O que é a egestão?

31 de julho de 2020
A egestão é o processo pelo qual os restos de alimentos que não foram aproveitados ​​pelo organismo são eliminados. Corresponde à fase final do processo de digestão dos alimentos e não é o mesmo que excreção.

Em termos gerais, a egestão é o processo fisiológico pelo qual os alimentos não digeridos são eliminados pelo organismo. Essa eliminação é realizada na forma de fezes e constitui a fase final do processo digestivo.

A egestão de organismos unicelulares inclui apenas a expulsão para o exterior da célula de substâncias que não podem ser aproveitadas. Nos organismos multicelulares, como no caso dos seres humanos, esse processo é mais complexo.

Às vezes, a egestão é confundida com outros processos semelhantes, como a excreção. Embora ambos estejam associados à digestão, são processos fisiológicos diferentes. Vamos ver em que consistem.

O processo de digestão

A egestão faz parte do processo digestivo

A principal função do sistema digestivo é processar os alimentos. O objetivo é extrair a maior quantidade possível de nutrientes e, ao mesmo tempo, eliminar as substâncias que não podem ser usadas e, portanto, devem ser eliminadas do corpo.

A digestão começa quando o alimento entra na boca. Nessa fase, a saliva se mistura com os alimentos e, com isso, inicia seu processo de decomposição. O que se forma com essa combinação é chamado de bolo alimentar, que passa para o esôfago e depois para o estômago.

Logo depois, atinge o intestino delgado. Lá, os nutrientes são separados e absorvidos. Em seguida, são introduzidos na corrente sanguínea para que cheguem a todo o organismo. No entanto, as substâncias maiores e/ou menos solúveis não podem ser absorvidas ou utilizadas. Isso dá como resultado o processo de egestão.

O que é a egestão?

A egestão é a última função do sistema digestivo. Os restos de alimentos não digeridos no intestino delgado sobem pelo cólon ascendente. Lá, ocorre um processo de reabsorção da água e de alguns elementos, como o sódio. Da mesma forma, por exemplo, o ácido fólico e a vitamina K são absorvidos.

Os restos que ainda permanecem continuam o trajeto pelo cólon transverso e depois descem pelo cólon descendente. Lá, eles são armazenados na forma de matéria fecal. Esse material vai para o reto, que se abre para o exterior através do ânus. Por fim, ocorre a defecação.

Todo esse processo é chamado de egestão. A matéria fecal contém bactérias e fibras, além de produtos metabólicos do fígado e outros materiais que não foram aproveitados pelo organismo. As fezes são expelidas entre 36 e 48 horas após a ingestão de alimentos, em condições normais.

Egestão e excreção

O processo de egestão no organismo

Às vezes, a egestão é confundida com outros processos, como a excreção. Embora tenham algumas semelhanças, a verdade é que são processos fisiológicos diferentes. Vamos ver as diferenças entre eles.

A egestão é a eliminação de substâncias que acompanham os alimentos e que não são utilizáveis ​​pelo organismo. Isso inclui substâncias não digeríveis e materiais prejudiciais ao corpo humano. Corresponde a alimentos que não entraram na corrente sanguínea e, portanto, devem ser eliminados na forma de fezes.

Descubra: O que a cor e a forma das fezes falam sobre sua saúde

Na excreção também há eliminação de substâncias. A diferença é que as substâncias expelidas na excreção foram anteriormente usadas pelo organismo para manter várias funções vitais. Nesse caso, esse processo ocorre dentro da célula.

As células precisam de energia para funcionar, e essa energia é obtida a partir de nutrientes. Estes vêm na forma de moléculas orgânicas, que são decompostas pela célula para produzir energia. No final desse processo, são produzidos resíduos, que são finalmente eliminados pela urina.

Não deixe de ler: Exame de urina: tudo que você precisa saber

Problemas com a egestão

Às vezes, o processo de egestão não é realizado adequadamente e existem alguns problemas na eliminação das fezes. Isso pode ocorrer devido a doenças ou a uma dieta inadequada. Os problemas mais comuns são os seguintes:

  • Diarreia. Ocorre quando as fezes eliminadas são moles e líquidas. Acontece quando a passagem pelo intestino delgado é muito breve e obedece a várias causas.
  • Incontinência fecal. Deve-se a uma ausência de controle sobre a defecação. Geralmente, é resultado de uma perda de controle sobre os esfíncteres ou intestinos.
  • Prisão de ventre. É caracterizada por fezes secas e duras, difíceis de eliminar. Fala-se em prisão de ventre quando são realizados menos de três movimentos intestinais por semana.
  • Encoprese. Corresponde à eliminação involuntária de fezes em crianças. Existem várias causas por trás desse problema.

Por fim, como sempre recomendamos, em qualquer caso de problemas digestivos, cólicas ou desconforto, o médico deve ser consultado.

  • Burckhardt, R., & Heerkloss, R. (1999). Rates of feeding and egestion under different conditions were determined for Eurytemora affinis (Calanoida, Copepoda). Rosstocker Meeresbiologische beitrage. 7. 91-110.