Fava Tonka, por que é arriscado usar esta semente aromática?

Se você gosta de condimentos e temperos culinários, tem que conhecer a fava tonka, um alimento muito particular. Contaremos os seus segredos.
Fava Tonka, por que é arriscado usar esta semente aromática?

Última atualização: 20 julho, 2022

A fava tonka é uma especiaria aromática que é frequentemente usada em certos coquetéis e sobremesas, mas pode ser perigosa para a saúde. Possui em seu interior um elemento, a cumarina, que é tóxico em altas doses.

Por esta razão, em alguns países seu uso é proibido. Vamos falar sobre os riscos associados e como você pode tirar o máximo proveito deste condimento para melhorar as características organolépticas de muitos pratos.

Em primeiro lugar, é importante notar que, quando você está sob um regime farmacológico, é aconselhável consultar primeiro um especialista antes de incluir especiarias na dieta. Muitas delas podem ter interações medicamentosas, potencializando, reduzindo ou variando seus efeitos. Em alguns casos, o resultado seria perigoso para o organismo, por isso é fundamental ter muito cuidado com isso.

Como é a “fava tonka”?

«Fava Tonka», porque é arriscado usar esta semente aromática?
A semente de fava tonka é ralada para uso em preparações doces ou coquetéis.

Quanto à aparência, a fava tonka tem uma cor preta e uma forma alongada. A superfície é áspera e as sementes são compostas principalmente de matéria seca.

Do ponto de vista nutricional, destaca-se o seu teor em zinco, ferro, cobre, sódio e magnésio. Mas o que realmente determina esse alimento é que ele possui cumarina em seu interior, elemento que também é encontrado na canela.

Em doses baixas, a cumarina não é perigosa. No entanto, quando o limite tóxico é excedido, pode alterar a coagulação do sangue e causar problemas no fígado e nos rins. Portanto, colocaria a vida das pessoas em risco. Isso é indicado por pesquisas publicadas na revista Food Chemical Toxicology.

De qualquer forma, se consumida de forma controlada, essa substância traria certos benefícios para o organismo. Por um lado, atuaria como um agente antibacteriano. Da mesma forma, há algumas evidências de que ajudaria a prevenir o crescimento de certos tipos de tumores. Um estudo publicado na revista Anti-cancer Agents in Medicinal Chemistry confirma isso. Mesmo assim, estaríamos falando de uma contribuição de menos de 0,1 miligramas por quilo de peso corporal.

Propriedades da “fava tonka”

Além dos micronutrientes mencionados, a fava tonka é capaz de fornecer uma quantidade significativa de proteína. Estas são de baixo valor biológico, mas podem ajudar a cobrir as necessidades diárias dela.

Portanto, o desenvolvimento de muitas patologias complexas que afetam a massa magra, como a sarcopenia, poderia ser evitada. Isso é evidenciado por pesquisas publicadas na BioMed Research International.

Além disso, tenha em mente que a fava tonka pode fornecer antioxidantes importantes para manter uma boa saúde. Esses compostos neutralizam a formação de espécies reativas de oxigênio, elementos que podem causar danos à replicação do DNA caso se acumulem no organismo.

Como a fava tonka é usada?

A fava tonka pode ser usada na cozinha especialmente para preparar pratos doces. Entre eles, destacam-se biscoitos, bolos, sorvetes ou cremes. Até fica ótimo quando combinado com chocolate. Até foi testado para inclusão em coquetéis, com excelentes resultados. Claro, sempre em pequenas quantidades para evitar atingir os limites tóxicos já mencionados.

Como regra geral, é adicionada aos pratos de maneira semelhante à noz- moscada. Uma série de favas são mantidas em um recipiente hermético e um pouco do tempero é ralado no momento em que se destina a ser usado. Seria até possível usá-lo com certos líquidos para produzir infusões que depois são usadas para melhorar o sabor das preparações.

Quanto ao seu sabor, deve-se dizer que lembra uma mistura de canela e cravo. Tem um toque picante, mas também um fundo semelhante ao das oleaginosas. Pode até ser incluída em receitas salgadas, embora como regra geral seja mais comum encontrá-la em confeitaria. Claro, é uma excelente alternativa à baunilha, proporcionando notas de sabor diferentes e mais profundas.

«Fava Tonka», porque é arriscado usar esta semente aromática?
O consumo de fava tonka não é recomendado para grupos de risco.

Gravidez

O que é importante ter em mente é que gestantes e pessoas que pertencem a grupos de risco devem tomar alguns cuidados ao incluir esse condimento em sua alimentação.

Na verdade, seria melhor evitá-lo para não correr riscos desnecessários. Não se sabe exatamente se a cumarina pode realmente afetar negativamente a saúde e o desenvolvimento do feto, condicionando a gênese das malformações.

Nessa fase, é melhor ser restritivo no consumo de determinados produtos para evitar danos que possam alterar o fechamento do tubo neural ou a formação dos órgãos. Em caso de dúvida, é melhor consultar um pediatra ou nutricionista para aconselhamento com base nas evidências mais recentes.

“Fava Tonka”, um condimento saboroso, mas com riscos

Como você viu, a fava tonka é um condimento muito interessante para usar na cozinha, principalmente em doces. No entanto, a sua ingestão em grandes quantidades é perigosa para a saúde devido à presença de cumarina no seu interior, pelo que as doses utilizadas devem ser moderadas. Mesmo assim, é capaz de melhorar as características organolépticas de muitas preparações.

Para finalizar, devemos ter em mente que a inclusão de especiarias na diretriz geralmente é recomendada, desde que em quantidades ideais. Normalmente, falamos de elementos que possuem muitos antioxidantes, que neutralizam a formação de radicais livres e seu posterior acúmulo nos tecidos do corpo. Graças a esse mecanismo, o desenvolvimento de muitas patologias crônicas e complexas é evitado.

Pode interessar a você...
Como fazer um chá gelado de laranja e canela
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Como fazer um chá gelado de laranja e canela

No verão as infusões podem ser uma excelente fonte de hidratação e sabor. Conheça nossa receita de chá gelado de laranja e canela passo a passo.



  • Lake B. G. (1999). Coumarin metabolism, toxicity and carcinogenicity: relevance for human risk assessment. Food and chemical toxicology : an international journal published for the British Industrial Biological Research Association37(4), 423–453. https://doi.org/10.1016/s0278-6915(99)00010-1
  • Kaur, M., Kohli, S., Sandhu, S., Bansal, Y., & Bansal, G. (2015). Coumarin: a promising scaffold for anticancer agents. Anti-cancer agents in medicinal chemistry15(8), 1032–1048. https://doi.org/10.2174/1871520615666150101125503
  • Martone, A. M., Marzetti, E., Calvani, R., Picca, A., Tosato, M., Santoro, L., Di Giorgio, A., Nesci, A., Sisto, A., Santoliquido, A., & Landi, F. (2017). Exercise and Protein Intake: A Synergistic Approach against Sarcopenia. BioMed research international2017, 2672435. https://doi.org/10.1155/2017/2672435