Você sabia que existem diferentes tipos de insônia?

Em função do momento da noite em que apareça e do quanto se prolongue, podemos falar de diferentes tipos de insônia que podem ou não requerer ajuda.

A dificuldade para iniciar ou manter o sono é um problema muito habitual hoje em dia.

Segundo o motivo, a duração ou as consequências, podemos dizer que existem diferentes tipos de insônia. Neste artigo falaremos sobre as mais importantes.

O que é a insônia?

Mulher com um tipo de insônia determinado

Não conseguir dormir uma noite porque estamos muito ansiosos antes de um evento (uma viagem, uma mudança, um casamento, etc.) é normal e não precisamos nos preocupar com isso.

O problema acontece quando os problemas para conciliar o sono se transformam na regra e não na exceção.

A insônia afeta uma grande porcentagem da população mundial e pode se manifestar ao deitarmos ou de madrugada (acordamos e não conseguimos dormir de novo).

Divide-se segundo a duração:

  • Aguda, se dura menos de 1 mês.
  • Subaguda, se se mantém entre 4 e 6 semanas.
  • Crônica, se passam mais de 6 meses e não conseguimos resolvê-la.

São muitas as causas da insônia mas, principalmente, deve-se a alterações psicológicas tais como o estresse, a depressão ou a ansiedade.

Em algumas pessoas deve-se a um desequilíbrio hormonal ou pode estar relacionada a certos problemas no ritmo cardíaco (que regula o sono e a vigília).

Por outro lado, devemos saber que a insônia pode ter outras origens, tais como:

  • Más condições do lugar onde se descansa;
  • Hábitos irregulares de sono;
  • Jantares pesados;
  • Consumo de substâncias excitantes para o sistema nervoso (café, álcool, drogas, etc.).

Por sua vez, há quem possa ter insônia depois de uma intervenção cirúrgica, pela abstinência de álcool, por estresse pós-traumático ou como efeito secundário de um medicamento.

Veja também: Como regular a melatonina e dormir melhor

A insônia pode ser controlada?

Podemos prevenir o desenvolvimento de insônia e evitar que ela se transforme em um problema crônico se tivermos hábitos saudáveis:

  • Não consumir substâncias excitantes à noite.
  • Jantar leve.
  • Praticar exercícios no máximo até o entardecer.
  • Refrigerar o quarto e minimizar os barulhos e luzes.
  • Manter uma rotina quanto aos horários para dormir e acordar.
  • Tomar um banho relaxante à noite.
  • Não ver televisão ou usar o telefone na cama.
  • Evitar descansos prolongados pós-almoço.

O descanso é fundamental para o nosso organismo, porque o repara e restaura, termorregula e prepara para as atividades do dia seguinte.

Assim, a insônia pode ter muitas consequências negativas, dentre as quais se destacam:

  • Dificuldade para se concentrar ou memorizar;
  • Cansaço, falta de vontade e sonolência;
  • Acidentes de tráfico ou de trabalho;
  • Irritabilidade, depressão e mau humor;
  • Desorientação e conflitos existenciais.

Quais são os tipos de insônia que existem?

Homem com um tipo de insônia determinado

É dividida em três grandes grupos: segunda a duração, a gravidade e o espaço de tempo.

Transitória ou aguda

É o transtorno que se mantém por no máximo 4 semanas. Pode ocorrer devido a, por exemplo, mudanças no padrão do sono, no horário de trabalho ou na localização geográfica (o que se conhece como “jet lag“).

Além disso, este tipo de insônia pode ser causado pelo estresse, uma doença, problemas pessoais ou excesso de cafeína ou álcool.

A curto prazo ou subaguda

Dura entre 4 e 6 semanas. É mais frequente nas pessoas que sofreram um acidente importante ou uma perda de um ente querido.

Também é muito habitual experimentá-la como consequência do estresse pós-traumático.

A longo prazo ou crônica

Tem uma duração superior aos 3 meses e pode se estender até que a pessoa trate o problema. Na maioria dos casos se deve a uma doença física ou psiquiátrica crônica.

Leve

 Mulher com um tipo de insônia determinado

É o transtorno do sono mais habitual, já que não tem consequências muito negativas na qualidade de vida da pessoa.

No outro dia se levantará mais cansado ou com  menos vontade de trabalhar, mas sem pôr em risco sua saúde.

Moderada

Quando a insônia se torna algo cada vez mais habitual, os efeitos são mais visíveis e importantes.

A deterioração no dia a dia da pessoa está relacionada com o cansaço, a irritabilidade, a ansiedade e a falta de rendimento em seu trabalho.

O mau humor é moeda corrente e os problemas para reter informação também.

Severa ou grave

O transtorno do sono neste caso é de maior intensidade e repercute notavelmente na vida do afetado.

Não consegue fazer nenhuma de suas atividades cotidianas, já que não contam com a energia suficiente nem para se levantar da cama.

Além disso, as mudanças de humor são cada vez mais erráticas e pode ser que a pessoa consuma medicamentos ou certas substâncias para reverter a situação.

Inicial ou de conciliação

Aparece quando apenas deitamos e se caracteriza pela dificuldade para conciliar o sono até altas horas da madrugada.

A pessoa não encontra um método eficaz para dormir (contar ovelhas, ler, meditar, escutar músicas relaxantes, etc.).

Muitas vezes este tipo de insônia é causada pela ansiedade ou pelos problemas e não permite que o cérebro se acalme o suficiente.

Leia também: As melhores plantas para dormir a noite inteira

 Intermediária ou de mantimento do sono

Mulher com um tipo de insônia determinado

Neste caso o problema se desenvolve de madrugada. Ainda que possa conciliar o sono ao deitar, depois de poucas horas a pessoa acorda e não consegue dormir mais.

Também pode acordar em vários momentos durante a noite.

Terminal ou de fim de sono

Também conhecida como insônia matinal. Nesta situação a pessoa acorda antes do horário planejado para o despertador.

Pode ser também por uma falta de escuridão total no quarto (com os primeiros raios de sol, a pessoa desperta) ou muita ansiedade devido a um acontecimento importante nesse dia.

 

Imagem principal oferecida por © wikiHow.com

Recomendados para você