Infecções de pele: tipos, causas e tratamentos

As infecções de pele podem ter origem bacteriana, viral, fúngica ou parasitária. Felizmente, todas elas podem ser tratadas com eficácia.
Infecções de pele: tipos, causas e tratamentos

Última atualização: 07 março, 2022

A pele é um dos maiores e mais complexos órgãos do corpo humano. Assim como qualquer outro tecido, a superfície da pele também é propensa à colonização e invasão por patógenos. Por isso, a seguir, vamos mostrar tudo o que você precisa saber sobre as infecções de pele.

Em geral, as infecções de pele podem ser causadas por uma grande variedade de germes. Na maioria dos casos, as bactérias são a causa mais frequente dessa condição. No entanto, alguns vírus, fungos e parasitas com afinidade pelas células cutâneas também podem invadir a pele.

Muitas vezes, a entrada de agentes infecciosos ocorre por causa de uma ferida que pode ser superficial ou profunda. Da mesma forma, um sistema imunológico debilitado também facilita o acesso de germes. De qualquer maneira, a identificação e o tratamento oportuno determinam um melhor prognóstico e um menor risco de complicações.

Sintomas das infecções de pele

Infecções de pele: tipos, causas e tratamentos
As infecções de pele podem ser detectadas através da vermelhidão e coceira.

As manifestações clínicas das infecções de pele podem variar de acordo com o tipo de infecção e o estado de saúde da pessoa afetada. Geralmente, erupções cutâneas e irritação da pele são alguns dos sintomas mais comuns. Além disso, outros sinais associados a esta condição são os seguintes:

  • Inchaço da pele.
  • Coceira moderada a intensa.
  • Vermelhidão da área afetada.
  • Dor e sensibilidade na pele.
  • Secreção purulenta.

Por outro lado, algumas infecções graves também podem evoluir com bolhas, descolamento da pele e coloração escura ou necrótica. Da mesma forma, certos germes também podem avançar através da corrente sanguínea e se espalhar no sangue, produzindo assim uma condição crítica conhecida como bacteremia.

Quais são os tipos de infecções de pele?

Conforme dissemos, as infecções de pele podem ser causadas por um grande número de micróbios. Algumas são superficiais e afetam uma pequena porção da derme. Enquanto isso, outras se estendem mais profundamente e comprometem uma maior quantidade de tecido. Assim, é possível encontrar os seguintes tipos de infecções de pele:

Infecção bacteriana

Primeiramente, as bactérias são as principais responsáveis por causar infecções em adultos e crianças. Para isso, esses germes geralmente invadem a derme através dos folículos pilosos ou de pequenas feridas causadas por arranhões, queimaduras ou mordidas. Por exemplo, algumas das mais comuns infecções de pele de origem bacteriana são:

  • Impetigo.
  • Celulite.
  • Erisipela.
  • Antraz.
  • Foliculite e furúnculos.
  • Abscessos cutâneos.
  • Fasciíte necrosante.

Alguns estudos afirmam que os principais agentes responsáveis por esse tipo de infecção são o Staphylococcus aureus e o Streptococcus pyogenes. Da mesma forma, a maioria dessas infecções está associada a inchaços dolorosos cheios de pus. Além disso, algumas pessoas também podem ter febre e calafrios.

Infecção fúngica

Por outro lado, as infecções fúngicas são causadas por fungos que invadem as camadas superficiais da pele. Geralmente ocorrem em áreas úmidas e em dobras do corpo, tais como pés, axilas, genitais e abaixo dos seios. Por exemplo, algumas das formas mais comuns de apresentação são as seguintes:

  • Dermatofitose.
  • Pitiríase versicolor.
  • Pé de atleta
  • Esporotricose.
  • Candidíase cutânea.
  • Dermatite das fraldas.

Diferentes pesquisas sugerem que os principais responsáveis pelas infecções fúngicas na pele são os fungos Trichophyton, Microsporum, Epidermophyton, Candida e Malassezia. Geralmente, essas infecções costumam causar manchas claras ou escuras com descamação da pele e também coceira.

Infecção viral

Enquanto isso, os vírus são responsáveis por um grande número de doenças que causam erupções cutâneas e verrugas na superfície da pele. Algumas das infecções virais com afinidade pela pele são as seguintes:

  • Herpes labial e genital.
  • Herpes zoster.
  • Molusco contagioso.
  • Verrugas causadas pelo vírus do papiloma humano (HPV).
  • Síndrome mão-pé-boca.

Da mesma forma, existem várias doenças exantemáticas comuns em crianças que são causadas por vírus, tais como catapora, sarampo, rubéola e rosácea. Elas geralmente se apresentam com pequenas manchas vermelhas espalhadas pelo corpo e acompanhadas de coceira intensa.

Infecção parasitária

Infecções de pele: tipos, causas e tratamentos
Alguns parasitas como, por exemplo, os piolhos, colonizam a pele e causam coceira.

Vermes e artrópodes são parasitas que às vezes podem invadir e infectar a pele humana. Assim, alguns vermes geralmente parasitam a superfície da pele por ação direta. Enquanto isso, outros migram a partir de um foco visceral. Por sua vez, os artrópodes, tais como piolhos e carrapatos, agem colonizando a pele de forma direta.

Alguns estudos estimam que a pediculose, ou seja, a infecção por piolhos, seja uma das parasitoses de pele mais comuns em climas tropicais. Da mesma forma, também podem ser mencionados os seguintes tipos de infecções de pele por parasitas:

  • Escabiose ou sarna.
  • Picadas de carrapatos.
  • Tungíase.
  • Miíase.
  • Filariose.
  • Oncocercose.
  • Larva migrans cutânea.


Fatores de risco

Na maioria dos casos, as lesões na pele e os ferimentos por objetos cortantes são a principal causa da entrada de germes. Da mesma forma, também existem outras condições que podem aumentar a probabilidade de sofrer uma infecção de pele. Entre elas, estão as seguintes:

  • Idade avançada.
  • Diabetes mellitus.
  • Problemas de circulação.
  • Deficiência do sistema imunológico por HIV/AIDS.
  • Quimioterapia e uso de corticosteroides.
  • Desnutrição.
  • Má higiene.
  • Usar roupas apertadas.

Tratamento das infecções de pele

O plano de tratamento para as infecções de pele depende do agente causador e também da gravidade do quadro clínico. Na maioria dos casos, as infecções virais exantemáticas desaparecem por conta própria em alguns dias. No entanto, as verrugas geralmente requerem o uso de medicamentos para a sua eliminação.

Por outro lado, as infecções fúngicas geralmente são tratadas com loções antifúngicas ou medicamentos orais nos casos graves. Além disso, também é aconselhável evitar a umidade e a exposição ao sol durante o tratamento.

Quanto às infecções bacterianas, elas geralmente são tratadas com antibióticos tópicos sob prescrição médica. O uso de antibióticos orais é exclusivo para as infecções moderadas a graves, de acordo com a opinião do médico responsável. Por outro lado, as pessoas com resistência ao tratamento podem necessitar do uso de antibióticos intravenosos.

Da mesma forma, as parasitoses cutâneas podem ser controladas através do uso de pomadas ou medicamentos orais antiparasitários. Além disso, alguns profissionais da saúde também podem recomendar o uso de loções para aliviar a coceira e diminuir a sensibilidade da pele.



A prevenção é a chave contra as infecções de pele

Conforme vimos, as infecções de pele surgem como resultado da colonização e penetração de germes através da pele e mucosas. No entanto, a maioria dessas condições pode ser evitada. Para isso, é aconselhável manter uma boa higiene da pele, além de evitar usar roupas apertadas, lavar as mãos e também não compartilhar objetos pessoais.

Finalmente, diante da suspeita de uma infecção de pele, é preciso procurar atendimento médico o mais rápido possível. Afinal, os profissionais da saúde são os únicos capacitados para identificar o tipo de infecção e fornecer o tratamento adequado.

This might interest you...
7 alimentos maravilhosos para prevenir infecções bacterianas
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
7 alimentos maravilhosos para prevenir infecções bacterianas

As infecções bacterianas são afecções geralmente tratadas com antibióticos, mas você sabia que também pode complementar o tratamentos com certos al...



  • Arteaga R, Arteaga R. Infecciones de piel y tejidos blandos. Rev. bol. ped. 2006;  45( 3 ): 171-177.
  • Capote A, Ferrara G, Panizo M, García N, et al. Micosis superficiales: casuística del Departamento de Micología del Instituto Nacional de Higiene Rafael Rangel, Caracas, Venezuela. Invest. clín. 2016  Mar [citado  2022  Ene  15] ;  57( 1 ): 47-58.
  • Revenga F, Álvarez M, Paricio J. Parasitosis cutáneas. Medicina Integral. 2002; 39(6): 260-266.
  • Martínez G. M. Infecciones virales en piel y mucosas. Revista Médica Clínica Las Condes. 2011;22(6):795-803.
  • Prego J, Galiana Á, Pujadas M, Almada K, et al . Infecciones de piel y partes blandas en pacientes ambulatorios. Rev. chil. pediatr. 2006;  77( 2 ): 196-197.
  • Peralta R, Torres de Taboada E. Infecciones de piel y partes blandas. Rev. virtual Soc. Parag. Med. Int. 2017;  4( 2 ): 19-26.
  • Enferm Infecc Microbiol Clin. 2011;29(Supl 3):33-39. Enfermedades Infecciosasy Microbiología Clínica. http://www.elsevier.es el 11/07/2012.