Estudos relacionam a depressão com o câncer

· 30 de janeiro de 2019
Não podemos nos esquecer de que a depressão pode levar a estados psicológicos nos quais se abusa de substâncias nocivas, como o álcool, o tabaco ou outros que colocam em risco nossa saúde

Os últimos estudos realizados indicam que as pessoas que têm sintomas de depressão durante muito tempo, possuem mais chances de morrer por um tumor.

Existe algum vínculo entre a depressão e o câncer?

Mulher com depressão sentada na janela

Em seu conceito, a depressão é o resultado de interações de diversa complexidade, entre fatores sociais, psicológicos e biológicos.

Portanto, esta patologia pode surgir como consequência de alterações em diferentes fases da vida.

Assim, a repetição de vários estados de depressão pode desenvolver a aparição de outros agravantes para a saúde. Um deles pode ser o câncer, por exemplo.

Provas sobre a relação entre a depressão e o câncer

Diversos estudos relacionam a depressão com uma maior chance de sofrer diferentes tipos de tumores.

No mencionado artigo, conduzido no Reino Unido, a análise de histórias clínicas de mais de 160.000 adultos concluiu que:

  • São muitos os que sofrem, com frequência, de problemas psicológicos;
  • Há uma maior propensão a morrer de câncer de pâncreas, próstata ou cólon.

No entanto, não está comprovado de forma absoluta que o vínculo seja de causa-efeito. Dessa forma, os pesquisadores querem deixar claro que trata-se de um estudo com conclusões meramente estatísticas.

Outras pesquisas sobre a depressão

Estes últimos estudos se unem a um bom número de indícios que levam a esta mesma direção. Ou seja, as interações entre a saúde física e a mental já foram provadas várias vezes.

Existem evidências claras da existência de uma relação entre os sintomas da depressão e os transtornos ansiosos e a aparição de doenças cardiovasculares, por exemplo.

Mãe consolando filha com depressão

Desequilíbrios hormonais

  • A explicação para a relação entre os tumores e a depressão está no desequilíbrio hormonal que a depressão causa, o que conduz a uma produção mais elevada de cortisol;
  • Além disso, são inibidos os mecanismos naturais de reparação de DNA, o que enfraquece as defesas frente ao câncer;
  • Outro fator importante é que as pessoas com transtornos depressivos frequentes são mais propensas ao consumo de álcool, do tabaco e à obesidade.

Trata-se, como sabemos, de três fatores de risco claros para o câncer.

Leia também: Hábitos que criam desequilíbrios hormonais

O estresse psicológico e a depressão

Sem dúvida, sofremos estresse psicológico quando nos alteramos diante de pressões mentais, físicas ou emocionais.

Não é ruim ter graus de estresse psicológico ocasionalmente. No entanto, sofrer em alto grau durante muito tempo ou de forma repetitiva, pode ter graves consequências para a saúde mental ou a física.

Então, quando estes episódios de estresse acontecem, o corpo reage às pressões liberando cortisol.

Estes hormônios favorecem o aumento da pressão arterial, aceleram o ritmo cardíaco e aumentam a concentração de açúcar no sangue.

Mesmo que estas mudanças oferecem maior energia para enfrentar o estresse, na realidade também existem riscos para a saúde.

Doenças e patologias que podem surgir derivadas do estresse

Foi demonstrado que o estresse chamado crônico, durante muito tempo e de forma intensa, pode originar problemas urinários, digestivos e de fertilidade, assim como pode alterar o sistema imune.

Dessa forma, quem tem estresse crônico está mais propenso e vulnerável a algumas doenças comuns.

É o caso da gripe, do resfriado comum, das dores de cabeça, de problemas para dormir, assim como as que ocupam este artigo, ansiedade e depressão.

O controle do estresse e a detecção do câncer

Homem com depressão devido ao trabalho

As pessoas que já detectaram algum tumor têm que aprender a controlar o estresse psicológico, assim como a depressão.

Desse modo, é importante ter apoio emocional e social. Este ajudará a reduzir a ansiedade, os efeitos da depressão e todos os sintomas relacionados com doenças que podem ser contraídas, frutos da queda das defesas.

Leia também: Conheça todos os efeitos negativos do estresse

Métodos para controlar a depressão e o estresse

Entre as diferentes formas nas quais podemos combater o estresse e os estados depressivos, existem algumas técnicas mentais que são muito eficazes.

  • É o caso da yoga, da meditação e das diversas técnicas de relaxamento, por exemplo;
  • Além disso, as terapias de conservação também ajudam a paliar o estresse psicológico.

Para concluir, a prática de esporte ou exercícios combinada com uma alimentação saudável e dormir as horas suficientes são hábitos muito efetivos contra o estresse.

  • Batty, G. D., Russ, T. C., Stamatakis, E., & Kivimäki, M. (2017). Psychological distress in relation to site specific cancer mortality: Pooling of unpublished data from 16 prospective cohort studies. BMJ (Online). https://doi.org/10.1136/bmj.j108
  • Madhusoodanan, S., Ting, M. B., Farah, T., & Ugur, U. (2015). Psychiatric aspects of brain tumors: A review. World Journal of Psychiatry. https://doi.org/10.5498/wjp.v5.i3.273
  • Ormel, J., Von Korff, M., Burger, H., Scott, K., Demyttenaere, K., Huang, Y. qin, … Kessler, R. (2007). Mental disorders among persons with heart disease – results from World Mental Health surveys. General Hospital Psychiatry. https://doi.org/10.1016/j.genhosppsych.2007.03.009
  • Robbins, M. T., DeBerry, J., & Ness, T. J. (2007). Chronic psychological stress enhances nociceptive processing in the urinary bladder in high-anxiety rats. Physiology and Behavior. https://doi.org/10.1016/j.physbeh.2007.04.009