Grelina: principais funções e mecanismos de ação

Com a descoberta da grelina, abriu-se um amplo campo de pesquisa nos possíveis tratamentos contra a obesidade, doença que mata milhares de pessoas por ano.
Grelina: principais funções e mecanismos de ação

Última atualização: 27 Julho, 2021

A grelina é um hormônio sintetizado principalmente nas paredes do estômago. Também surge em pequenas quantidades no tecido intestinal, hipófise, placenta e pâncreas.

A principal função desse hormônio é informar ao cérebro que o corpo deve se alimentar. Em outras palavras, ele regula a saciedade. Por isso, também é conhecido como “o hormônio da fome”.

O nível de grelina aumenta antes de comer e diminui após a ingestão de alimentos. Sua atividade está intimamente relacionada à obesidade e ao acúmulo de gordura corporal, principalmente na região abdominal.

Trata-se de uma molécula orgânica instável, descoberta em 1999 pelo endocrinologista Masayasu Kojima e sua equipe. O nome grelina surgiu da união entre a partícula GRHE, que se refere ao hormônio do crescimento (GH), e “LIN”, sufixo comumente adicionado aos nomes dos hormônios.

Funções da grelina

Funções da grelina

A principal função da grelina é regular a ingestão de alimentos e o ganho de peso corporal. Essa função é chamada de “efeito orexígeno”. No entanto, este não é o único trabalho que ela faz.

Sua outra grande função é estimular a secreção do hormônio do crescimento (GH) pela hipófise. Além disso, a grelina regula o metabolismo energético.

Foi demonstrado em laboratório que a grelina administrada a roedores aumentou o seu apetite. Isso, por sua vez, afetou o aumento do peso corporal e da adiposidade ou gordura corporal. Foi possível comprovar que esse hormônio promove o acúmulo de lipídios na gordura abdominal.

A grelina também se comporta como um agente vasoativo na homeostase da pressão arterial. Isso significa que ela influencia a contração ou dilatação dos vasos sanguíneos para atingir um equilíbrio na pressão arterial. Da mesma forma, exerce um efeito cardioprotetor e um efeito neuronal.

Mecanismo de ação da grelina

O chocolate é benéfico para o cérebro

A grelina é secretada quando não há comida no estômago. Em seguida, se dirige para a corrente sanguínea e atravessa a barreira hematoencefálica, ou seja, entra no cérebro. Por fim, chega ao hipotálamo e ativa os sinais que indicam que algum alimento deve ser ingerido.

Existem vários fatores que aumentam a produção de grelina, além da falta de ingestão de alimentos. São os seguintes:

  • Privação de sono. Quando você não dorme há muito tempo, há um aumento da secreção desse hormônio. O corpo tende a compensar a falta de sono com o aumento da ingestão de alimentos.
  • Estresse. A grelina costuma atuar em associação com outros hormônios, como o cortisol, o chamado “hormônio do estresse”. Em estados de angústia, você pode sentir um apetite elevado.
  • Estilo de vida sedentário. A falta de exercício faz com que seus níveis aumentem.
  • Menopausa. Com a diminuição do estrogênio e da progesterona, há um maior estresse e menor controle da ingestão alimentar devido ao aumento dos níveis desse hormônio.
  • Idade. Se uma rotina de exercícios físicos for mantida, o nível de grelina permanece estável. Caso contrário, ele tende a aumentar com o tempo.
  • Sexo. A pesquisa indica que o nível desse hormônio tende a aumentar mais nas mulheres.

A grelina se apresenta em pequenas quantidades em pessoas com obesidade mórbida, hipogonadismo, acromegalia e envelhecimento. Por outro lado, ocorre em níveis elevados em pessoas com anorexia, desnutrição e caquexia.

Recomendamos que você leia: Por que sinto tanta fome?

Aspectos a considerar

Jovem com fome

Esse hormônio demonstrou atuar em várias estruturas do sistema nervoso central, como a amígdala, o hipocampo e o núcleo dorsal da rafe. Todas essas áreas estão relacionadas à ingestão de alimentos, e também à ansiedade e à memória. Na verdade, foi evidenciado que níveis elevados desse hormônio melhoram a memória.

Atualmente, várias pesquisas estão sendo realizadas a respeito da grelina. Antes da sua descoberta, os avanços no estudo da obesidade eram muito limitados. Com a ampliação do conhecimento da grelina, um amplo horizonte se abriu para o tratamento da obesidade mórbida, doença que causa milhares de mortes em todo o mundo.

As indústrias farmacêuticas estão empenhadas em desenvolver um antagonista do receptor de grelina. O mais promissor dos estudos é o de imunização do organismo contra a grelina. Uma vacina antigrelina vem sendo testada na Suíça desde 2005, mas ainda não foi totalmente eficaz.

Pode interessar a você...
3 estratégias para combater a obesidade
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
3 estratégias para combater a obesidade

Conheça algumas estratégias para combater a obesidade, uma doença crônica caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal.