Como controlar a pressão arterial com um remédio de maracujá

17 de janeiro de 2020
O maracujá é uma planta especialmente conhecida por suas propriedades sedativas, que ajudam a acalmar os nervos e adormecer.

O chá de maracujá é consumido por pessoas que têm como parte do seu ritual ir dormir, beber uma bebida quente, relaxante e reconfortante. Geralmente, é consumido puro, sem açúcar, mel ou outros aditivos, embora existam aqueles que adicionem um toque de mel para dar um leve sabor.

Há também aqueles que adicionam algumas gotas de suco de limão, como é feito com outras infusões quentes.

Além de como você decide desfrutá-lo, a verdade é que esta bebida está ganhando popularidade como remédio para outros problemas, como a hipertensão. Gostaria de saber por que? Então continue lendo.

Maracujá, uma planta conhecida por seu efeito sedativo

maracujá (Passiflora incarnata) é uma planta trepadeira que cresce muito rápido. Pode atingir entre 6 e 9 metros de comprimento. Suas flores têm uma cor e forma muito particulares e também um aroma muito penetrante.

Os frutos desta planta são comestíveis e muito apetitosos para animais e humanos. Além disso, eles são muito populares em vários países da América, onde são amplamente vendidos e consumidos pela população.

A parte aérea da planta é rica em inúmeras substâncias: flavonoides, fenóis e óleos essenciais, aos quais a sua ação sedativa é atribuída como um todo.

Chá de maracujá como remédio para a hipertensão

A pressão alta é uma condição que muitas pessoas ao redor do mundo possuem. Este problema pode levar a derrames ou ataques cardíacos. Embora quase não tenha sintomas, a hipertensão é perfeitamente tratável, até mesmo com tratamentos naturais, como o maracujá.

É dito que o chá de maracujá é uma bebida que atua como sedativo natural e relaxante muscular. Devido ao seu conteúdo em flavonoides e alcaloides, acredita-se que seria adequado para ajudar a diminuir a frequência cardíaca e a pressão alta, aliviar a ansiedade e o estresse, entre outros problemas que impedem o sono à noite.

Por outro lado, por ser uma bebida hidratante e diurética (ou seja, que estimula a micção), como o dente-de-leão, considera-se que o seu consumo regular, dentro de um estilo de vida saudável, possa impedir o aumento da pressão arterial e o aparecimento de desconfortos, principalmente durante a noite.

Como preparar o chá de maracujá?

Chá de passiflora para controlar a pressão arterial

Leia este artigo: Bebida de dente-de-leão: um remédio caseiro para cuidar dos seus ossos

Ingredientes

  • 1 saquinho de chá de maracujá ou 1 colher de sopa da planta seca (15 g)
  • 1 xícara de água (250 ml)

Preparação

  • Se você conseguir os saquinhos de chá comerciais que são vendidos em algumas lojas, será mais fácil. Você só precisa ferver a água, servir em um copo e introduzir o saquinho de maracujá como se fosse um chá normal.
  • Se, pelo contrário, você pegar a planta no jardim, a primeira coisa a fazer é secá-la ao sol por dois dias.
  • Após esse tempo, ferva a água e adicione uma colher de sopa da planta para cada xícara que você for beber.
  • Deixe descansar por cinco a dez minutos. Em seguida, coe, sirva em um copo e consuma.
  • Evite adicionar açúcar, mel ou adoçantes se for consumi-lo antes de dormir, pois o açúcar impedirá que você relaxe e se prepare para descansar adequadamente.

Algumas considerações

  • Não é aconselhável começar a consumir chá de maracujá sem a autorização do médico, principalmente se estivermos seguindo algum tipo de tratamento medicamentoso.
  • Nunca devemos substituir medicamentos por bebidas naturais, pois podem ser arriscados e contraproducentes.
  • Também não é aconselhável combinar o consumo do chá de maracujá com outras bebidas naturais, pois podemos sofrer reações adversas.
  • Evite consumir qualquer tipo de bebida natural em excesso. Nunca mais de 3 xícaras por dia.
  • Além de beber esse tipo de bebida, é aconselhável manter um estilo de vida saudável e seguir as orientações do médico assistente.
  • O chá de maracujá é contraindicado em alguns casos (gravidez, amamentação, por exemplo); portanto, devemos consultar o médico antes de começar a consumi-lo.