Os anti-inflamatórios não esteroides

18 de janeiro de 2020
Os anti-inflamatórios não esteroides ou AINEs são um dos grupos de medicamentos mais utilizados, devido ao seu potente efeito analgésico e à possibilidade de obtê-los sem receita médica.

Os anti-inflamatórios não esteroides são conhecidos por sua sigla AINEs. São medicamentos que, devido ao seu mecanismo de ação, possuem diversas aplicações, como indução de analgesia, redução de febre e inflamação, além de efeito antiplaquetário.

Os AINEs são um dos medicamentos mais prescritos em todo o mundo. Devido ao seu efeito analgésico, são utilizados na dor reumática, em doenças inflamatórias e degenerativas. Além disso, são indicados em doenças não reumáticas, como enxaqueca, dor de dente e, em geral, em qualquer processo inflamatório.

Seu uso é generalizado, mesmo como automedicação. Isso ocorre porque são medicamentos que se conseguem sem receita médica ou controle médico, com o consequente risco potencial de efeitos colaterais.

Saiba mais sobre esses medicamentos.

Como funcionam os analgésicos anti-inflamatórios não esteroides?

Uma pessoa que pega uma pílula de um recipiente anti-inflamatórios não esteroides

Os anti-inflamatórios não esteroides, uma vez absorvidos e após passarem pelo fígado, se ligam em alta porcentagem a uma proteína plasmática chamada albumina.

Esse fato é importante, pois se o paciente estiver em hipoalbuminemia, a dose do medicamento deve ser ajustada, pois haverá mais drogas livres no sangue que não estão ligadas às proteínas e, portanto, o efeito será maior.

Portanto, é a fração livre do medicamento que desencadeia os efeitos de analgésicos anti-inflamatórios não esteroides, mas como?

O mecanismo de ação desses medicamentos não é exclusivo, portanto, eles podem ativar sua função das seguintes maneiras:

  • Inibindo a enzima ciclooxigenase (COX): é o principal mecanismo. Ao inibir esta enzima, a síntese de prostaglandinas, substâncias que atuam como mediadores da inflamação, é inibida.
  • Efeitos não mediados por prostaglandinas, como a inibição de neutrófilos na inflamação ou a inibição de mediadores pró-inflamatórios, como o óxido nítrico induzido por citocinas.
  • Apoptose: as prostaglandinas inibem a apoptose e esse fato pode explicar, pelo menos em parte, que certos AINEs estão relacionados à redução do risco de desenvolver alguns tipos de câncer.

Classificação dos AINEs

Podemos classificar os anti-inflamatórios não esteroides de acordo com o fato de serem seletivos à COX-2 ou não. Portanto, por um lado, existem os AINEs não seletivos e, por outro, os COX-2 seletivos.

Dentro dos não seletivos, podemos encontrar os seguintes grupos:

  • Salicilatos: ácido acetilsalicílico ou aspirina.
  • Pirazolonas: metamizol.
  • Paraaminofenóis: paracetamol
  • Ácido propiônico: ibuprofeno.
  • Ácido acético: indometacina.
  • Oxicams: piroxicam
  • Ácido antranílico: ácido meclofenâmico.

Quanto aos AINEs seletivos da COX-2, podem ser encontrados meloxicam, nimesulida, etodolac e coxibs como o celecoxib.

Talvez te interesse saber: Como são classificados os medicamentos analgésicos

Farmacocinética dos anti-inflamatórios não esteroides

São drogas que são absorvidas rapidamente. A principal via de administração é a oral, mas também aceita administração tópica, intravenosa e retal. Uma vez absorvidos, atingem a concentração máxima no sangue entre 2 e 3 horas.

Além disso, é aconselhável administrar AINEs em conjunto com alimentos, pois esses medicamentos podem danificar a mucosa intestinal.

São medicamentos que, na maioria das vezes, se ligam em alta porcentagem (cerca de 95 a 99%) à proteína plasmática da albumina. Esse fato é importante, devido a essa forte ligação à albumina, muitas interações com outros medicamentos que também possuem essa característica podem ocorrer.

Eles sofrem metabolismo hepático e alguns deles possuem metabólitos ativos. Além disso, quase todos têm algum grau de circulação entero-hepática. Uma vez metabolizados, eles são excretados pelos rins, portanto, deve-se tomar precauções em pacientes com insuficiência renal, pois a dose deve ser ajustada.

Também pode te interessar conhecer o: Metabolismo hepático: antibióticos e álcool

Reações adversas aos anti-inflamatórios não esteroides

Mulher com dor no abdômen

Sem dúvida alguma, todos os medicamentos são capazes de desenvolver efeitos colaterais após uma dose. É importante que os riscos e benefícios de um medicamento sejam bem compreendidos e consultar o especialista antes de tomá-lo.

Finalmente, você deve saber que os anti-inflamatórios não esteroides produzem efeitos adversos no nível gastrointestinal. Certamente, isso pode causar problemas de conformidade na administração desses analgésicos anti-inflamatórios. Além disso, eles também são nefrotóxicos, o que significa que podem causar problemas renais.

Outras reações adversas frequentes desses medicamentos são:

  • Pressão alta.
  • Problemas cardíacos.
  • Erupções cutâneas.
  • Retenção de líquidos.

Por fim, considere a importância de consultar seu médico antes de tomar esse tipo de medicamento. Conhecer seus efeitos adversos e aplicá-lo adequadamente é a melhor maneira de obter sucesso terapêutico.