vida normal, diante dos sintomas que podem ter. Controlar a dieta é uma grande ajuda para evitar surtos, mal-estar, e dor.

É por isso que neste artigo nós lhes dizemos como melhorar esta situação. Nós convidamos você a continuar lendo e aprender mais!

O que é a síndrome do intestino irritável?

A síndrome do intestino irritável (SII), mais conhecida como cólon irritável, é um distúrbio funcional crônico do trato gastrointestinal. Seus principais sintomas são dor ou desconforto abdominal, inchaço abdominal e alteração do hábito intestinal (constipação ou diarreia).

Essa síndrome é o distúrbio gastrointestinal mais frequentemente diagnosticado e a segunda causa de absenteísmo no trabalho após o resfriado comum. Entre 10 e 20% da população experimentam sintomas de intestino irritável durante toda a vida. Mas apenas 15% dos afetados consultam um médico sobre isso.

Dieta para o cólon e intestino irritável

Sucos para combater sintomas do intestino irritável

Através da dieta pode-se controlar a síndrome do intestino irritável de forma eficaz. A dieta da pessoa com síndrome do intestino irritável deve ser personalizada para cada caso. Como diretrizes gerais podemos destacar:

  • Em primeiro lugar, moderar o consumo de fibras insolúveis (a partir de alimentos integrais) na dieta, de modo a não contribuir mais para desequilíbrios no trânsito intestinal.
  • Além disso, aumentar o consumo de fibras solúveis (na forma de gomas, pectinas e mucilagens) na dieta. Isso pode ser feito com a ajuda de alimentos, por meio de vegetais que ajudem a nossa saúde digestiva.
  • Também, evitar alimentos ricos em gordura, frutas cítricas (especialmente laranja) e espinafre, para reduzir e neutralizar o efeito laxante produzido pelos sais biliares (bile) no cólon.
  • Por outro lado, diminuir o consumo de frutose (um tipo de açúcar simples que é encontrado principalmente em frutas). Escolha frutas que são mais pobres em açúcar e mais ricas em pectina, como a maçã com casca. Não é apropriado tomar sucos de frutas ou néctares.
  • Eliminar totalmente o consumo de adoçantes, como sorbitol, alimentos ou temperos picantes, gás (em bebidas), café e chá.
  • Finalmente, beber dois litros de água por dia. É muito importante garantir a hidratação quando há diarreias. Recomenda-se beber água ou infusões suaves, como a tília e a lúcia-lima (que não têm efeito laxante). Além disso, um suprimento suficiente de líquidos também ajudará a combater a constipação.

Leia também: Chá de gengibre e camomila para tratar a síndrome do intestino irritável

Síndrome do intestino irritável e dieta FODMAP

A dieta FODMAP foi desenvolvida por pesquisadores da Universidade Monash, na Austrália. A FODMAP é a soma das iniciais das palavras inglesas que em português são os oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos fermentáveis ​​e polióis. Estes são todos carboidratos de cadeia curta.

Assim então, a dieta FODMAP é a alimentação baixa ou sem frutose, lactose, frutanos, galactanos e polióis, que estão presentes nos seguintes alimentos:

  • Frutas: como maçã e pera.
  • Vegetais: como cebola, aspargo e alho.
  • Legumes: como ervilhas, soja e lentilhas.
  • Cereais: trigo e derivados, centeio e cevada.
  • Frutos secos.
  • Produtos lácteos: como leite, queijo, sorvete e iogurte. Avaliar a tolerância.
  • Adoçantes artificiais: produtos contendo sorbitol (E420), manitol (E421), isomalte (E953), maltitol (E965) e xilitol (E967), etc…

Qual é a relação entre SII e a dieta FODMAP?

Qual é a relação entre a síndrome do intestino irritável e a dieta FODMAP

A sigla FODMAP refere-se a alimentos que devem ser evitados ou reduzidos na dieta de uma pessoa com intestino irritável.

Os oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos fermentáveis ​​e polióis em algumas pessoas não são 100% absorvidos no intestino delgado.

Assim, essas moléculas não absorvidas continuam seu caminho até alcançar o intestino grosso, onde atuam como alimento para as bactérias que lá habitam normalmente. Lá, as bactérias fermentam os FODMAPs e causam os sintomas descritos na definição de Síndrome do Intestino Irritável.

Portanto, uma dieta pobre em FODMAP poderia ajudar a reduzir os sintomas da síndrome do intestino irritável, e também outras doenças inflamatórias intestinais, como a colite ulcerativa, ou a doença de Crohn.

Você pode estar interessado em ler: As dores nas articulações estão relacionadas com as bactérias no intestino?

O que dizem os estudos? Existe um consenso?

Em conclusão, após a primeira pesquisa australiana em 2005, tem havido vários estudos que foram realizados para avaliar o possível efeito da dieta FODMAP na Síndrome do Cólon Irritável.

Por outro lado, muitas investigações confirmam os efeitos positivos dessa dieta em pacientes com SII e evidenciam o uso da dieta FODMAP como tratamento. Mas existem outras pesquisas e profissionais de saúde que duvidam do desenho e da eficácia da dieta como um tratamento com SII.

Isso porque alguns estudos observaram que há poucas evidências para sustentar a hipótese e que, além disso, os estudos disponíveis até o momento apresentam limitações significativas. Apesar disso, é essencial a concepção e monitoramento da dieta FODMAP por parte de um dietista-nutricionista.

  • Decher N, Krenitsky J. Tratamiento Nutricional médico en los trastornos intestinales, capítulo 29. En Mahan LK, Escott-Stump S, Raymond JL.
  •  KRAUSE Dietoterapia. Edición en español de la decimotercera edición de la obra Krause`s Food and the Nutrition Care Procces. Ed. Elsevier. Barcelona, España 2013.
  •  El-Salhy M, Gundersen D. Diet in irritable bowel síndrome. Nutrition Journal 2015; 14:36.
  •  Gibson PR, Shepherd SJ. Evidence-based dietary management of funtional gastrointestinal symptoms: the FODMAP approach. J Gastroenterol Hepatol 2010; 25: 252.
  • Magge, S., & Lembo, A. (2012). Low-FODMAP Diet for Treatment of Irritable Bowel Syndrome. Gastroenterology & hepatology8(11), 739-45.