Quais são as emoções primárias?

As emoções primárias estão presentes desde o nascimento. Seu papel é garantir a adaptação e a sobrevivência. Saiba quais são e conheça suas diferentes funções a seguir.
Quais são as emoções primárias?

Última atualização: 24 Agosto, 2021

As emoções são padrões de resposta complexos. Elas envolvem elementos experienciais, comportamentais e fisiológicos. Geralmente, as emoções são classificadas em emoções primárias e secundárias.

As primeiras são inatas, estão presentes no desenvolvimento natural de qualquer pessoa e têm como objetivo nos ajudar a sobreviver. A lista desses tipos de emoções varia de acordo com os diferentes teóricos, sendo a classificação psicológica de Ekman Goleman uma das mais difundidas e aceitas.

Segundo esse autor, as emoções primárias são 6: medo, tristeza, raiva, alegria, surpresa e nojo. Por outro lado, as secundários são consideradas aprendidas e as adquirimos com base em nossas experiências e na interação com os outros. Elas incluem vergonha, ciúme e otimismo, por exemplo.

Características das emoções primárias

Para entender melhor em que consistem as emoções primárias, apresentamos suas características definidoras:

  • Todas elas têm uma função adaptativa em uma determinada situação.
  • Elas têm um propósito evolutivo e de sobrevivência.
  • Elas têm uma expressão facial e corporal determinada. Nesse sentido, a manifestação da surpresa, por exemplo, é a mesma em quase todas as culturas do mundo.
  • Elas desempenharam um papel essencial na adaptação do organismo ao seu ambiente.
  • São universais, ou seja, não há cultura que não as manifeste.
  • Elas estão presentes desde o nascimento e duram por toda a vida.

As 6 emoções primárias

Neste artigo apresentaremos a classificação do psicólogo Ekman Goleman, que afirma que existem 6 emoções primárias. Daniel Goleman, psicólogo conhecido por seu livro sobre inteligência emocional, também afirma que existem 6 emoções básicas. A única diferença é que ele trocou o termo nojo por aversão.

1. Medo

O medo é a resposta emocional ao perigo iminente. Nesse caso, há uma variedade de estímulos que podem causar medo. Seria impossível listar todos.

Pertence ao grupo das emoções negativas e tem como principal função nos fazer reagir para escapar eficazmente de qualquer perigo. Da mesma forma, promove comportamentos de evitação em situações perigosas.

Homem com medo
O medo pode surgir de diversas causas, e sua função é nos fazer sobreviver ao perigo.

2. Tristeza

A tristeza geralmente aparece diante de uma perda ou situação adversa. Sua função adaptativa é nos proteger e ajudar a nos restaurarmos contra os possíveis danos que podem surgir da nossa interação com o meio ambiente.

Com ela, a pessoa se isola do seu ambiente, o que lhe permite refletir e mudar comportamentos que não surtiram efeito. Além disso, ajuda a atenuar o nível geral de ativação. Isso dá um ritmo mais lento aos processos cognitivos, permitindo-nos examinar a situação de forma mais aprofundada.

Por fim, promove a empatia pelos outros, o que aumenta as chances de um maior contato social. Em última análise, o apoio nos ajuda a superar a situação.

3. Raiva

A raiva é uma resposta emocional negativa produzida em situações de frustração, entre as quais se destacam a obstrução de um objetivo, a transgressão de normas e direitos ou situações aversivas. Suas principais funções são facilitar o rápido desenvolvimento da defesa e do ataque em situações desagradáveis ou frustrantes, elevar nosso nível de ativação e aumentar o vigor dos comportamentos.

4. Alegria

A alegria é uma emoção primária de um tipo positivo. Em geral, costuma surgir antes de qualquer acontecimento que seja agradável ou diante de situações que nos impeçam de sofrer algum desconforto.

Além disso, existe outro tipo de alegria: a hilariante. É aquela que aparece quando estamos rindo. Seus gatilhos mais comuns tendem a ser piadas, histórias engraçadas e cócegas.

Sua função adaptativa é promover a repetição de atividades ou comportamentos que causem uma sensação agradável. Além disso, facilita a união social e o planejamento para o futuro.

5. Surpresa

A surpresa é muito breve. É desencadeada rapidamente e pode ser transformada em qualquer outra emoção. Ocorre em uma situação inesperada, nova ou desconhecida. É considerada uma resposta neutra, uma vez que não se pode dizer que seja sempre positiva ou sempre negativa.

As situações que costumam gerar uma reação de surpresa são a interrupção inesperada de uma atividade em andamento, aumentos repentinos na intensidade de um estímulo (por exemplo, quando alguém está falando conosco e grita repentinamente) ou novos estímulos. Por sua vez, tem como principal função fazer com que o corpo se adapte às mudanças imprevistas do ambiente.

6. Nojo

O nojo é a rejeição de estímulos que são desagradáveis ou nojentos para nós, como comida estragada, falta de higiene, alguns animais ou secreções corporais (fezes, suor, urina). Esta é considerada uma emoção negativa.

A repulsa tem várias funções. As mais notórias incluem fugir de situações nocivas, promovendo hábitos saudáveis e higiênicos e modulando exibições sociais.

Mulher sentindo nojo
A repulsa tem muitas funções sociais, pois regula certos comportamentos.

A importância de aceitar e regular as emoções primárias

As emoções primárias são essenciais para lidar com uma série de situações. Desse modo, é fundamental não reprimir nenhuma delas e administrá-las adequadamente para poder conviver com elas sem que nos causem mal-estar.

Muitas dessas emoções, especialmente as classificadas como negativas, são mal administradas. Isso leva a condições como transtornos de ansiedade, depressão ou agressividade. Daí a importância de fortalecer a nossa inteligência emocional.