O que é a metrorragia e qual é o seu tratamento?

22 de maio de 2020
Metrorragia é um sangramento vaginal que ocorre no intervalo entre os períodos menstruais. Diante desta condição, é necessário ir ao ginecologista para investigar o que está acontecendo.

Se você está tendo sangramento vaginal fora do período menstrual, precisa saber o que é metrorragia e como tratá-la, pois provavelmente é isso que está acontecendo.

O sangramento vaginal que ocorre entre os períodos menstruais é conhecido como metrorragia. A menstruação costuma durar de 3 a 7 dias e o descanso entre períodos pode ser de 24 a 35 dias; a metrorragia é a perda de sangue que ocorre nesse intervalo.

O que é metrorragia?

Os estudos indicam que a metrorragia é um dos sangramentos genitais mais comuns em mulheres em idade reprodutiva, e também é uma das causas mais comuns de anemia. Ela tem origem no útero quando não há presença de patologias orgânicas ou de gravidez. Portanto, uma investigação nesse sentindo poderá ajudar a identificar a origem da anemia.

Dores no ciclo menstrual
O sangramento vaginal entre os períodos menstruais que parece não ter causa específica, como uma gravidez, é conhecido como metrorragia.

Quais são as causas?

Esse sangramento entre os ciclos menstruais pode ter origens diversas, associadas a várias patologias e problemas. No entanto, geralmente é uma condição que pode ser tratada. Algumas das causas são:

  • Hiperplasia endometrial: ocorre quando o endométrio (mucosa que reveste o útero) aumenta excessivamente de tamanho e causa sangramento. Geralmente ocorre devido à presença de altos níveis de estrogênio e níveis baixos de progesterona.
  • Cervicite: é a inflamação do colo do útero.
  • Miomas e pólipos: Os tumores que crescem dentro do útero podem causar sangramento vaginal; no entanto, na maioria das vezes são benignos.
  • Infecções sexualmente transmissíveis (DSTs): como clamídia, por exemplo, ou gonorreia, capazes de causar sangramento.
  • Lesões na abertura vaginal: que podem surgir como resultado de trauma, relação sexual, infecção, verrugas genitais ou pólipos.
  • Hipotireoidismo: algumas alterações hormonais também podem desencadear sangramentos, entre outros distúrbios associados à menstruação.
  • Gravidez ectópica: isto é, quando o embrião está implantado fora do útero.
  • Aborto: que é acompanhado por material de tecido e cólicas.
  • Menopausa: como efeito da secura vaginal, produzido pela drástica diminuição do nível de estrogênio.
  • Uso de hormônios: como tratamentos de estrogênio, além do uso de pílulas anticoncepcionais ou do dispositivo intrauterino (DIU).
  • Abuso de medicamentos anticoagulantes: algumas mulheres nessa situação também têm sangramento ou problemas de coagulação do sangue.

Para estabelecer um diagnóstico apropriado de metrorragia, é essencial excluir sangramentos provenientes da urina e do reto. Ou seja, o sangramento deve ser vaginal.

Você também pode se interessar: 9 aspectos importantes sobre a endometriose que todos deveriam saber

Diagnóstico de metrorragia

Mulher em consulta ginecológica
Na presença de sangramento irregular, é importante ir ao ginecologista e fazer os exames adequados.

O médico poderá indicar exames de sangue, além de outros tipos de exames, para desconsiderar outros problemas e estabelecer um diagnóstico. Um exame de sangue verifica os níveis hormonais, um ultrassom examina o útero, uma cultura cervical permitiria descartar infecções sexualmente transmissíveis, e assim por diante.

Muitas pesquisas sobre este assunto também têm enfatizado que há uma relação entre a metrorragia e a obesidade. Além disso, os estudos indicam que para estabelecer um diagnóstico com mais precisão, é necessário descartar doenças orgânicas (a nível vulvar, vaginal, cervical, miomas, pólipos, massas pélvicas, entre outros).

Leia também: 8 dados sobre a masturbação feminina

Qual é o tratamento para a metrorragia?

O tratamento da metrorragia vai depender da sua origem. Ou seja, o médico estabelecerá o tratamento após identificar a causa. Se a causa estiver relacionada à menopausa, o médico pode solicitar certos exames de hormônios, como os de estrogênio ou progesterona.

Se a metrorragia ocorre devido ao uso de DIU ou de contraceptivoso médico poderá mudar o método ou a pílula. Ele também poderá indicar medicamentos para tratar infecções sexualmente transmissíveis, se for o caso.

A cirurgia pode ser necessária se o problema for causado por pólipos, aborto espontâneo, tumores ou gravidez ectópica. A literatura médica também menciona que o tratamento para a metrorragia deve estar focado em três objetivos:

  • Conter o sangramento,
  • Regular o ciclo,
  • Tratar a deficiência de ferro e a anemia.

Recomenda-se manter um registro dos ciclos menstruais e observar as irregularidades. Assim, na consulta médica, você terá mais informações para ajudar o profissional a detectar qualquer problema ou doença e tratá-la precocemente.

  • Barón González de Suso, L., Piris Borregas, S., & García Rebollar, C. (2013). Metrorragia persistente en los primeros ciclos menstruales. Pediatria de Atencion Primaria. https://doi.org/10.4321/s1139-76322013000100007
  • Carolina Schulin-zeuthen, D. P., & Carolina Conejero, D. R. (2011). Trastornos Menstruales Y Dismenorrea En La Adolescencia Menstrual Disorders and Dysmenorrhea in Adolescents. Revista Médica Clínica Las Condes. https://doi.org/10.1016/S0716-8640(11)70391-1
  • Fernandéz, M. (2017). El ciclo femenino.
  • Giordano, M. G. (1992). Ciclo menstrual. Femina.
  • Hemorragia uterina anormal: enfoque basado en evidencias. Revisión sistemática. (2007). Revista Med de La Facultad de Medicina.
  • Montejo Rodriguez, R., González Soroo, M. D., Muruzábal Torquemada, J. C., & Martínez Montero, J. (2002). Protocolo diagnóstico de la metrorragia. Medicine – Programa de Formación Médica Continuada Acreditado. https://doi.org/10.1016/s0304-5412(02)70815-9