Como curar a ferida do abandono

A recuperação do abandono é um processo e tanto. Apresentamos 6 coisas que você deve levar em consideração para superá-lo.
Como curar a ferida do abandono

Última atualização: 15 Novembro, 2021

Curar a ferida causada pelo abandono de um parceiro não é nada fácil. Não é a mesma coisa superar uma separação amorosa que foi consensual e superar uma que terminou inesperadamente. Se você está passando por esse estágio de luto, aqui estão algumas dicas para curar a ferida do abandono.

Como ressaltam os especialistas, a rejeição em um namoro condiciona a angústia que você experimenta depois dele. Dentre todos os estilos, o abandono é o que gera mais impacto, por isso é também o mais difícil de ser superado. Esperamos que nossos passos para superar a ferida do abandono sejam de grande ajuda para você neste processo.

6 passos para curar a ferida do abandono

Cada processo de luto é único. Algumas pessoas conseguem se recuperar em poucas semanas, enquanto outras levam meses ou até anos. A primeira coisa que você deve fazer é levar isso em consideração para evitar comparar o seu processo com o de outra pessoa próxima a você.

Muitas variáveis determinam a rapidez com que você pode curar a ferida de abandono. Por exemplo, segundo os pesquisadores, o tempo do relacionamento afeta a rapidez com que você consegue levantar a cabeça. No final das contas, quanto mais anos estiverem envolvidos no relacionamento, mais tempo você levará para superá-lo.

Que tudo isso sirva de prelúdio para assimilar os passos para curar a ferida do abandono que apresentaremos a seguir. O importante é que você assuma o compromisso de aplicá-los, entenda que eles vão te beneficiar e que, acima de tudo, você deve continuar com a sua vida.

1. Comece aceitando o que está acontecendo

Homem e mulher separados
O primeiro passo para superar um problema é reconhecê-lo. Aceitar a realidade é a maneira mais fácil de enfrentá-la.

Sim, aceitar que você foi abandonado é o primeiro passo para curar a ferida do abandono. Claro que não é nada fácil, mas é o ponto de partida que o ajudará a trilhar o caminho. Do contrário, você nunca irá assimilar totalmente que o relacionamento terminou, e sempre estará emocionalmente ligado a ele.

O abandono é um processo muito complexo. Suas consequências podem ser sentidas por anos e serão mais fortes dependendo das circunstâncias (um momento de crise, um filho envolvido, uma doença e assim por diante). Desse modo, é provável que você não consiga aceitar, por si mesmo, essa realidade que teve que viver.

Por isso, a mediação de um terapeuta pode ser de grande ajuda. Não se feche para essa possibilidade, pois ele pode ajudá-lo a canalizar as suas emoções e avaliar a situação em perspectiva. Claro, aceitar o abandono não é algo que você necessariamente tenha que fazer no primeiro dia. Espere que as águas se acalmem antes de dar o primeiro passo.

2. Faça as pazes com seus sentimentos e emoções

Superar uma separação envolve abraçar seus sentimentos e emoções, não escondê-los. É muito importante que você aprenda a expressar seus sentimentos a tempo, pois ignorá-los não significa que eles vão desaparecer. Segundo os pesquisadores, reprimir sentimentos pode alterar a maneira como você acessa as suas memórias.

Nesse sentido, você pode idealizar o relacionamento, exagerar alguns momentos e até esquecê-los. Não tenha medo de chorar se sentir vontade de chorar; essa é uma maneira natural de drenar a sua frustração. Isso evita que as emoções o controlem 24 horas por dia. Ao drenar seus sentimentos, você se sentirá melhor a ponto de não encontrar motivos para continuar chorando.

3. Trabalhe a sua autoestima

Como as evidências indicam, o processo de separação sempre envolve uma alteração do autoconceito. Isso é previsível, especialmente quando você passa muito tempo com aquela pessoa. Nestes casos, todos os aspectos da sua vida são compartilhados com ela, o que também afeta o plano emocional.

É muito comum que sua autoestima fique comprometida após um processo de abandono. Há muitas maneiras de fortalecê-la, então aqui estão algumas idéias. Você deve estar atento a esse fator, pois é possível que, se você o negligenciar, ele evolua para episódios de depressão e ansiedade. É por isso que a mediação de um terapeuta é muito importante.

4. Crie momentos de distração

Como você já aceitou a situação, o passo natural é criar momentos de distração que o impeçam de pensar constantemente a respeito. É neste ponto que os seus amigos e familiares podem ser de grande ajuda, pois com o seu apoio você poderá encontrar motivos para se divertir apesar das circunstâncias.

Uma ida ao cinema, uma caminhada na natureza ou um momento de distração à noite podem fazer uma diferença radical na sua estabilidade emocional. Você deve complementar isso cortando os laços que ainda o unem à pessoa. Claro, isso também inclui os laços digitais.

Os pesquisadores concordam que se livrar dos laços digitais é um passo essencial para curar a ferida do abandono. Por exemplo, pare de verificar os perfis da pessoa nas redes sociais. Isso só vai prejudicar a sua recuperação.

5. Não busque culpados

Casal separado
Cada caso de abandono é muito particular; portanto, ficar obcecado em descobrir quem foi mais responsável pelo processo será contraproducente.

Um dos erros mais comuns após passar pelo abandono é culpar a si mesmo. Você navegará em um oceano de justificativas e colocará a culpa do abandono em seus ombros. Você nunca deve buscar culpados nesse processo.

Uma coisa é refletir sobre o relacionamento, os altos e baixos, ou a maneira como os problemas foram tratados, e outra coisa é apontar um dedo acusador. No primeiro caso, você coleta lições e aprendizados; no segundo, você não faz nada além de assumir pesos que não têm qualquer validade.

6. Dê a si mesmo tempo para passar pelo processo

Além de todos os conselhos para curar a ferida do abandono que já lhe demos, talvez o mais importante seja dar a si mesmo algum tempo para superar o processo. Como já dissemos, cada pessoa assimila a situação de maneira diferente, de modo que pode demorar um pouco antes de você se restabelecer totalmente.

Muitos optam por seguir com a sua vida imediatamente, sem prestar atenção às suas emoções ou sentimentos. Eles optam por iniciar relacionamentos românticos ou sexuais para deixar a memória do ex-parceiro no passado. Embora você seja livre para fazer isso, lembre-se de que o ideal é que você se cure completamente antes de decidir começar sua nova vida.

Esperamos que essas etapas para se recuperar de um abandono sejam úteis para lidar com as consequências dessa situação. Tenha paciência e não tenha medo de ficar cara a cara com seus fantasmas; só assim você poderá se levantar e decidir apostar na sua estabilidade.

Pode interessar a você...
O medo do abandono: o que fazer se tememos que nosso parceiro nos deixe
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
O medo do abandono: o que fazer se tememos que nosso parceiro nos deixe

O medo do abandono é forjado na infância e expresso na idade adulta. O medo que nosso parceiro nos deixe é sinônimo de dependência emocional e inse...



  • Davis, P. J. Repression and the inaccessibility of affective memories. Journal of personality and social psychology. 1987; 3(3): 585.
  • Locker Jr, L., McIntosh, W. D., Hackney, A. A., Wilson, J. H., & Wiegand, K. E. The Breakup of Romantic Relationships: Situational Predictors of Perception of Recovery. North American Journal of Psychology. 2010; 12(3).
  • Sas, C., & Whittaker, S. (2013, April). Design for forgetting: disposing of digital possessions after a breakup. In Proceedings of the SIGCHI conference on human factors in computing systems. 2013; 1823-1832.
  • Sprecher, S., Felmlee, D., Metts, S., Fehr, B., & Vanni, D. Factors associated with distress following the breakup of a close relationship. Journal of Social and Personal Relationships. 1998; 15(6): 791-809.
  • Slotter, E. B., Gardner, W. L., & Finkel, E. J. (2010). Who am I without you? The influence of romantic breakup on the self-concept. Personality and social psychology bulletin. 2010; 36(2): 147-160.