A infância influencia o desenvolvimento da personalidade

· 13 de maio de 2018
O relacionamento que as crianças têm com seus pais será decisivo no desenvolvimento da personalidade e sua relação com os outros no futuro.

A infância é uma etapa muito delicada em que ocorre o desenvolvimento da  personalidade das crianças.

É tão importante que muitos dos problemas que os adultos sofrem têm sua origem nesta fase de suas vidas.

Devemos ter em mente que tudo o que experimentamos na infância deixará sua marca no nosso cérebro. Um rastro de que não somos conscientes, mas que nos afetará de determinadas formas.

O tipo de reforço e sua importância no desenvolvimento da personalidade

O apoio dos pais influencia o desenvolvimento da personalidade das crianças

No momento de educar crianças, podemos optar pelo reforço positivo ou o reforço negativo. O melhor seria conseguir um meio termo entre esses dois extremos.

  • O reforço positivo refere-se a celebrar todas as coisas que as crianças fazem bem, ignorando o que fazem de forma errada.

Isso pode levar a uma alta autoestima, em que as crianças não são capazes de assumir a responsabilidade por seus erros.

  • O reforço negativo, por outro lado, coloca especial ênfase em tudo o que as crianças fazem de maneira errada.

Isso pode fazer com que eles tenham baixa autoestima, se desvalorizem e acreditem que são sempre piores do que outros.

Ambos os extremos são negativos e influenciarão o desenvolvimento da personalidade de qualquer criança.

Se na vida adulta temos problemas de autoestima, um olhar sobre a infância pode nos dar as razões pelas quais isso acontece com a gente.

O apego aos nossos pais nos marca

Nos primeiros anos de vida, podemos desenvolver até 3 diferentes tipos de apego que marcarão a maneira pela qual nos relacionaremos com os outros em nossa vida adulta.

Apego seguro

O amor dos pais influencia o desenvolvimento da personalidade

O apego seguro é aquele em que as crianças veem suas necessidades atendidas por sua mãe.

Há contato físico, elas sabem que se precisam de sua mãe, ela estará lá. Portanto, essas crianças desenvolvem um vínculo saudável.

O apego ansioso

O apego ansioso ou ambivalente é desenvolvido por crianças cujas mães são afetuosas e próximas, às vezes, mas são frias e distantes em outras situações.

A consequência é que as crianças desenvolvem uma grande insegurança.

Apego evasivo

O carinho dos pais influencia o desenvolvimento da personalidade

O apego evasivo se desenvolve devido a mães insensíveis que muitas vezes ignoram as necessidades das crianças.

Como consequência, elas aprendem a rejeitá-las, a serem independentes e a não reivindicá-las. No futuro, terão problemas significativos ao estabelecer relações com outras pessoas.

Como vimos, o apego seguro é o mais saudável. No entanto, os ansiosos e evasivos são mais comuns do que pensamos.

  • Uma pessoa que, em sua infância, desenvolveu um apego ansioso, é muito susceptível de sofrer dependência emocional em suas relações como casal, que tem problemas para estabelecer vínculos saudáveis ​​e ser assertivo.
  • Alguém que na sua infância desenvolveu um apego evasivo sempre estará emocionalmente distante e, no momento em que alguém se aproximar dessa maneira, ele fugirá.

São pessoas que acham difícil estabelecer conexões sólidas com outras pessoas.

O desenvolvimento da personalidade na infância

Como vimos, o desenvolvimento da personalidade na infância é muito sensível ao tipo de reforço e apego que é gerado na relação que os pais, especialmente as mães, têm com seus filhos.

Desta forma, será muito benéfico saber como dar a atenção necessária aos pequenos, não deixar os problemas com o casal afetá-los e garantir que possamos oferecer-lhes um apego seguro.

Infelizmente, os pais geralmente não levam isso em conta e devido a responsabilidades, trabalho e os filhos, no final, tudo isso é relegado para o segundo plano.

No entanto, não podemos esquecer que na infância há o desenvolvimento da personalidade e que está nas mãos dos pais fazer todo o possível para evitar que, no futuro, as crianças tenham determinados problemas.

A dependência emocional, a impossibilidade de estabelecer vínculos afetivos com outra pessoa, o medo, as inseguranças nas relações… Tudo isso não vem do nada, mas tem uma razão e essa está na infância.