Como fazer uma dieta anti-inflamatória para tratar o ácido úrico

O modelo de alimentação que propõe uma dieta anti-inflamatória sugere evitar alimentos com purinas, para facilitar o controle do ácido úrico. Mostraremos a você em detalhes em que consiste.
Como fazer uma dieta anti-inflamatória para tratar o ácido úrico

Última atualização: 25 Fevereiro, 2021

O acúmulo de ácido úrico no organismo pode desencadear uma série de alterações inflamatórias que afetam a qualidade de vida. A adoção de uma dieta anti-inflamatória é uma das melhores medidas para evitar seus efeitos e estabilizá-lo.

Essa condição, também chamada de hiperuricemia, é causada pela degradação das purinas, que geralmente vêm de alguns alimentos. Embora o organismo metabolize e a elimine por meio do trabalho renal, às vezes pode sofrer alterações porque não consegue as decompor.

Como resultado formam-se pedras de urato, que podem causar o aparecimento de pedras nos rins, ataques de gota, e dor nas articulações. Além disso, em muitos casos se relacionam com problemas metabólicos e hipertensão arterial.

Como se faz uma dieta anti-inflamatória para combater o ácido úrico? É essencial saber o que é permitido e o que não é. A seguir, explicaremos em detalhes em que consiste e quais são as diretrizes propostas para lidar com esse problema.

Dieta anti-inflamatória para tratar o ácido úrico: o que você deve saber

O tratamento atual contra o excesso de ácido úrico inclui o consumo de alguns medicamentos. No entanto, a principal medida para estabilizar os seus níveis no sangue ainda é a alimentação. Por que razão?

dieta anti-inflamatória para tratar o ácido úrico

Os alimentos que são incorporados na dieta podem agir bem ou mal, contra esse problema. Enquanto alguns aumentam a concentração de purinas, outros apoiam o processo metabólico, para eliminá-los do organismo.

Através de uma dieta anti-inflamatória, um plano adequado é proposto para obter os nutrientes, que são necessários contra esta condição. Portanto, sugere-se evitar tanto quanto possível as fontes de ácido úrico, para dar prioridade aos alimentos alcalinizantes.

Propósitos da dieta anti-inflamatória

Uma dieta anti-inflamatória para tratar o ácido úrico tem três objetivos principais: regular o pH da urina, controlar o consumo de purinas, e diminuir a ingestão de frutose. Isto facilita a decomposição desta substância e reverte os seus efeitos.

Regular o pH da urina

Os rins são os órgãos responsáveis ​​por filtrar o ácido úrico do sangue, para promover sua eliminação através da urina. Portanto, quando há algum tipo de descontrole, é importante mudar o pH da urina para favorecer sua expulsão. Como?

  • Aumentando o consumo de água e infusões saudáveis.
  • Aumentando a ingestão de alimentos básicos, como vegetais e frutas.
  • Reduzir o consumo de ácido úrico ou fontes acidificantes, como refinados, açúcares, ovos e produtos de origem animal (carnes, vísceras, peixes).
  • Limitar o consumo de sal e cozinhar em casa.
  • Evitar completamente as bebidas alcoólicas, incluindo a cerveja e o vinho.

Consumo de purinas

Em todas as dietas anti-inflamatórias, o consumo de purinas é o mais baixo possível. Por este motivo, é essencial monitorar, tanto quanto possível, os alimentos que são consumidos, bem como o seu método de cozimento. Ao ferver um alimento com purinas, grande parte delas ficam na água.

Portanto, é uma boa maneira de reduzir o teor de purinas dos alimentos; por isso devem ser evitados alguns caldos.

Ingestão de frutose

A frutose é metabolizada no corpo em um tipo de purina conhecido como xantina, que finalmente passará a ácido úrico. Por esta razão, recomenda-se apenas o consumo de uma fruta por dia. Além disso, o ideal é optar por frutas com menor teor de frutose: abacaxi, kiwi, manga, melancia, morango, laranja, melão e damascos.

dieta anti-inflamatória para tratar o ácido úrico

Alimentos proibidos em uma dieta anti-inflamatória

Muitos dos alimentos “proibidos" só devem ser evitados no caso de um ataque de gota ou de cálculos. Se houver apenas altos níveis de ácido úrico, ainda sem consequências, esses alimentos são limitados ao máximo, e utilizados em pequenas quantidades.

Para conhecer em detalhes quais são os alimentos que é melhor evitar, nós os classificamos de acordo com a quantidade de purinas:

Quantidade alta de purinas (150-800 mg por 100 g)

  • Frutose, patês, vísceras.
  • Sardinha, anchova, cavala.
  • Camarões, lagostas, amêijoas, mexilhões.

Quantidade considerável de purinas (70-150 mg por 100 g)

  • Carne de boi, porco, javali, codorna, perdiz.
  • Lentilhas, feijão.
  • Peixe azul de grande porte.

Quantidade média de purina (50-70 mg por 100 g)

  • Coelho, frango, peru.
  • Grão de bico, feijão, ervilha, soja.
  • Couve-flor, cogumelos, espinafre, espargos.

Baixa quantidade de purinas (0-50 mg por 100 g)

  • Fruta
  • Cereais brancos ou refinados.
  • Tubérculos
  • Leite e derivados com baixo teor de gordura.
  • A maioria dos vegetais (exceto os mencionados)

Modelo de dieta anti-inflamatória para tratamento do ácido úrico

Há muitas maneiras de projetar uma dieta anti-inflamatória como medida para tratar o ácido úrico. De fato, é quase sempre recomendado adaptar-se a cada caso particular, porque o acúmulo de ácido úrico causa diferentes problemas.

Coma salada para tratar o ácido úrico.

No entanto, existem modelos simples que servem como exemplo, para saber como os menus devem ser planejados. Abaixo compartilhamos uma opção interessante que pode ser levada em conta.

Café da manhã

  • Cereais integrais sem açúcar, com leite desnatado.
  • Taça de morangos frescos.
  • Café e água.

Almoço

  • Pequena porção de peito de frango assado (55 g) com um mix de cereais integrais, com mostarda.
  • Salada mista com molho de vinagre e azeite de oliva.
  • Leite desnatado.

Lanche

  • 1 xícara de cerejas frescas.
  • Copo de água ou chá.

Jantar

  • Porção de salmão assado (55 g).
  • Feijão verde assado, ou cozido no vapor.
  • Meia xícara de massa integral, com azeite e pimenta com limão.
  • Chá ou iogurte de baixas calorias.

Em resumo

Seguir uma dieta anti-inflamatória pode limitar a produção de ácido úrico no corpo e promover a sua eliminação. Embora não sirva como “cura" para os problemas causados ​​por essa substância, é um grande aliado do tratamento.

Os especialistas da Mayo Clinic também compartilharam algumas diretrizes interessantes para a dieta da gota que você pode conferir neste link.

Pode interessar a você...
Como tratar o excesso de ácido úrico com 5 remédios caseiros
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Como tratar o excesso de ácido úrico com 5 remédios caseiros

Saiba como tratar o excesso de ácido úrico, um dos produtos residuais de quando o corpo metaboliza as purinas contidas em alguns alimentos.