Como criar um jardim aquático em casa

Criar um jardim aquático é muito fácil. É apenas uma questão de saber escolher as plantas certas e o local.
Como criar um jardim aquático em casa

Última atualização: 10 julho, 2022

Um jardim aquático é um ótimo complemento para espaços tradicionais. Além disso, ele pode ser montado dentro de casa.

Uma das principais vantagens pela qual vale a pena experimentar é que não precisa de muitos cuidados ou solo enriquecido com substratos. Você também não precisa podar. Ou seja, não precisamos de muito tempo para mantê-lo, mas vamos nos concentrar na montagem.

O jardim aquático traz harmonia e frescor aos ambientes. Nesta ocasião vamos aprender a criar um jardim aquático de forma simples e com poucos elementos.

O que é um jardim aquático?

Antes de iniciarmos a montagem do nosso jardim, consideramos importante conhecer algumas características que o definem. Em primeiro lugar, e como o próprio nome indica, é um jardim composto maioritariamente por água e flora que podem viver neste ambiente.

Embora as divisões possam ser feitas no mesmo recipiente para gerar espaços que exijam mais ou menos água, o resultado final será sempre um recipiente que contém plantas aquáticas em sua totalidade.

A ideia não é fazer uma lagoa no jardim, pois exigiria o uso de muitos litros de água, o que afetaria o cuidado com os recursos hídricos disponíveis em sua região. Vamos nos concentrar em pequenos jardins de água que podem ser contidos em um vaso ou recipiente similar.

Em geral, eles têm uma base sobre a qual as plantas e o material orgânico e inorgânico são montados para gerar seu próprio ecossistema dentro do recipiente. Combinaremos plantas, rochas, pedras, madeiras etc.

Por outro lado, iluminação submersível, substratos e outras decorações também podem ser adicionadas. Esses acessórios só serão incluídos se você quiser criar um jardim de tamanho considerável.

O que você vai precisar para criar seu próprio jardim aquático?

Como já mencionamos, fazer um jardim com essas características não exige que sejamos especialistas, longe disso. Só é importante levar em consideração algumas questões.

Depois de definir se você vai montá-lo dentro ou fora da casa e do espaço, você começará a coletar os materiais que precisará. O container irá variar de acordo com o tamanho que você deseja originar.

Depois vem a seleção de plantas aquáticas que podem ser submersíveis, flutuantes ou palustres. Mais tarde iremos mencionar algumas espécies que você pode considerar. Em seguida, escolha materiais não orgânicos, como pedras e enfeites.

Plantas especiais para jardins aquáticos

Avançamos no ponto anterior que existem 3 tipos de plantas aquáticas:

  • As emergentes são aquelas que fixam suas raízes no solo e suas folhas aparecem na superfície da água. Revelam um verde intenso. Um exemplo claro dessa variedade é o pothos.
  • As plantas submersas desenvolvem-se debaixo de água. Entre elas encontramos a planta elodea.
  • Por fim, as espécies flutuantes parecem dançar na água com absoluta liberdade e não se enraízam no solo, como as algas azuis e o lótus.

Ao escolher entre uma ou outra variedade, teremos que levar em consideração as características do espaço onde as colocaremos e o clima. Isso porque existem espécies que precisam de temperaturas frias para se desenvolver, enquanto outras preferem águas mornas.

Veja: Atividades na natureza: confira suas vantagens

Passo a passo

Agora que temos um pouco mais de informações sobre as características desses jardins, vamos ver como podemos montar um:

  1. Se vamos montá-lo dentro de casa, o ideal é optar por um recipiente de vidro para poder apreciar as plantas em sua totalidade e descobrir como elas crescem. Caso prefira fazer um jardim aquático maior, um recipiente mais amplo para que a planta possa se desenvolver bem.
  2. Se você quiser incluir outras espécies que precisam de solo e umidade em seu jardim aquático, você pode subdividir o vaso com uma folha de plástico que servirá como isolante.
  3. Você só precisa escolher quais variedades de plantas você deseja. Coloque-as dentro do recipiente e adicione um pouco de terra e água.
  4. Quando as plantas estiverem prontas, adicione algumas pedras e troncos para decorar seu jardim.

O jardim está pronto e agora só resta cuidar dele adequadamente.

Jardim de água no pátio.

Cuidados especiais para um jardim aquático

As plantas aquáticas que crescem em ambiente natural recebem seus nutrientes da água do córrego em que crescem. No caso de um ambiente criado artificialmente, nós devemos fornecer esses nutrientes.

A água que usamos deve ser limpa (em alguns casos podem ser usados purificadores) e a uma temperatura bastante aquecida. É importante trocar a água uma vez por semana para mantê-la em boas condições.

A renovação do líquido não é um detalhe menor, já que em climas quentes os mosquitos podem se proliferar se a troca não for feita com frequência.

Quanto à luz, é fundamental que receba luz natural por pelo menos 12 horas por dia. Se desejar, adicione fertilizantes ou pellets de alimentos para plantas de vez em quando.

Além disso, não recomendamos a colocação de peixes ou qualquer outro tipo de animal neste jardim.

Lembre-se sempre, que os itens que estão dentro de um aquário são seres vivos, não são mercadorias para serem descartadas e tratadas como qualquer produto. Preserve a vida, a natureza e o meio ambiente!

Esperamos que você possa montar seu próprio jardim aquático, pois é muito simples e não necessita de cuidados especiais impossíveis. Qualquer lugar da sua casa ficará diferente e cheio de vida com esta proposta.

Pode interessar a você...
Poinsétia: saiba como cuidar desta planta maravilhosa
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Poinsétia: saiba como cuidar desta planta maravilhosa

A poinsétia é nativa do México e da América Central. Descubra como cuidar desta linda planta!



  • Martínez-de la Puente J, Soriguer R, Figuerola J. ¿A quién pican los mosquitos? Una gota de sangre basta para saberlo. Naturalmente. 2017; 13: 15-18.
  • Álvarez, M. (2007). Estanques y jardines acuáticos: una guía esencial para construir estanques, jardines acuáticos, fuentes y cascadas en el jardín. Editorial Albatros.
  • Sánchez, E. D. D. (2008). Atlas ilustrado de los jardines acuáticos. Bouteloua, (4), 55.
  • Buczacki, S. (1999). Plantas acuáticas(Vol. 6). Ediciones AKAL.
  • García-Quintas, A. (2015). Descripción de las colonias reproductivas de aves acuáticas en el Parque Nacional Jardines de la Reina, Cuba/Description of the waterbirds reproductive colonies in the National Park Jardines de la Reina, Cuba. Revista Cubana de Ciencias Biológicas4(3), 29-35.
  • Bonilla-Barbosa, J. R., & Santamaría, B. (2013). Plantas acuáticas exóticas y traslocadas invasoras.  Mendoza y P. Koleff (coords.). Especies acuáticas invasoras en México. Comisión Nacional para el Conocimiento y Uso de la Biodiversidad. México, 223-247.