4 hábitos que pioram o seu problema de colesterol

02 Julho, 2020
Se você tem 20 anos ou mais, deve medir seu colesterol pelo menos uma vez a cada cinco anos. Um exame de sangue chamado perfil de lipoproteínas pode medir seus níveis.

O problema de colesterol é uma ameaça silenciosa para a saúde. Você pode ter níveis elevados e não perceber até fazer um exame de rotina ou sofrer suas consequências. Como o colesterol pode estar alto sem abusar de gorduras, embutidos ou carnes vermelhas na alimentação?

Existem outros fatores que influenciam significativamente o seu nível de colesterol. Neste artigo, descubra quais erros você pode estar cometendo sem perceber e o que pode estar causando o aumento do colesterol.

O que é o colesterol?

Acúmulo de colesterol
O colesterol é necessário para o corpo, mas, em excesso, se acumula nos vasos sanguíneos e desencadeia problemas cardiovasculares.

O colesterol é uma substância gordurosa mole e cerosa encontrada em qualquer parte do organismo e no sangue. Possui muitas funções úteis que contribuem para a boa saúde. Ajuda as células a funcionarem corretamente e desempenha um papel na produção de certos hormônios.

No entanto, o excesso de colesterol no sangue pode levar a um risco mais alto de infarto do miocárdio e de derrame (AVC).

Leia também: 5 dicas para reduzir o colesterol no café da manhã

Como os níveis de colesterol são medidos?

Se você tem 20 anos ou mais, deve medir seu colesterol pelo menos uma vez a cada cinco anos. Um exame de sangue chamado perfil de lipoproteínas pode medir seus níveis de colesterol. O exame fornece informações sobre:

  • Colesterol total: quantidade total de colesterol no sangue. Inclui os dois tipos: lipoproteína de baixa densidade (LDL) e lipoproteína de alta densidade, ou HDL.
  • Colesterol ruim (LDL): o que se acumula nas artérias e as obstrui.
  • Colesterol bom (HDL): ajuda a remover o colesterol das artérias.

Hábitos que podem agravar o seu problema de colesterol

1. Estresse

O estresse e o aumento de colesterol
Alguns estudos relacionaram os hormônios secretados pelo estresse com a elevação dos níveis de colesterol no sangue.

Atualmente, o estresse é uma doença muito comum e, a longo prazo e de maneira sustentada, pode causar consequências notáveis ​​em nosso organismo. No entanto, será que ele também é culpado pelo colesterol alto?

O estresse pode aumentar nossa pressão arterial, causar insônia, mudar hábitos e alterar nosso desempenho mental, bem como nosso estado de humor. Além disso, ele também é capaz de aumentar o colesterol no corpo humano?

A esse respeito, um estudo observou que o estresse mental e emocional aumentou os valores de colesterol em 11% em homens saudáveis ​​em comparação com o grupo de controle. Também foi encontrado um vínculo entre o colesterol e o cortisol, o hormônio do estresse, que pode ser fundamental na relação entre doença cardiovascular e dislipidemia.

2. Álcool

Quando se trata de colesterol, o consumo de álcool é uma questão de equilíbrio. Por um lado, foi demonstrado que o consumo moderado de álcool melhora os níveis “bons” de colesterol e está associado a uma redução na incidência de doenças cardíacas.

Por outro lado, a ingestão excessiva de álcool pode ter um efeito negativo no perfil lipídico do sangue e, finalmente, na saúde do coração. Como você pode ver, trata-se de consumi-lo, mas com moderação, para não exceder os limites permitidos e não prejudicar a nossa saúde.

3. O cigarro deve ser evitado se você tiver um problema de colesterol

Pessoa fumando
O cigarro, além de aumentar o colesterol no sangue, predispõe a outras doenças cardiovasculares e respiratórias.

O cigarro afeta o sistema cardiovascular de várias maneiras, incluindo a redução do oxigênio e o desgaste do coração. O mecanismo pelo qual a nicotina favorece o surgimento dessas doenças é que ela pode aumentar a agregação plaquetária, o colesterol e os triglicerídeos no sangue.

O monóxido de carbono também aumenta o colesterol no sangue, entre outros danos. Por esse motivo, fumar cigarros light não reduz o risco de doença, uma vez que o fumante geralmente inala mais fumaça para compensar a dose mais baixa de nicotina. Isso aumenta o monóxido de carbono e os problemas à saúde.

Quer largar o cigarro? Então leia: Cigarro: plantas que ajudam a se livrar desse mal

4. Contraceptivos orais

Os anticoncepcionais têm vários efeitos colaterais na saúde das mulheres, e um deles pode ser o aumento do colesterol. No entanto, nem todos os contraceptivos produzem os mesmos efeitos, e nem todos os tipos de colesterol são ruins.

Os contraceptivos baseados em gestágeno têm apenas um tipo de hormônios e geralmente vêm no formato de minipílula. Este tipo de anticoncepcional tem muitas vantagens e é muito eficaz, além de poder ser utilizado durante a amamentação.

No entanto, infelizmente, eles têm um efeito hipercolesterolêmico. Este método geralmente aumenta o colesterol ruim ou LDL e reduz o colesterol bom ou HDL. Portanto, se você optar por esse tipo de contraceptivo, é essencial que faça exames de controle a cada poucos meses.

Portanto, se você tiver um problema de colesterol, lembre-se …

Para que o corpo funcione bem, é preciso haver um equilíbrio entre os dois tipos de colesterol para evitar doenças cardiovasculares. Uma dieta equilibrada e exercícios físicos são essenciais para viver de forma saudável e melhorar o seu problema de colesterol.

  • Wertlake, P. T., Wilcox, A. A., Haley, M. I., & Peterson, J. E. (1958). Relationship of Mental and Emotional Stress to Serum Cholesterol Levels. Proceedings of the Society for Experimental Biology and Medicine, 97(1), 163–165.
  • Agarwal V, Gupta B, Singhal U, Bajpai SK. Examen de estrés: cambios en el colesterol sérico, triglicéridos y lípidos totales. Revista india de fisiología y farmacología. Octubre de 1997; 41 (4): 404-408.
  • Nasiff-Hadad Alfredo, Gira Phillipe, Bruckert Erick. Efectos del alcohol sobre las lipoproteínas. Rev cubana med  [Internet]. 1997  Abr [citado  2019  Abr  01] ;  36( 1 ): 51-60. Disponible en: http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-75231997000100009&lng=es.
  • Wakabayashi I. Associations between heavy alcohol drinking and lipid-related indices in middle-aged men. Alcohol. 2013 Dec;47(8):637-42. doi: 10.1016/j.alcohol.2013.10.001. Epub 2013 Oct 11. PubMed PMID: 24239151.
  • Fotherby, K. (1989). Anticonceptivos orales y lípidos. BMJ, 298 (6680), 1049-1050. https://doi.org/10.1136/bmj.298.6680.104.
  • JainR. B., y DucatmanA. (2018) Asociaciones entre el tabaquismo y las concentraciones de lípidos / lipoproteínas entre los adultos estadounidenses de ≥ 20 años. Revista de biomarcadores circulantes , 7 (1). Recuperado de https://journals.aboutscience.eu/index.php/jcb/article/view/2089
  • Colesterol. MedlinePlus, en línea: https://medlineplus.gov/spanish/cholesterol.html