Como a mudança de horário nos afeta?

01 Janeiro, 2020
A mudança de horário pode levar a efeitos irritantes, mais perceptíveis em algumas pessoas do que em outras. Para evitar que isso aconteça, é melhor se expor à luz solar durante o dia, tentar não tirar cochilos e manter a rotina habitual. Em três dias o organismo se adapta.
 

Existem vários estudos sobre como a mudança de horário nos afeta. No entanto, nenhum é conclusivo. O que está claro é que essa mudança tem efeitos que variam de pessoa para pessoa e podem ser muito irritantes para alguns.

A questão da mudança do horário sempre provocou enormes debates. Na Europa, foi lançado durante a Primeira Guerra Mundial. A principal razão para isso foi o argumento de que isso permitia economizar energia. Em quase todo o mundo, ocorre no final de março, no verão, e no último domingo de outubro, no inverno.

No Brasil, geralmente começa em outubro e termina em fevereiro. Em 2019, entretanto, o atual presidente revogou o decreto que estabelecia a mudança de horário no verão.

Em teoria, o que se busca é aproveitar ao máximo a luz do sol para promover a economia de energia. No entanto, existem estudos que indicam que a energia economizada pela manhã é gasta à tarde. Da mesma forma, os trabalhadores se tornam menos produtivos enquanto se adaptam. Talvez não haja tanta economia quanto pareça.

Mudança de horário

A mudança de horário afeta o organismo

Algumas pesquisas realizadas indicam que as culturas que não possuem eletricidade têm uma rotina semelhante àquelas que contam com este serviço.

 

Acredita-se que nossos antepassados ​​também dormiam de maneira semelhante à que fazemos agora. Isso significa que, por natureza, todos nós seguimos padrões de sono semelhantes.

Isso ocorre porque todos os seres vivos, mesmo os mais simples, regulam muitas de suas funções a partir de ciclos de 24 horas. Neste período, a luz e a escuridão são fatores decisivos. Em 2011, uma equipe de pesquisadores do Centro de Regulação Genômica (CRG) de Barcelona descobriu que as células distinguem entre dia e noite e que isso é crucial para o seu funcionamento.

Os ciclos de luz e escuridão, e todas as funções que deles derivam, são chamados de ritmo circadiano. Quando esses ciclos são alterados, causam um desequilíbrio no corpo e provocam vários problemas. O corpo humano aprecia as rotinas, pois ajudam a funcionar melhor.

Quer saber mais? Então leia: 7 razões pelas quais você está se sentindo cansado

Os efeitos da mudança de horário

A mudança de horário causa um tipo de jet lag em menor escala. Jet lag é o nome dado ao desconforto que ocorre ao viajar para um local que está em um fuso horário muito diferente da origem. A mudança de horário faz com que o organismo fique confuso e, por alguns dias, torna-se um tanto caótico.

Essa descoloração nas horas de atividade e descanso causa sensação de cansaço, sonolência e irritabilidade. Algumas pessoas sofrem com isso mais intensamente do que outras. Esses sintomas são devidos ao fato de que o efeito imediato da mudança de horário é uma alteração na secreção de melatonina.

 

A melatonina é um hormônio que age em função da luz solar. Portanto, com mais luz ambiente há menos segregação de melatonina e, em menor quantidade de luz, a produção aumenta causando sonolência. Com a mudança do horário, há uma desregulamentação desse hormônio e isso dá origem aos sintomas aos quais apontamos. No entanto, na maioria dos casos, leva apenas cerca de três dias para que o organismo alcance um novo equilíbrio.

Leia também: 8 alimentos que podem aumentar a melatonina e melhorar a qualidade do sono

Outros efeitos

A melatonina e os efeitos no organismo

A mudança do horário influencia a quantidade e, acima de tudo, a qualidade do sono. Uma investigação a esse respeito indica que essa modificação leva à perda de até 60 minutos de sono nos primeiros dias e afeta a qualidade do descanso em 10%.

Há também algumas pesquisas descritivas nas quais se destaca que a mudança de horário no verão resulta em um ligeiro aumento no número de infartos do miocárdio. Por sua vez, o término do horário de verão (perto do outono) faz com que esse número diminua.

Da mesma forma, existem estudos que indicam que, após a mudança horária, aumenta o número de acidentes de trabalho e de trânsito. Há evidências estatísticas de que na segunda-feira após a mudança de horário, os acidentes de trabalho tendem a ser mais graves do que em outros momentos.

 

Por outro lado, outro estudo a esse respeito indica que, durante os dias após a mudança de horário, há um aumento na taxa de suicídio. Entretanto, é importante observar que a taxa de ataques cardíacos, de acidentes e de suicídios aumentam apenas um pouco.

  • Serón-Ferré, M. J. (2018). Relojes, relojes, relojes y el cambio de hora¿ Son los relojes internos espejos del reloj externo?. Revista Chilena de Enfermedades Respiratorias, 34(3), 151-152.
  • Ritmo circadiano: el reloj maestro. Alteraciones que comprometen el estado de sueño y vigilia en el área de la salud. (2014). Morfolia.
  • Argüelles, R., Bonmatí Carrión, M., Argüelles Prieto, R., & Bonmatí Carrión, M. (2015). Melatonina, la hormona de la noche. Eubacteria.