Impetigo: sintomas e causas

07 Outubro, 2020
O impetigo é uma doença bastante contagiosa. Por esse motivo, deve ser tratada o mais rápido possível. Geralmente afeta crianças entre 2 e 6 anos de idade, mas também pode ser contraída por adultos.

O impetigo é uma doença infecciosa que afeta principalmente as crianças. Estima-se que cerca de 1% das crianças europeias tenham sofrido com esta doença. Na América Latina, o percentual sobe para 15%. Não é um problema sério, mas pode levar a consequências significativas.

Casos de impetigo em adultos são raros. No entanto, esta doença pode ocorrer em qualquer idade. O mais comum é que ocorra na infância, em crianças com idades entre 2 e 6 anos. Nesta fase, não há hábitos de higiene totalmente fundamentados e há muito contato físico entre os pequenos.

Diante de um caso de impetigo, é importante que o tratamento seja iniciado no menor tempo possível. Apesar de, a princípio, não ser algo grave, é muito contagioso e se espalha rapidamente. Além disso, em algumas crianças, pode desencadear glomerulonefrite pós-infecciosa, um problema sério.

O que é o impetigo?

Criança com impetigo
As crianças são as mais afetadas pelo impetigo, uma infecção cutânea causada por bactérias, cujas manifestações clínicas incluem o aparecimento de feridas no rosto.

O impetigo é uma infecção da pele causada por bactérias. Geralmente aparece na forma de feridas vermelhas no rosto. Estas localizam-se preferencialmente perto da boca ou nariz. Também é possível encontrá-las nas mãos e nos pés. Essas feridas estouram e dão origem a crostas cor de mel.

A infecção ocorre na epiderme, que é a área mais superficial da pele. Nessa área da pele existe uma camada de queratina, que atua como uma camada protetora contra o contato com o exterior. Se esta camada estiver enfraquecida ou prejudicada, ela permite que as bactérias que causam impetigo passem.

Existem, basicamente, três tipos de impetigo:

  • Bolhoso. É causado por estafilococos e resulta na formação de bolhas na pele.
  • Sem bolhas. É causado por bactérias estreptocócicas e, em vez de bolhas, corrói a pele. É a modalidade mais comum.
  • Tipo ectima. Provoca úlceras em vez de bolhas ou erupções.

Sintomas

O primeiro sintoma desta doença é um avermelhamento da pele, como se algo a tivesse irritado. Uma coceira crescente também aparece. Um pouco mais adiante, surgem pequenas bolhas. Estas têm uma cobertura muito fina, que se quebra facilmente.

Na ruptura, as bolhas liberam pus. Esta substância é altamente contagiosa e qualquer contato com ela deve ser evitado. A pele fica em carne viva e apresenta sangue. Geralmente surgem algumas bolhas particularmente fortes, com uma crosta amarelada em torno delas.

É muito comum os linfonodos próximos à área afetada incharem. Eles podem se mover e não é incomum causarem dor. No entanto, este é um sintoma que muitas vezes passa despercebido. Não há febre ou desconforto, pois é uma infecção localizada e supérflua.

Você pode se interessar: Bolhas na pele: 7 dicas para tratá-las

Causas de impetigo

Impetigo e bactérias
O impetigo é causado por bactérias como Streptococcus pyogenes e Staphylococcus aureus. É uma infecção altamente contagiosa.

O impetigo costuma ser causado pela bactéria Staphylococcus aureus ou pelo Streptococcus pyogenesEste último também é conhecido como “estreptococo do grupo A” e é a causa da faringite estreptocócica. A doença é adquirida pelo contato direto com alguém infectado.

Se a criança coçar e tocar outra parte do corpo, ela poderá mover a infecção para essa nova área. A doença também é transmitida ao tocar em itens que estiveram em contato direto com a pele, como roupas, toalhas, etc.

Os principais fatores de risco para o impetigo são os seguintes:

  • Idade. Afeta principalmente crianças entre 2 e 6 anos de idade.
  • Superlotação. O contágio se espalha em locais com alta concentração de crianças.
  • Tempo. O impetigo ocorre com mais frequência em climas quentes e úmidos e no verão em países com estações do ano bem definidas.
  • Lesões de pele. Normalmente, as bactérias do impetigo entram na pele através de pequenas feridas, como picadas de insetos ou lesões semelhantes.

Descubra também: Por que o herpes labial sempre se repete?

Outros dados de interesse

Embora seja rara, a doença também pode ocorrer em adultos. Aqueles que estão mais expostos a contraí-la são os que têm o sistema imunológico enfraquecido, devido ao uso de qualquer medicamento ou outra doença. Os diabéticos também são uma população de risco.

Normalmente, as feridas saram após um tempo e não deixam cicatrizes. Somente em casos raros ocorrem complicações. As mais comuns são marcas ou cicatrizes, problemas renais e dermatopaniculose deformante.

A doença geralmente é tratada com antibióticos. Recomenda-se que a criança não frequente a escola até pelo menos 24 horas após o início do tratamento. Em alguns casos, recomenda-se cobrir a área afetada com um curativo ou gaze.

  • Pérez, C., López, B., Barrios, M., Ulloa, S., Aguilera, P., Pefaur, M., & Mayorga, O. (2001). Etiología del impétigo infantil. Revista chilena de pediatría, 72(3), 199-203.
  • Myles IA, Datta SK. Staphylococcus aureus: an introduction. Semin Immunopathol. 2012;34(2):181–184. doi:10.1007/s00281-011-0301-9
  • Hartman-Adams, H., Banvard, C., & Juckett, G. (2014). Impetigo: Diagnosis and treatment. American Family Physician90(4), 229–235.
  • Blok, J. L., Spoo, J. R., Castellanos Nuijts, M. F., & Van Duinen, K. F. (2010). Impetigo herpetiformis. Nederlands Tijdschrift Voor Dermatologie En Venereologie20(7), 401–404.
  • Veraldi, S., & Çuka, E. (2015). Impetigo. In European Handbook of Dermatological Treatments, Third Edition (pp. 443–446). Springer Berlin Heidelberg. https://doi.org/10.1007/978-3-662-45139-7_45