Como desenvolver a inteligência emocional da criança

· 11 de agosto de 2018
Para desenvolver a inteligência emocional da criança, você deve ser seu melhor exemplo. Aplique nossas dicas simples e, em pouco tempo, você verá como seu filho conseguirá equilibrar suas emoções.

Todos os pais devem saber que desempenham um papel muito importante no desenvolvimento da inteligência emocional da criança. É você quem estará presente na vida dessa criança, e seus comentários e ações terão uma grande influência sobre ela.

Começar a partir de uma idade precoce a desenvolver a inteligência emocional da criança, ajudará o reconhecimento e a autorregulação das emoções. O desenvolvimento adequado é fundamental para o crescimento individual e a capacidade de integração na sociedade.

É normal que crianças de até 2 anos de idade não tenham maturidade suficiente para desenvolver esse aspecto de suas vidas. No entanto, após passar dessa idade, há certas situações que ajudarão você a perceber que seu filho está amadurecendo emocionalmente.

Dicas para desenvolver a inteligência emocional da criança

1. Seja o melhor exemplo para seus filhos e tenha uma atitude positiva diante dos problemas

Sua atitude é o exemplo que o seu filho seguirá em qualquer situação. Lembre-se de que você é o exemplo dele e que tudo o que você diz e faz, principalmente quando ele é pequeno, será a mesma coisa que ele colocará em prática durante o crescimento.

Quando você estiver frente a um problema diário, por exemplo. Você acabou deixando queimar a comida que está preparando. Explique ao seu filho como você resolve esta situação sem ter que se preocupar com o que aconteceu.

Brincar ajuda a desenvolver a inteligência emocional

Além disso, não esconda seus sentimentos. Se você sentir vontade de chorar, não vá a um lugar onde seu filho não possa vê-lo, mostre a ele o que você está sentindo. Dessa forma, seu filho poderá associar sentimentos a ações e chegará o momento em que ele mesmo dirá “Estou chateado” ou “Estou triste”.

Em adultos e crianças, reconhecer-se é fundamental. Para ajudar seu filho a expressar seus sentimentos, deve haver uma boa comunicação com ele. Quando há uma comunicação sólida, é mais fácil para o seu filho chegar até você, caso tenha qualquer problema.

2. Ensine seu filho a ser proativo

A proatividade é a atitude que as pessoas assumem para lidar com situações que precisam ser controladas. Quando você incentiva esse hábito, ajuda a desenvolver a inteligência emocional da criança.

Embora a formação de um hábito necessite de tempo e paciência, é essencial que o seu filho tenha a iniciativa da proatividade para que, diante de situações adversas que possam surgir, tenha a capacidade de tomar decisões acertadas.

Faça seu filho se concentrar em “ser” e não “ter”.

Quando você foca seu filho em “ser alguém”, em vez de “ter coisas”, você permite que ele explore todo o seu potencial. Desta forma, você se sentirá motivado a encontrar e desenvolver sua verdadeira vocação, conectando-se com a criatividade que é característica de todas as crianças.

Ensine-o a tomar a iniciativa

A iniciativa implica o reconhecimento das responsabilidades que ajudarão a fazer as coisas acontecerem a seu favor. Isso anda de mãos dadas com a linguagem adequada. Isto é, na linguagem de uma criança proativa, na qual “eu posso” seja a base de todos os passos que ele está disposto a tomar na vida.

O desenho ajuda a desenvolver a inteligência emocional

Ajude-o a definir metas claras

Pergunte a ele, sem pressioná-lo, o que ele quer ser quando crescer, quais coisas importantes ele gostaria de alcançar, em quais esportes ou atividades ele gostaria de participar. Pode ser um objetivo de curto, médio ou longo prazo.

O importante é que ele saiba que é capaz de tomar uma decisão e que tem seu apoio.

Por que é importante desenvolver a inteligência emocional da criança?

A inteligência emocional engloba consciência, compreensão, motivação, empatia e todas as habilidades sociais. Tudo isso permite que a criança desenvolva a habilidade de se expressar e aprenda a administrar suas emoções.

Além disso, isso vai ajudá-lo a controlar seus impulsos. Seja mais sensível e solidário com os sentimentos dos outros, seja gentil, sociável e tome decisões sensatas que o levem ao sucesso em todas as áreas da sua vida.

1. As crianças se tornam independentes

Se uma criança aprende a controlar sua reação diante de situações complexas para ela e resolve problemas com facilidade desde cedo, em poucos anos ela não sofrerá desespero se as coisas não correrem bem.

Uma vez que seu filho atinja a maturidade emocional, ele virá até você para lhe contar como ele resolveu seus problemas e ouvir sua opinião sobre isso. Ou seja, seu filho se torna independente e será capaz de reconhecer seus sentimentos e lidar com eles.

2. Ele vai se relacionar facilmente com os outros

A comunicação é a base de todos os relacionamentos. Quando você ajuda a desenvolver a inteligência emocional da criança e a ensina a conversar em vez de gritar, perguntar antes de apontar, a sentir empatia pelos outros, você estará fazendo com que o relacionamento dela com outras pessoas seja agradável.

A música ajuda a desenvolver a inteligência emocional

Uma criança emocionalmente estável é uma pessoa que se relaciona com facilidade com os outros. Ela se preocupa em se sentir bem consigo mesma e ajuda a tornar suas relações com os outros harmoniosas.

3. Elas têm um melhor comportamento

As crianças com inteligência emocional são mais propensas a serem felizes e compartilhar em família. Elas tendem a ser cooperativas, otimistas e podem resolver os problemas mais facilmente. Elas sabem perfeitamente o comportamento que devem ter em qualquer situação.

Elas sabem como se adaptar e tentam fazer da comunicação o meio de resolver qualquer adversidade. Elas respeitam a si mesmas e aos outros. Elas sabem valorizar a vida, aprender com as experiências e pedir ajuda quando mais precisam.

Conclusão

Quanto mais cedo a criança alcança o autocontrole de suas emoções, mais rápido ela desenvolverá a capacidade de enfrentar as situações que surgirem e conseguirão reagir a elas de uma maneira inteligente, sem cair em depressão, medo ou agressão.

A ajuda dos pais nesse processo é essencial, pois dessa maneira, a criança não se sentirá sozinha. É um trabalho conjunto do qual ambos se beneficiam. Vocês só devem ter paciência, motivação para fazer as coisas e dar muito amor.