Como enfrentar o medo da morte?

O medo da morte está presente em muitas culturas. Ele é normal? Pode afetar a sua qualidade de vida?
Como enfrentar o medo da morte?

Última atualização: 12 Março, 2021

O que podemos fazer para enfrentar o medo da morte? Este é um sentimento que tem estado presente ao longo da história da humanidade. Desde os tempos antigos, muitas culturas deram a este processo um significado profundo. 

O Dicionário da Real Academia Espanhola define a morte como ‘cessação ou fim da vida’. Esta definição enfatiza a cessação irreversível das funções cardiorrespiratórias ou cerebrais.

No entanto, muitas são as definições que se desenvolveram em torno do fenômeno da morte, especialmente no campo da filosofia, psicologia, sociologia e antropologia.

Como apontaram os pesquisadores Domènech e Baños em 2005, na psicologia o conceito de morte é definido como: ‘o fenômeno que acontece a todos os seres vivos, é irreversível e acarreta a cessação dos processos vitais’. Vamos ver mais detalhes.

O medo da morte em diferentes culturas

Idoso preocupado com a saúde

O medo e a angústia sempre acompanharam esse processo de cessação das funções vitais, assim como a luta que o homem vem sustentando contra esse tipo de sentimento.

Por isso, na antiguidade, os funerais não consistiam apenas em enterrar ou cremar o corpo do morto, mas eram acompanhados de rituais para ajudar a alma durante sua passagem ao mundo dos mortos.

Isso, é claro, não mudou em nada, mas os rituais simplesmente assumiram diferentes formas ao longo do tempo e do ambiente cultural.

Um exemplo disso é a existência do Livro dos Mortos da cultura egípcia, que possui cerca de duzentos capítulos dedicados aos rituais e orações que deveriam ser realizados para que o falecido chegasse à vida após a morte.

Na Idade Média, esse medo persistia, assim como os rituais, pois os especialistas registram o medo que existia diante da crença na separação da alma do corpo e no trânsito para o mundo celestial.

Esses temores foram acentuados à medida que alguns eventos trágicos, como fomes, guerras e epidemias, ocorreram.

Alguns medos relacionados a este fenômeno

  • Medo do desconhecido.
  • Medo de morrer longe de casa.
  • Medo de não ter paz eterna.
  • Medo de ser esquecido.
  • A incerteza de não saber o que pode acontecer a seguir.
  • Medo de morrer sem ter se confessado.
  • Medo de morrer sob a sombra do pecado, entre outros.

Pode-se dizer que foram todos esses medos que deram origem aos rituais que permitiam ao falecido ir para o “além” com tranquilidade, colocar alguns objetos nas casas para que não ocorressem aparições, rezar para que o falecido descansasse, e outros.

O medo da morte é natural?

Com essa revisão histórica, podemos afirmar que sim, o medo da morte é natural. No entanto, se isso se tornar algo obsessivo, a pessoa pode estar sofrendo de um medo irracional denominado tanatofobia.

Nesse caso, é melhor procurar ajuda profissional. Claro, também existem outros eventos que podem exacerbar esses medos, como deficiências, doenças, pessoas ao redor que não estão com boa saúde ou a perda de entes queridos.

Por isso, é imprescindível verificar se o medo se apresenta como causa diante dos fatos citados, ou se, ao contrário, é um sintoma de algo pior, como a citada fobia, que também gera ansiedade.

Mulher preocupada

Como enfrentar o medo da morte?

O fato de que todos vamos morrer é indiscutível. Embora a medicina tenha se empenhado em prolongar a vida, o ser humano ainda morre e está ciente de que isso vai acontecer.

Portanto, se esse medo está em nós, podemos fazer uso de algumas fórmulas para enfrentar o medo da morte:

  • Ponha em prática técnicas de relaxamento quando o medo aparecer.
  • Faça exercícios de respiração para se acalmar.
  • Podemos sentir confusão, portanto, devemos evitar decisões precipitadas.
  • Descanse e cuide da saúde para evitar tensões musculares, dores de cabeça, irritabilidade ou cansaço, entre outros.
  • Encontre pequenos espaços para retomar suas atividades favoritas.

Associações como a Associação Espanhola de Combate ao Câncer (AECC) sugerem que, diante do medo de morrer, é necessário pedir ajuda. Você pode consultar um psicólogo ou psiquiatra se o assunto da morte o preocupa.

Olhe sempre para a vida e lembre-se de que este é um presente do qual podemos desfrutar todos os dias. Faça tudo o que quiser, mas com muita paixão e entusiasmo para que sinta plenitude e satisfação em cada um dos seus dias.

Pode interessar a você...
O medo do câncer
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
O medo do câncer

O medo do câncer é razoável, desde que não se torne excessivo e não leve a comportamentos evasivos ou obsessivos. O que fazer se esse medo for exagerado?



  • Colell Brunet, R. (2005). Análisis de las actitudes ante la muerte y el enfermo al final de la vida en estudiantes de enfermería de Andalucía y Cataluña.
  • Färber, S. S. (2012). MITOS, RITUAIS E SUPERSTIÇÕES: EXPEDIENTES ATENUANTES DA TANATOFOBIA. São Leopoldo: EST.
  • Freitas, T. L. L. de, Banazeski, A. C., Eisele, Souza, E. N. de, Bitencourt, J. V. de O. V., & Souza, S. S. de. (2016). La visión de la Enfermería ante el proceso de muerte y morir de pacientes críticos: una revisión integradora. Enfermería Global.
  • LA MUERTE Y ELACOMPAÑAMIENTO DEL MORIR. (2007). International Journal of Developmental and Educational Psychology.
  • Tejerina, J. M. R. (1996). Del miedo a morir. Medicina balear, 11(2), 101-113.
  • (2008). Retrieved 1 May 2020, from http://www.escuelas.mscbs.gob.es/podemosAyudar/cuidados/docs/como_hacer_frente_perdida_ser_querido_AECC.pdf
  • Sanchís Fernández, L. (2018). Afrontamiento del miedo a la muerte (Doctoral dissertation, Universidad Complutense de Madrid).