Como reconhecer uma criança superdotada?

· 15 de novembro de 2018
Para reconhecer uma criança superdotada ou com altas capacidades intelectuais, é preciso recorrer à avaliação de especialistas. Entretanto, é possível detectar sinais importantes que permitam aos pais notá-los-los e apoiá-los em todo o seu potencial.

Uma criança superdotada tem uma forma de ser, de entender e processar a realidade muito diferente. Suas altas capacidades intelectuais podem levá-las a ser incompreendidas pelo mundo que as rodeia.

Com frequência pode-se considerar que uma criança com alto rendimento acadêmico ou que de forma precoce é capaz de adquirir vários e diversos conhecimentos, é uma criança superdotada. Porém, não é exatamente assim que funciona.

A superdotação inclui dons e talentos que precisam ser educados adequadamente, para que possam liberar todo o seu potencial em benefício próprio e de toda a sociedade, mas que também sejam crianças felizes. Neste ponto, os pais desempenham um papel crucial para reconhecer se suas crianças são superdotadas.

O que significa ser uma criança superdotada?

Quando se fala do conceito de Altas Capacidades Intelectuais, como cada vez é mais comum chamar às crianças superdotadas, engloba-se superdotação, talento e precocidade intelectual.

Para simplificar o conceito e torná-lo mais compreensível, estabelece-se que uma criança superdotada é aquela que tem um quociente de inteligência igual ou superior a 130.

Ser uma criança superdotada significa gozar de uma excepcionalidade muito superior em todas as áreas e aptidões da inteligência.

Assim, uma criança com bom rendimento escolar, ou muito talentosa para as artes ou esportes, ou muito precoce para aprender a falar, não necessariamente é uma criança superdotada.

Você sabia? A inteligência se herda da mãe, afirma a ciência

Como saber se você tem uma criança superdotada em casa?

uma criança superdotada tocando piano precocemente

Para muitos pais é difícil ter um filho que é diferente dos outros. Supõe um desafio compreender que é uma criança que, por mais que tentemos, não responderá e nem se comportará de acordo com o padrão estabelecido pela média das crianças de sua idade.

De fato, uma criança superdotada pode ter também uma infância muito difícil. Isso porque percebe muito mais informações e estímulos do que consegue gerenciar. Além disso, o mundo que as rodeia pode ser incompreensível, lento e até hostil em relação às suas capacidades.

Os pais são fundamentais para garantir o desenvolvimento e a felicidade de uma criança superdotada. Para isso, é possível detectar algumas características fundamentais em casa.

Precocidade intelectual

Uma criança superdotada vai adquirir de forma precoce marcos intelectuais ou psicomotores.

São bebês que demandam muita atenção, que se superestimulam com facilidade.

Levantam a cabeça no primeiro mês de vida, vocalizam dois sons diferentes aos 45 dias de nascidos, dizem suas primeiras palavras antes de um ano…

Ainda, falam antes dos dois anos ou escrevem antes do resto de seus coleguinhas.

São crianças que usam um vocabulário preciso, rico e muito amplo para a sua idade. Têm uma memória prodigiosa, tanto a curto quanto a longo prazo. Aprendem muito rapidamente e têm curiosidade para aprender mais.

Hipersensibilidade emocional e sensorial

Uma criança superdotada é muito intensa emocional e sensorialmente.

A intensidade emocional desconcerta aos pais, que não sabem entender o excesso de emoção em suas reações.

É uma criança com baixa tolerância à frustração, costuma ter explosões de birras ou pirraças enormes. Reage de forma exagerada diante de um filme triste ou de terror. Tem uma alta e intensa capacidade de ser empática com os demais. Não é raro que sofram de depressão e ansiedade.

A hipersensibilidade sensorial é pouco conhecida e menos ainda compreendida.

São crianças que se incomodam com a etiqueta das roupas, os sons fortes, as luzes intensas.

Altamente criativas

Uma criança superdotada é muito criativa porque percebe a realidade de forma diferente. É muito imaginativa. Como a percepção sensorial é maior do que no resto das pessoas, lhe ocorrem muitas soluções aos problemas que surgem.

Estas crianças questionam a autoridade e as normas se não são bem argumentadas e não tem sentido para elas. São muito hábeis dando uma solução, porém mais ainda fazendo perguntas que deixarão seus pais sem respostas. Os temas existenciais lhes preocupam desde muito cedo, tais como a vida, a morte, a existência de Deus ou o amor.

Têm predileção por jogos de caráter cognitivo, tipo quebra-cabeças. Também optam por jogos de construção que lhes imponham desafios cada vez mais complexos.

Hipersensibilidade psicomotora

São crianças que estão em constante movimento. Têm excedentes de energia e são difíceis de cansar. São entusiastas e precisam estar em atividade física ou cognitiva.

É muito frequente que erroneamente sejam diagnosticadas com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), porque o aborrecimento as leva a pôr o excedente de energia em ações que geram constante movimento.

Porém, estão muito longe de ter problemas de atenção. Pelo contrário, têm uma alta capacidade de concentração quando realizam uma tarefa de seu interesse. Por outro lado, podem ser muito distraídas se não lhes interessa.

Descubra: Déficit de atenção em crianças: como detectá-lo a tempo

Dissincronia evolutiva

Uma criança superdotada possui muita imaginação

Este termo é usado pelos psicólogos para descrever uma evolução desigual no desenvolvimento. As crianças com alta capacidade podem estar preocupadas com temas existenciais e, por sua vez, reagir com pirraça descomunal diante da perda de um brinquedo.

Também acontece que a criança superdotada quer fazer coisas que pensou e imaginou, mas que não pode fazer porque seu nível de motricidade não lhe permite devido à idade. Então, estamos diante de crianças que têm uma evolução intelectual que não corresponde ao seu desenvolvimento em outros níveis, como o emocional ou o motor. Isso lhes gera grandes frustrações e impotência.

Como educar a uma criança superdotada?

O sistema educativo nem sempre tem a capacidade de satisfazer às demandas destas crianças, que são vistas como uma carga ou um problema. Isso pode leva-las a fracassar, tanto a nível pessoal quanto acadêmico.

Educar uma criança superdotada não é fácil, já que elas têm um temperamento complexo: são distraídas, autocríticas, perfeccionistas e competitivas, com um grande senso de independência. Portanto, precisam que a família e a escola não sejam excessivamente rígidos e estejam abertos a estimular seu desenvolvimento.

Para saber se seu filho tem altas capacidades, você precisa submetê-lo a uma avaliação complexa feita por especialistas. Esta deve incluir quociente intelectual, criatividade, história de vida e estado emocional.

Mais além do que o resultado da avaliação dirá, avalie o enorme potencial que uma criança superdotada tem.

Longe de ser um problema, pelo contrário, é uma bênção.