Glucosamina: usos e eficácia

11 Outubro, 2020
Inúmeros estudos foram realizados sobre a eficácia da glucosamina. Conheça seus resultados no tratamento de doenças reumáticas.

A glucosamina é uma substância que o corpo utiliza para a regeneração e síntese da cartilagem. A osteoartrite, que é o tipo mais comum de doença reumática na população geral, desgasta a cartilagem, um tecido escorregadio que cobre as extremidades dos ossos e permite que as articulações se movam sem problemas.

Muitos estudos foram realizados para avaliar a eficácia da glucosamina e, apesar disso, seus resultados foram variados. Alguns deles usaram um placebo para comparar, enquanto outros usaram outros medicamentos com a mesma indicação.

Por outro lado, vale ressaltar que esta substância pode ser administrada como medicamento ou como complemento alimentar para fortalecer essas estruturas. A glucosamina costuma ser extraída de crustáceos, como lagosta, camarão e caranguejo.

Usos da glucosamina

Como mencionado no início do artigo, a glucosamina é usada para aquelas doenças nas quais a cartilagem está desgastada, como é o caso de doenças reumáticas, como artrite e artrose.

Esta substância é a precursora das moléculas envolvidas no desenvolvimento de tecidos cartilaginosos: glicosaminoglicanos e proteoglicanos. O uso da glucosamina em doenças como a osteoartrite é aparentemente seguro, de acordo com os dados disponíveis atualmente graças aos ensaios clínicos realizados.

Além disso, seu possível efeito imunomodulador está sendo estudado em outras doenças autoimunes, além da artrite e da osteoartrite, como, por exemplo, a esclerose múltipla. No entanto, esses estudos ainda estão em fase de testes com animais.

O que são a artrite e a artrose?

Artrite e artrose

É muito comum que a maioria das pessoas confunda artrite com artrose porque ambas as doenças afetam as articulações e apresentam sintomas semelhantes, como dores nessas regiões do corpo.

A artrite é uma doença que sempre causa inflamação das articulações. Esta inflamação, portanto, causará dor e inchaço das mesmas. Geralmente é autoimune por natureza. No entanto, pode ser uma consequência de outras doenças, como a gota. Alguns dos sintomas característicos são:

  • Dor, mesmo em repouso.
  • Rigidez articular, especialmente ao acordar.
  • Inchaço com derrame de líquido sinovial inflamatório.
  • Outros sintomas que variam de acordo com o órgão afetado.

Quanto à artrose, é uma doença crônica na qual as articulações vão se degenerando em decorrência da idade. No Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, a artrose acomete em torno de 70% a 80% dos indivíduos acima de 65 anos, sendo a maior incidência em mulheres no período da menopausa.

Portanto, a artrose não é uma doença autoimune na qual ocorre inflamação. É uma doença degenerativa normalmente relacionada à idade e ao envelhecimento articular. Entre os sintomas associados a esta doença, estão:

  • As articulações rangem com os movimentos.
  • Dor ao se mover.
  • Limitação de movimento.
  • Possíveis deformações das articulações.

Não deixe de ler: Remédios naturais para o alívio das dores nas articulações

Estudos realizados sobre a eficácia da glucosamina

Estudos relacionados à glucosamina

Inúmeros estudos foram realizados sobre a eficácia da glucosamina. Um deles, realizado em 2012, queria verificar o seu efeito no alívio da dor nas doenças mencionadas. O tratamento com glucosamina em conjunto com um AINE foi estudado comparado à glucosamina sozinha. O resultado foi positivo.

Outro estudo realizado em 2015 queria comparar a combinação de sulfato de condroitina e glucosamina com celecoxibe para dores no joelho. Foi realizado em pacientes com osteoartrite. O resultado foi uma eficácia semelhante na redução dos principais sintomas da doença após o tratamento por 6 meses.

Finalmente, e como mencionamos, outro estudo foi realizado sobre o efeito da glucosamina. No entanto, ele não forneceu os resultados esperados para o tratamento da osteoartrite do joelho.

Descubra: Osteoartrite do quadril: o que é e quais são os seus sintomas?

Conclusão

Como podemos ver, os resultados dos estudos são variáveis. Portanto, os efeitos da glucosamina em algumas doenças reumáticas ainda não são totalmente conhecidos.

As pesquisas continuam sendo realizadas nesta área com o objetivo de obter o máximo benefício dessa substância e poder avançar tanto na reumatologia quanto na medicina em geral.

  • Lopes Júnior, O. V., & Inácio, e A. M. (2013). Uso de glucosamina e condroitina no tratamento da osteoartrose: uma revisão da literatura. Revista Brasileira de Ortopedia. https://doi.org/10.1016/j.rbo.2012.09.007
  • Bährle-Rapp, M., & Bährle-Rapp, M. (2007). Acetyl Glucosamine. In Springer Lexikon Kosmetik und Körperpflege. https://doi.org/10.1007/978-3-540-71095-0_83
  • Eleotério, R. B., Pontes, K. C. S., Machado, J. P., Reis, E. C. C., Ferreira, P. S., Silva, M. B., … Borges, A. P. B. (2015). Chondroitin sulfate and glucosamine in the cartilage and subchondral bone repair of dogs – Histological findings. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinaria e Zootecnia. https://doi.org/10.1590/1678-7092