Quais são os efeitos colaterais do ácido hialurônico?

O ácido hialurônico é um produto biocompatível que apresenta múltiplos resultados favoráveis ​​no campo da estética. Seus efeitos colaterais são variados, mas evitáveis ​​em mãos especializadas.
Quais são os efeitos colaterais do ácido hialurônico?

Última atualização: 29 Novembro, 2020

Atualmente, temos ouvido cada vez mais sobre os efeitos colaterais do ácido hialurônico. Este é um dos produtos mais apreciados para regenerar a pele e dar volume às áreas onde já perdemos certos tecidos. Seu emprego na área da beleza e dos cuidados pessoais vem crescendo.

Para obter os melhores resultados, a pessoa que recebe a substância deve estar ciente de algumas orientações para, assim, evitar reações adversas. Você sabe quais são essas recomendações e o que deve evitar? A seguir, contamos todos os detalhes.

Efeitos colaterais do ácido hialurônico

É importante seguir uma série de indicações após a aplicação do ácido hialurônico para evitar efeitos colaterais. Essas reações nem sempre são uma consequência direta do produto, mas também aparecem porque o paciente não se cuidou adequadamente ou não seguiu as instruções do profissional.

Vermelhidão da área

O próprio trauma das injeções locais pode provocar um eritema na área, como efeito colateral do ácido hialurônico, embora isso também dependa das propriedades do produto utilizado. É uma vermelhidão temporária com uma leve inflamação.

Esse eritema geralmente dura de algumas horas a 2 dias. Você pode acelerar o processo e usar cremes especiais após a sessão para estimular a cicatrização.

Efeitos do ácido hialurônico
Os efeitos colaterais do ácido hialurônico são imediatos, de curto e médio prazo.

Hematomas

Normalmente, espera-se que apareça uma certa quantidade de hematomas acompanhados de inflamação. Geralmente não duram mais do que alguns dias. Ambos os efeitos adversos do ácido hialurônico podem ser minimizados aplicando pressão firme e compressas de gelo antes, depois ou durante a sessão.

É importante interromper o uso de medicamentos ou produtos anticoagulantes desnecessários, caso a pessoa os esteja consumindo. De acordo com estudos publicados no The Journal of Clinical and Aesthetic Dermatology, a incidência de hematomas após preenchimentos dérmicos está entre 19 e 24%.

Assimetrias

A quantidade de ácido hialurônico usado pode gerar assimetrias. Isso resulta em uma diferença momentânea no volume da face em cada lado do nariz, por exemplo, com uma área maior que a outra.

Reações alérgicas e hipersensibilidade

Essas reações são raras, pois o ácido hialurônico é um produto biocompatível. Isso significa que o corpo o assimila sem identificá-lo como um agente externo, pois seus componentes são semelhantes às substâncias naturais do corpo. No entanto, a irritação local pode causar alergias.

Necrose de pele

A necrose cutânea devido à compressão ou obstrução de um vaso sanguíneo é uma complicação rara. O local de maior risco para isso acontecer é entre as sobrancelhas. A artéria supratroclear, que supre essa região, não possui uma circulação colateral forte, não podendo receber sangue de outro local.

A Plastic and Reconstructive Surgery recomenda aspirar com a agulha antes de injetar o preenchimento em um movimento constante para frente e para trás. Dessa forma, a complicação poderia ser evitada.

Efeitos colaterais de curto prazo do ácido hialurônico

Alguns efeitos colaterais do ácido hialurônico aparecem a curto prazo, mas não imediatamente, como os que já mencionamos. Isso significa que se passam alguns dias desde a aplicação até que eles sejam notados.

Nódulos palpáveis ​​ou visíveis

Nódulos e caroços são complicações comuns que resultam do uso de preenchimentos dérmicos. São classificados como inflamatórios ou não inflamatórios. Os nódulos de início tardio que ficam presentes por 4 semanas a 1 ano ou mais costumam ser inflamatórios, como respostas imunológicas ao ácido hialurônico.

Segundo o American Journal of Clinical Dermatology, embora os nódulos inflamatórios sejam mais comuns com preenchimentos permanentes, também foram relatados casos semelhantes com os preenchimentos temporários.

Ativação do vírus herpes simplex

Nos casos em que houver intervenção da área labial de pessoas com herpes, deve ser realizado um tratamento profilático anti-herpético. Isso ocorre porque um dos efeitos colaterais do ácido hialurônico é a ativação da infecção que se aloja nos nervos da face.

Você pode estar interessado: O que é herpes labial?

Efeitos colaterais de longo prazo do ácido hialurônico

Após meses ou anos da aplicação do ácido hialurônico, é possível que apareçam certas complicações. Esses são os efeitos colaterais de longo prazo, e muitas vezes é difícil relacioná-los ao tratamento, pois o tempo transcorrido desorienta o diagnóstico.

Granulomas

A reação granulomatosa de corpo estranho pode se desenvolver anos após a injeção. Este processo é assintomático ou é acompanhado de eritema e edema.

As reações persistentes a um corpo estranho podem ser tratadas com injeções intralesionais de corticosteroides. No entanto, a American Society for Dermatologic Surgery, por meio de estudos realizados, posiciona a hialuronidase como um tratamento viável para esse efeito indesejado.

Tratamento estético
A aplicação das injeções da substância deve ser feita por um profissional, de forma a diminuir as chances de efeitos adversos.

Migração de produto

A migração do ácido hialurônico é uma das possíveis complicações associadas à injeção de preenchedores de tecidos moles. É importante que, quando o profissional avaliar nódulos, massas ou inchaços na face, leve em consideração que a substância aplicada pode migrar para um local distante do local da injeção, bem como persistir no tecido anos depois.

A importância de consultar um profissional para evitar os efeitos colaterais do ácido hialurônico

Existem muitas estratégias para diminuir os riscos de complicações dos preenchimentos de ácido hialurônico. Portanto, o conhecimento prático dos diferentes perfis de efeitos colaterais por um bom profissional é essencial para os resultados.

Embora as reações indesejadas sejam raras quando se usa uma técnica de injeção correta, os pacientes devem estar cientes de que sempre podem ocorrer sequelas adversas imprevistas. Sendo assim, é importante se informar e respeitar as orientações médicas antes e depois das sessões.

Pode interessar a você...
Quais são os benefícios da radiofrequência facial?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Quais são os benefícios da radiofrequência facial?

Os benefícios da radiofrequência facial são discutidos por médicos e pacientes. Embora também tenha detratores, esta técnica avançou muito nos últimos anos.



  • King M. The Management of Bruising following Nonsurgical Cosmetic Treatment. J Clin Aesthet Dermatol. 2017;10(2):E1-E4.
  • Brody HJ. Use of hyaluronidase in the treatment of granulomatous hyaluronic acid reactions or unwanted hyaluronic acid misplacement [published correction appears in Dermatol Surg. 2008 Jan;34(1):135]. Dermatol Surg. 2005;31(8 Pt 1):893-897. doi:10.1097/00042728-200508000-00001
  • Lemperle G, Rullan PP, Gauthier-Hazan N. Avoiding and treating dermal filler complications. Plast Reconstr Surg. 2006;118(3 Suppl):92S-107S. doi:10.1097/01.prs.0000234672.69287.77
  • Cohen JL. Understanding, avoiding, and managing dermal filler complications. Dermatol Surg. 2008;34 Suppl 1:S92-S99. doi:10.1111/j.1524-4725.2008.34249.x
  • Jordan DR, Stoica B. Filler Migration: A Number of Mechanisms to Consider. Ophthalmic Plast Reconstr Surg. 2015;31(4):257-262. doi:10.1097/IOP.0000000000000368
  • Ledon JA, Savas JA, Yang S, Franca K, Camacho I, Nouri K. Inflammatory nodules following soft tissue filler use: a review of causative agents, pathology and treatment options. Am J Clin Dermatol. 2013;14(5):401-411. doi:10.1007/s40257-013-0043-7