Dieta para a gota: recomendações e proibições

02 Março, 2020
As pessoas que sofrem desta doença e seguem uma dieta para a gota também precisam tomar medicamentos para controlar a dor e reduzir os níveis de ácido úrico.
 

Uma dieta para a gota pode ajudar a reduzir os níveis de ácido úrico no sangue. A dieta para este mal não cura a doença. No entanto, pode reduzir o risco de ataques recorrentes e dolorosos de gota e diminuir a progressão dos danos nas articulações.

As pessoas que sofrem desta doença e seguem uma dieta para a gota também precisam tomar medicamentos para controlar a dor e reduzir os níveis de ácido úrico. Neste artigo, falaremos sobre as principais recomendações e proibições para melhorar essa condição.

O que é a gota?

Precipitação de cristais de ácido úrico nas articulações

A gota é um dos distúrbios metabólicos mais comuns e uma forma dolorosa de artrite. É causada pelo aumento do ácido úrico no sangue, conhecido como hiperuricemia.

Geralmente não apresenta sintomas prévios, embora possa se depositar nas articulações, resultando em inflamações extremamente dolorosas que podem ser acompanhadas de febre.

O ácido úrico é produzido quando o corpo decompõe substâncias químicas chamadas purinas. As purinas são produzidas no corpo naturalmente, mas também são encontradas em certos alimentos. O ácido úrico é eliminado pela urina.

Para evitar os ataques de gota, ou pelo menos fazer com que o dano às articulações seja menor, alguns alimentos podem ser usados como uma forma de reduzir os altos níveis de ácido úrico no organismo.

 

Leia também:  Como fazer uma dieta anti-inflamatória para tratar o ácido úrico

Fatores que devem ser considerados em uma dieta para a gota

Exame de urina

A dieta específica para reduzir os níveis de ácido úrico no sangue deve se concentrar no controle de três fatores principais:

  1. O pH da urina: É importante tentar fazer uma dieta alcalina para alterar ligeiramente o pH da urina e favorecer a eliminação. Isso é alcançado principalmente:
    • Aumentando o consumo de alimentos alcalinos, como verduras, batata, frutas, batata-doce e saladas.
    • Evitando o consumo de alimentos ricos em sal e sua adição nos pratos do dia a dia.
    • Evitando completamente o consumo de álcool, incluindo a cerveja e o vinho.
  1. Ingestão de purinas: É preciso avaliar os alimentos que estão sendo consumidos e também a sua forma de preparo. Quando fervemos um alimento que contém purinas, grande parte delas passa para a água do cozimento. Portanto, essa é uma boa maneira de reduzir o conteúdo de purinas dos alimentos, mas você deve evitar ingerir os caldos.
  2. A ingestão de frutose: a frutose, uma vez assimilada pelo organismo, se metaboliza em xantina, uma purina que eventualmente passará a ser ácido úrico. Por esse motivo, é recomendável consumir apenas 1 porção de fruta por dia, e escolher as que contêm uma menor quantidade de frutose.

Alimentos permitidos

  • Proteínas. Consuma principalmente carne vermelha e aves magras, laticínios com baixo teor de gordura e lentilhas como fontes de proteína.
 
  • Carboidratos complexos. Coma mais vegetais e grãos integrais, que fornecem carboidratos complexos.
  • Vitamina C. Alguns estudos mostram que ela pode ajudar a diminuir os níveis de ácido úrico. Verifique com seu médico se você deve adicionar um suplemento de 500 miligramas de vitamina C ao seu plano de medicamentos e alimentação.
  • Café. Algumas pesquisas sugerem que o consumo moderado de café pode estar associado a um menor risco de gota. Beber café pode não ser adequado se você tiver outras condições médicas. Consulte o seu médico a respeito de quanto café você pode consumir  por dia.
  • Cerejas. Há evidências de que comer cerejas está associado a um menor risco de ataques de gota.

Leia também:  Você sofre com a gota? Conheça 8 alimentos para evitar em sua dieta

Alimentos não permitidos

Consumo de bebidas alcoólicas

  • Carnes de órgãos e glândulas. Evite carnes como fígado, rim e moela, que são ricas em purinas e contribuem para o aumento dos níveis de ácido úrico no sangue.
  • Carne vermelha. Limite o tamanho das porções de carne de boi, cordeiro e porco.
  • Frutos do mar. Alguns tipos de frutos do mar e peixes (como anchovas, crustáceos, sardinha e atum) têm um teor mais alto de purinas do que outros. No entanto, os benefícios gerais de comer peixe para a saúde podem compensar os riscos para as pessoas com gota.
 
  • Verduras com alto teor de purina. De acordo com vários estudos, os vegetais com um alto teor de purina, como aspargos e espinafre, não aumentam o risco de gota ou os ataques recorrentes de gota.
  • Bebidas alcoólicas. O consumo de cerveja e bebidas destiladas está associado a um maior risco de gota e de ataques recorrentes. O consumo moderado de vinho não parece aumentar o risco de ataques de gota. Evite ingerir bebidas alcoólicas durante os ataques de gota e limite o seu consumo, especialmente a cerveja.
  • Alimentos açucarados e bebidas. Limite ou evite alimentos ricos em açúcar, como cereais açucarados, pães e doces. Limite o consumo de sucos de frutas naturalmente doces.

Por último…

Em conclusão, seguir uma dieta para a gota pode ajudar a limitar a produção de ácido úrico e favorecer a sua eliminação.

Embora a alimentação não substitua a medicação, a dieta certa pode ajudar a diminuir o número de ataques e moderar a sua gravidade.

 
  • Li R., Yu K., Li C., Dietary factors and risk of gout and hyperuricemia: a meta analysis and systematic review. Asia Pac J Clin Nutr, 2018. 27 (6): 1344-1356.
  • Choi HK., Gao X., Curhan G., Vitamin C intake and the risk of gout in men: a prospective study. Arch Intern Med, 2009. 169 (5): 502-7.
  • Choi HK., Curhan G., Coffee, tea, and caffeine consumption and serum uric acid level: the third national health and nutrition examination survey. Arthritis Care & Research, 2007.