Quais são as doenças causadas pela deficiência de vitaminas?

As vitaminas são compostos necessários para as funções corporais. Se a sua ingestão não for adequada, algumas doenças podem aparecer. Conheça-as a seguir.
Quais são as doenças causadas pela deficiência de vitaminas?

Última atualização: 07 Março, 2021

A falta de nutrição adequada pode levar a doenças por deficiência de vitaminas, micronutrientes essenciais presentes nos mais diversos alimentos consumidos regularmente, embora em pequenas quantidades. Hoje, falaremos sobre algumas doenças que são causadas pela deficiência de vitaminas.

Até poucos anos atrás, falava-se das consequências de não consumir certos alimentos. Porém, mais tarde foi descoberto que, na verdade, o que é necessário para manter a saúde são as substâncias neles contidas.

Doenças causadas pela deficiência de vitaminas

Existem treze tipos de vitaminas. Todas elas correspondem a um grupo de compostos orgânicos que atuam junto com as enzimas e fazem parte dos processos metabólicos do corpo. Embora sejam considerados micronutrientes, são vitais na alimentação.

Quando há um déficit que se sustenta a médio ou longo prazo, aumenta a probabilidade de desenvolver certas doenças. Quais? A seguir, detalharemos as mais relevantes.

Alterações oculares e vitamina A

A deficiência de vitamina A está relacionada a alterações oculares. Em particular, causa olhos secos ou xeroftalmia, que com o tempo podem evoluir para a cegueira noturna.

Para evitar essas complicações, é importante consumir aqueles alimentos que contêm seus precursores, como os carotenoides. Eles podem ser obtidos através de:

  • Ovos.
  • Leite.
  • Peixes, como o salmão.
  • Fígado.
  • Vegetais com folhas verdes escuras.
  • Manga.
  • Mamão.
  • Tomate.
  • Cenoura.
  • Abóbora.
  • Milho.

A recomendação de ingestão diária desse nutriente depende da idade e do sexo. De acordo com o National Institute of Health, os valores para adultos são de 900 microgramas para os homens e 700 para as mulheres.

Fontes de vitamina A
A deficiência de vitamina A está associada a um risco mais elevado de doenças oculares.

Anemia e deficiência de vitamina B12

Existe um tipo de anemia, chamada perniciosa, que é causada por uma deficiência de vitamina B12 ou cobalamina. Esta substância contém cobalto, um mineral necessário para a produção dos glóbulos vermelhos.

Por ser sintetizada apenas por bactérias, a sua ingestão em humanos é determinada pelo consumo de alimentos de origem animal. Desta forma, as pessoas que seguem uma dieta vegana ou vegetariana podem sofrer deste problema.

De acordo com entidades como o National Institutes of Health (NIH), a recomendação diária de cobalamina para adultos de ambos os sexos é de 2,4 microgramas por dia. Essa quantidade pode ser suprida com suplementos, principalmente para quem mantém uma dieta à base de alimentos vegetais.

Lesões de pele e deficiência de vitamina C

Em seus estágios iniciais, a deficiência de vitamina C pode causar sangramento nas gengivas e retardar a cicatrização. Porém, há muitos anos, a ciência descobriu que, em estágios avançados, gerava uma patologia chamada escorbuto.

Além dos sintomas mencionados, essa condição provoca cansaço, dores nas articulações e lesões na pele. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, sua prevalência é rara, pois se conhece a importância da ingestão desse nutriente.

Alguns alimentos que contêm vitamina C são as frutas cítricas, kiwi e pimentão. No entanto, devemos considerar que parte dela se perde com o cozimento ou exposição às temperaturas do verão. Uma opção segura para complementar a dieta é o uso de suplementos.

Frutas cítricas
A falta de vitamina C no organismo está relacionada à dificuldade de recuperação de feridas na pele. Esse nutriente está presente em alimentos como as frutas cítricas.

Não deixe de ler: 6 receitas ricas em vitamina C

Defeitos neurológicos e ácido fólico

Vários estudos sugeriram que a ingestão de ácido fólico (vitamina B9) por mulheres grávidas previne defeitos neurológicos no feto. Além disso, a suplementação parece ter outros efeitos benéficos, como a prevenção de doenças cardíacas congênitas e fissuras orais.

As principais fontes são as folhas verdes escuras, fígado e rim. Segundo a Organização Mundial da Saúde, quem está tentando engravidar deve tomar 400 microgramas de ácido fólico por dia e manter a ingestão até a 12ª semana de gestação.

Fragilidade óssea devido à deficiência de vitamina D

Uma das funções da vitamina D no corpo é manter a saúde dos ossos por meio da absorção adequada de cálcio. Quando não há uma quantidade suficiente, surgem doenças como o raquitismo e a osteomalácia.

Em humanos, essa substância é formada quando a pele é exposta aos raios ultravioleta da luz solar. Também pode ser obtida a partir de alimentos de origem animal, como ovos, leite e carnes, embora sua contribuição seja muito baixa.

O que lembrar sobre as doenças causadas pela deficiência de vitaminas?

Quando a dieta é balanceada, é difícil ter deficiência de vitaminas. Porém, pode haver situações em que as recomendações são mais elevadas, como na gravidez ou diante de algumas patologias.

Nesse caso, é importante ajustar a alimentação, pois a falta desses micronutrientes pode levar a problemas de saúde. Para isso, é aconselhável consultar um nutricionista e avaliar a possibilidade do uso de suplementação.

It might interest you...
As vitaminas essenciais para a dieta
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
As vitaminas essenciais para a dieta

Vitaminas essenciais são elementos vitais que podem ser obtidos através de uma dieta saudável e alguns suplementos. Confira as vitaminas que você p...



  • UNICEF. La carencia de vitaminas y minerales afecta al desarrollo de un tercio de la población mundial [Internet].[Consultado 2013 Junio 30].
    WHO. Administración periconceptiva de suplementos de ácido fólico, con o sin preparados multivitamínicos, para prevenir los defectos del tubo neural.
    FAO. Carencia de vitamina C y escorbuto.
  • Villagrán, M., Muñoz, M., Díaz, F., Troncoso, C., Celis-Morales, C., & Mardones, L. (2019). Una mirada actual de la vitamina C en salud y enfermedad. Revista chilena de nutrición46(6), 800-808.
  • Datos sobre la vitamina A. National Institute of Health.
  • Greenberg, J. A., Bell, S. J., Guan, Y., & Yu, Y. H. (2011). Folic acid supplementation and pregnancy: more than just neural tube defect prevention. Reviews in Obstetrics and Gynecology4(2), 52.
  • Datos sobre la vitamina B12. National Institute of Health.
  • Lips P, van Schoor NM. The effect of vitamin D on bone and osteoporosis. Best Pract Res Clin Endocrinol Metab. 2011;25(4):585-591. doi:10.1016/j.beem.2011.05.002