Como aliviar a dor de cabeça no verão

18 Dezembro, 2019
A dor de cabeça no verão é um motivo de preocupação nas férias de muitas pessoas. Este artigo busca explicar as razões da cefaleia no verão e como podemos preveni-la.

Não há dúvidas de que a dor de cabeça no verão é praticamente uma entidade médica. O verão sempre traz um maior número de consultas por causa de cefaleia e de intensificação dos episódios de dor em pessoas que sofrem de enxaqueca.

Pesquisas realizadas em diversos países revelam que entre 85-90% das pessoas afirmam ter tido pelo menos um episódio de cefaleia no último ano. É por isso que a consulta por causa de dor de cabeça é a mais frequente em quase todos os serviços de saúde.

Um dado interessante é que não afeta por igual homens e mulheres. 80% dos homens teve episódios de cefaleia no último ano, mas entre as mulheres esse número chega a 90%. Do mesmo modo, a enxaqueca afeta mais as mulheres que os homens, estando presente em 15% da população geral.

Vamos ver alguns aspectos desses múltiplos fatores ocultos que causam a dor de cabeça no verão.

Causas da dor de cabeça no verão

As cefaleias têm várias causas. Salvo patologias pontuais que têm uma etiologia clara, as cefaleias mais prevalentes não são ocasionadas por apenas um fator.

A dor de cabeça no verão não é a exceção. Sem dúvida alguma, a cabeça não dói pelo simples fato de ser verão. Dói porque são combinadas no mesmo momento uma série de situações que dependem da época do ano. Uma combinação habitual são as viagens que incluem mudanças de hábitos e a exposição à luz solar.

Calor

Certamente, o calor, é uma causa. Por exemplo, no verão, com temperaturas do ambiente mais elevadas, o corpo desenvolve vasodilatação. Isso significa que aumenta o calibre dos vasos sanguíneos para trocar energia calórica com o exterior e não sofrer um golpe de calor. Como efeito não desejado, a vasodilatação pode estar na base etiológica das enxaquecas.

Descubra mais: Causas das enxaquecas que você não conhecia

Consumo de álcool e desidratação

No verão, também uma maior demanda de hidratação por parte do organismo, devido à temperatura ambiente. Essa exigência muitas vezes é remediada com álcool durante os meses de calor. Mas o álcool não hidrata, e a desidratação segue seu curso, podendo provocar cefaleias.

Mudanças nos horários de sono

Mulher com insônia

As mudanças nos horários diurnos e noturnos também podem ser substrato para piorar a enxaqueca. Por haver mais luminosidade durante o dia, o corpo modifica seus hábitos e seus horários de sono. É muito comum que durante o verão as horas de descanso sejam reduzidas, inclusive causando insônia.

Pessoas que não sofrem de insônia regularmente, podem manifestá-la no verão. O trabalhador relaxa, as crianças não têm que acordar cedo, as telas ficam ligadas por mais tempo, a vida social se intensifica e são consumidas mais substâncias estimulantes. Finalmente, com a insônia, as cefaleias aumentam.

Você também pode se interessar por: Você sabia que existem diferentes tipos de insônia?

Como prevenir a dor de cabeça no verão

Vamos ver então quais medidas podem ser tomadas para evitar o aparecimento da dor de cabeça no verão. Todas são medidas simples. E podemos dividi-las em dois objetivos:

  • Para compensar o calor do verão.
  • Para compensar os hábitos do verão.

Medidas contra o calor para prevenir a dor de cabeça no verão

  • Proteger-se do sol: o sol do verão é sentido de forma mais intensa pelo corpo. Portanto, é necessário se proteger com chapéus e dar preferências a roupas brancas. Os óculos de sol também são muito úteis. Além disso, se for possível, as atividades ao ar livre devem ser realizadas fora dos horários centrais do dia, quando a luz é mais intensa.
  • Evitar as mudanças drásticas de temperatura: é costume no verão usar na máxima potência os aparelhos de ar condicionado. Entretanto, entrar e sair de lugares climatizados é um gatilho para a cefaleia.
  • Manter o frescor da casa: dentro de casa, é preferível conservar o frescor gerado pelo ar frio dos aparelhos de ar condicionado. Os ventiladores são preferíveis.
  • Hidratar-se: sem dúvida alguma, durante o verão, o corpo precisa de água em maior quantidade que o habitual. Para evitar a desidratação, é recomendável ingerir líquidos em intervalos regulares e evitar bebidas que causam desidratação, como o álcool.
Hidrate-se bem

Medidas contra os hábitos do verão.

  • Alimentar-se saudavelmente: pode-se contribuir com o consumo de líquidos ao ingerir alimentos que tenham bastante água, como as frutas e as verduras. Por exemplo, para quem sofre de enxaqueca, uma indicação é evitar alimentos que contêm substâncias associadas às cefaleias, como os embutidos ou o chocolate.
  • Descansar como de costume: a mudanças de rotinas parece ser uma norma no verão. Os especialistas concordam que a melhor prática é tentar manter os horários do ano todo, com as mesmas horas de sono. Inclusive, pode-se fazer um descanso de até trinta minutos no horário de maior intensidade de luz solar, contribuindo para não se expor ao sol nesse momento.

Resumindo…

Em conclusão, durante o verão, há o aumento da exposição a uma série de fatores que podem influenciar o aparecimento de cefaleias. Assim então, o aumento da temperatura, somado à desidratação e à insônia podem explicar por que esse sintoma aumenta nessa época do ano.

Felizmente, há uma série de cuidados e hábitos que podem ser aplicados em casa tanto para prevenir seu aparecimento como para aliviar a dor existente. Portanto, tenha isso em mente!

  • Cid, J. María Loreto. Cefaleas, evaluación y manejo inicial. Revista Médica Clínica Las Condes 25.4 (2014): 651-657.
  • Auber, Gregory J. Cómo eliminar el calor: tratamiento de los trastornos causados por el calor. Nursing (Ed. española) 23.6 (2005): 28-30.
  • Visens, Laura S. Actualización en la prevención y tratamiento de la migraña. Medicina (Buenos Aires) 74.2 (2014).