Dieta macia: descubra tudo sobre ela

21 de fevereiro de 2019
Ter uma dieta saudável baseada em produtos de fácil digestão permitirá que seu organismo processe os alimentos sem muito esforço.

No grande catálogo de dietas que são encontradas hoje em dia em livros ou na Internet, se fala muito pouco da dieta macia por ser uma ferramenta da nutrição clínica. Ela não serve precisamente para perder peso, mas sim para combater problemas do sistema digestivo.

A dieta macia traz consigo alguns erros comuns. “Macia” é uma palavra que talvez te faça pensar que só poderá comer alimentos moles, mas não é a realidade. Se refere a aqueles alimentos que são de fácil digestão.

Por esta razão, também é conhecida como dieta de proteção gástrica. Por outro lado, os regimes que se relacionam com alimentos de textura mole são conhecidos como dietas moles odontológicas ou de fácil mastigação.

Quando deve colocá-la em prática?

O objetivo principal que se persegue com esta dieta é evitar que o aparelho digestivo se esforce quando processa os alimentos. A ideia é que se recupere com a menor quantidade de trabalho possível. Neste sentido, os produtos que se consomem devem ser de fácil digestão.

Alimentos da dieta macia

Uma dieta macia é livre de gorduras saturadas e não contém irritantes para evitar a estimulação da secreção do suco gástrico. Estas características a transformam em uma das dietas de tolerância, que são as que procuram adaptar o organismo à alimentação normal depois de alguma doença.

Em que se baseia a dieta macia?

Ela é um plano de alimentação que serve como uma transição para ir de uma dieta líquida a uma general ou normal. Seu uso vai sempre depender das condições, tolerância e características do paciente. Normalmente, envolve várias fases.

Por se tratar de uma dieta clínica, começa com o consumo de alimentos em períodos de 6 a 24 horas, juntamente com uma reposição líquida. Em seguida, avança para uma dieta líquida, onde você bebe água de arroz, cenoura ou chá. Por último, alimentos semissólidos são incluídos.

Nesta última fase, são ideais iogurtes e presunto cozido. Também são incluídas as carnes e peixes que devem ser cozidos na grelha ou no forno. Todo esse processo permitirá que o paciente atinja sua dieta habitual.

Tipos de alimentos que podem ser consumidos

Sem dúvida, em uma dieta macia deve-se escolher aqueles alimentos que evitam o trânsito intestinal. Por isso deve-se selecionar aqueles que são facilmente digeridos. Por exemplo:

O arroz e seus derivados

Estes produtos têm propriedades adstringentes. Ou seja, que ajudam a limpar o aparelho digestivo. Você pode comer arroz, semolina ou alimentos que são preparados a base de arroz.

Farinha de trigo refinada

Também seus derivados ou sêmola de trigo. São pobres em fibras e, portanto, são muito fáceis de digerir. Uma boa notícia é que você pode comer espaguete cozido.

Dieta macia não inclui farinhas

Também vai te interessar ler: 8 alimentos ricos em fibras

Caldos caseiros de verduras e hortaliças

Favorecem a hidratação e oferecem a quantidade de eletrólitos, minerais e vitaminas que o sistema digestivo precisa para executar suas funções adequadamente.

Chá ou infusões de erva

O objetivo é que a bebida não fique concentrada, deve ser leve. Um conselho é que deixe o chá ferver por pouco tempo. Te recomendamos que use, por excelência, a camomila e a tília.

Cenouras cozidas

Têm uma alta quantidade de fibras solúveis que ajudam na formação adequada de fezes e combate a diarreia.

Carnes brancas magras

São ideais depois de passar vários dias sem comer proteínas, já que sua digestão implica em muito trabalho. A dieta macia deve incluir frango, peru ou peixe.

Óleos vegetais

Eles não devem ser submetidos a nenhum tipo de cozimento e devem ser consumidos de forma moderada. A ideia é que os use como tempero de seus pratos, mas nunca para cozinhar os alimentos.

Dieta macia não inclui frituras

Alerta! Você não pode comer isso:

  • Alimentos fritos e muito salgados
  • Molhos processados
  • Café
  • Álcool
  • Sucos ácidos
  • Refrigerantes
  • Guloseimas como o chocolate
  • Snacks
  • Molhos picantes
  • Conservas (azeitonas, pepino)
  • Tabaco

Te recomendamos ler: 3 vitaminas caseiras para combater a retenção de líquidos

Algumas recomendações gerais

A dieta macia é muito fácil de seguir. Não tem complicações e é caseira. Neste sentido, só precisará de um pouco de paciência porque talvez possa te faltar algum sabor. Como qualquer dieta alimentar, exige compromisso, ainda mais quando se trata de recuperar seu estado de saúde.

Te recomendamos que:

  • Em primeiro lugar, procure comer em poucas quantidades. Desta maneira ajudará o processo digestivo a ser mais rápido e fácil. Pode comer várias vezes ao dia para saciar a fome, mas sempre em porções pequenas.
  • Também, cozinhe com pouco sal. Assim, evitará a retenção de líquidos.
  • Por outro lado, procure servir a comida morna. Ou seja, nem muito quente e nem muito fria, desta maneira cada consumo de alimentos não será de alto impacto para o aparelho digestivo.
  • Finalmente, mastigue bem. Este é um ponto que merece muita importância. Se você mastigar bem os alimentos ajudará a tornar a digestão mais fácil. Além disso, sentirá mais saciedade e acelerará o metabolismo.

Assim também, a dieta macia deve durar mais de três dias. Lembre-se que seu principal objetivo é devolver ao sistema digestivo sua capacidade. Neste sentido, se não vê nenhuma evolução, comunique ao médico especialista de confiança para que avalie todo o processo.

  • Schröder, H., Fitó, M., Estruch, R., Martínez‐González, M. A., Corella, D., Salas‐Salvadó, J., … Covas, M. (2011). A Short Screener Is Valid for Assessing Mediterranean Diet Adherence among Older Spanish Men and Women. The Journal of Nutrition. https://doi.org/10.3945/jn.110.135566
  • Ahuja, K. D. K., Robertson, I. K., Geraghty, D. P., & Ball, M. J. (2006). Effects of chili consumption on postprandial glucose, insulin, and energy metabolism. American Journal of Clinical Nutrition.
  • Minich, D. M., & Bland, J. S. (2008). Dietary management of the metabolic syndrome beyond macronutrients. Nutrition Reviews. https://doi.org/10.1111/j.1753-4887.2008.00075.x