Maneiras perigosas ​​de perder peso

Os especialistas em nutrição se opõem a alguns "modismos" ou "tendências" voltados para a perda de peso. Quais são as formas perigosas de emagrecer? Falaremos sobre elas a seguir.
Maneiras perigosas ​​de perder peso

Última atualização: 01 Julho, 2021

A melhor maneira de combater os quilos extras é adotando uma rotina regular de exercícios e uma boa dieta. Esta última deve ser constituída pela quantidade adequada de cada nutriente necessário para o organismo. No entanto, algumas pessoas ignoram esses bons hábitos e apostam em maneiras perigosas ​​de perder peso.

A maioria dos especialistas em nutrição se opõe à ideia de perder peso com dietas restritivas, especialmente quando essas dietas privam o corpo de nutrientes essenciais que são fundamentais para o seu bom funcionamento.

Você quer perder peso?

Existem maneiras saudáveis ​​e não saudáveis ​​de perder peso. As estatísticas mostram que uma dieta à base de frutas e vegetais, com baixo teor de gordura e açúcar refinado (junto com a prática regular de exercícios físicos) permitirá que uma pessoa perca peso e, acima de tudo, mantenha os resultados ao longo do tempo.

Tirar medidas

Na busca para perder peso em pouco tempo, algumas pessoas expõem a sua saúde a riscos. É importante saber identificar as formas perigosas ​​de perder peso, pois cada vez mais pessoas procuram perder peso rapidamente e com pouco esforço. Sem dúvida, isso pode levar a hábitos pouco saudáveis e a resultados que certamente não serão duradouros.

Maneiras perigosas ​​de perder peso

Você quer saber quais são as práticas nocivas de que estamos falando? A seguir, oferecemos uma lista das mais conhecidas. Fique longe delas.

Usar queimadores de gordura

Essa “moda” enganosa promove o uso de produtos químicos e ervas que teriam o efeito de “queimar gordura”. No entanto, o problema é que não existem estudos que comprovem a sua eficácia. Na verdade, seu uso pode até causar danos à saúde.

A efedra ou ma huang, por exemplo, foi proibida em 2004. De acordo com um estudo realizado por vários pesquisadores da Universidade da Califórnia, ela é capaz de causar ataques cardíacos, derrames, hipertensão e convulsões.

Comer algodão

Este é outro método sem sentido e muito perigoso. Consiste em engolir pedaços de algodão embebidos em algum tipo de líquido, como suco de laranja. Desta forma, o algodão tem como objetivo ocupar espaço no estômago e dar uma sensação de saciedade.

Como explica um artigo publicado na National Library of Medicine dos Estados Unidos, isso forma massas ou bolas de material estranho que podem causar obstruções intestinais. 

Usar um emplastro ou forro na língua

Este método maluco é proposto e praticado por um cirurgião na Califórnia, o Dr. Chugay, bem como em alguns países da América Latina. O método consiste em costurar na língua uma membrana de material sintético, que só pode ser usada por quatro a seis semanas.

O emplastro dificulta ou impede a ingestão de alimentos devido à dor e desconforto que provoca. Uma dieta líquida com teor reduzido de calorias complementa esse plano.

Tomar medicamentos

Também conhecidas como “pílulas para perder peso”, são um grupo de medicamentos (geralmente da família das anfetaminas) que fazem com que você perca o apetite.

Comprimidos para perder peso

O consumo dessas pílulas pode ter efeitos colaterais. Além disso, uma vez suspenso, a pessoa recupera o peso perdido.

O problema é que esses medicamentos não podem ser usados por muito tempo. Embora funcionem a curto prazo, assim que o uso for interrompido, a pessoa engordará novamente.

Mas não é só isso, elas também são capazes de causar outros efeitos colaterais, como nervosismo intenso, ataques de ansiedade e aumento repentino da pressão arterial.

Forçar o vômito, uma das maneiras perigosas de perder peso

Alguns acreditam que, se vomitarem o que acabaram de comer, diminuirão a quantidade de calorias ingeridas e, portanto, perderão peso. No entanto, a verdade é que essa prática é um sintoma de um transtorno alimentar conhecido como bulimia.

Portanto, as pessoas que a apresentam devem ser avaliadas para descartar ou diagnosticar a doença. Desidratação, perda de sais e danos ao esôfago são apenas alguns dos efeitos colaterais causados ​​por esse método terrível.

Suar excessivamente

As pessoas pensam que a gordura acumulada contém uma grande proporção de água. A partir desse raciocínio, elas acreditam que se seu corpo (ou alguma de suas partes) suar mais, elas vão queimar mais calorias e perder, consequentemente, mais peso.

Para isso, usam curativos plásticos na barriga ou roupas plásticas. No entanto, esse método não ajuda no controle de peso e é capaz de causar desidratação e perda significativa de sais de sódio, cloro e potássio no suor.

Efeitos colaterais dessas maneiras perigosas ​​de perder peso

Os métodos descritos não são saudáveis ​​e não devem ser usados, já que os seus efeitos colaterais são perigosos e podem até ser fatais.

A melhor forma de perder peso é melhorando seus hábitos alimentares e adotando bons hábitos de vida. Além disso, a dieta deve ser sempre acompanhada por um profissional especializado: nutricionistas, médicos ou preparadores físicos.

Pode interessar a você...
7 estratégias para perder peso sem fazer dietas restritivas
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
7 estratégias para perder peso sem fazer dietas restritivas

Se você costuma fazer dietas restritivas para perder peso, sabe que a longo prazo elas não costumam funcionar. Qual é a solução?



  • Chugay, PN y Chugay, NV (2014). Parche lingual para adelgazar: un método alternativo no quirúrgico para ayudar a adelgazar en pacientes obesos. The American Journal of Cosmetic Surgery, 31 (1), 26–33. https://doi.org/10.5992/ajcs-d-13-00028.1
  • Gendall, K. A., Bulik, C. M., Sullivan, P. F., Joyce, P. R., Mcintosh, V. V., & Carter, F. A. (1999). Body weight in bulimia nervosa. Eating and Weight Disorders. https://doi.org/10.1007/BF03339730
  • Haller CA, Benowitz NL. Adverse cardiovascular and central nervous system events associated with dietary supplements containing ephedra alkaloids. N Engl J Med. 2000 Dec 21;343(25):1833-8. PubMed PMID: 11117974.
  • Haslam, D. (2016). Control de peso en la obesidad: pasado y presente. Revista Internacional de Práctica Clínica, 70 (3), 206–217. https://doi.org/10.1111/ijcp.12771
  • Jain, V., Ochoa, M., Jiang, H. et alUn parche dérmico personalizable en masa con indicadores colorimétricos discretos para una cuantificación personalizada de la tasa de sudoración. Microsyst Nanoeng 5, 29 (2019). https://doi.org/10.1038/s41378-019-0067-0
  • Zamora Navarro, S., & PérezLlamas, F. (2013). Errors and myths in feeding and nutrition: Impact on the problems of obesity. Nutr Hosp. https://doi.org/10.3305/nh.2013.28.sup5.6922