Colorau: origem, características e usos

As sementes de urucum são usadas como corante, tempero alimentar e para fins medicinais. Quais são as suas propriedades? Descubra-as a seguir!
Colorau: origem, características e usos

Última atualização: 29 Outubro, 2021

O colorau é um ingrediente frequentemente usado como corante e tempero alimentar. Também é conhecido como anato e urucum, dependendo da localização geográfica. Vem de uma planta nativa da América, cujo nome científico é Bixa orellana.

À semelhança de outros ingredientes como páprica, cúrcuma e açafrão, destaca-se pela sua concentração de carotenoides. Estes não apenas são responsáveis pela sua cor intensa característica, mas também lhe conferem algumas propriedades. Quais benefícios são atribuídos a ele? Descubra a seguir!

Principais usos do colorau

Durante anos, as sementes de urucum foram usadas para pintar o corpo e como suplemento para proteger a pele da radiação solar. Além disso, eram aplicadas como remédio para distúrbios digestivos, para repelir insetos e para reduzir os sintomas de alguns problemas de pele.

Atualmente, seu principal uso é como corante natural de alimentos e como condimento. Quando usado em grandes quantidades, deixa um sabor levemente picante e um aroma floral. Na verdade, é comum encontrá-lo em alimentos como os seguintes:

  • Molhos para saladas
  • Biscoitos
  • Queijos amarelos, como cheddar e velveeta
  • Sorvetes
  • Cereais para o café da manhã
  • Manteiga
  • Derivados da carne como patês, entre outros

Um fato importante é que aproximadamente 70% dos corantes naturais dos alimentos vêm do colorau.

Principais usos do achiote
O colorau é usado como condimento para carnes, sopas, guisados, entre outras receitas.

Possíveis benefícios do colorau

As sementes de urucum possuem entre seus componentes diferentes compostos bioativos, como saponinas, alcaloides, flavonoides e vitamina E. Sua assimilação no organismo está relacionada a diversos benefícios. Os mais importantes são os mencionados abaixo.

Propriedades antimicrobianas

Uma publicação no Journal of Food Protection afirma que este corante alimentar tem efeitos antimicrobianos. Em particular, descobriu-se que seus extratos ajudam a interromper o crescimento de bactérias patogênicas, como Staphylococcus aureus e Escherichia coli.

Outros estudos mostram que produtos tratados com urucum em pó apresentam um menor crescimento microbiano do que aqueles que não são tratados com esse tempero. Portanto, acredita-se que esse corante alimentar tenha um papel promissor na preservação de alguns alimentos.

Propriedades antioxidantes

Os compostos vegetais deste tempero possuem propriedades antioxidantes. Uma pesquisa da Food Chemistry destaca esses efeitos e os relaciona aos cuidados com a saúde.

Para ser mais preciso, essas substâncias neutralizam a ação negativa dos radicais livres que danificam as células. Dessa forma, protegem a integridade dos tecidos e evitam o aparecimento de doenças.

Saúde ocular

Os carotenoides contidos no urucum estão positivamente associados à saúde ocular. Em um estudo realizado em animais, a suplementação com este ingrediente por 3 meses foi útil na redução do acúmulo de compostos ligados ao desenvolvimento da degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Ainda assim, são necessárias mais evidências científicas.

Saúde do coração

A vitamina E e outros antioxidantes do urucum têm um efeito positivo na saúde do coração. Sua ingestão reduz o excesso de inflamação e favorece a quebra do colesterol em excesso. Dessa forma, protege contra eventos como ataques cardíacos.

Possíveis riscos e recomendações

Em geral, o urucum parece ser seguro para a maioria da população. No entanto, há pessoas que podem ter uma reação alérgica, especialmente se tiverem alergia conhecida a plantas da família Bixaceae.

Como na maioria das reações, os sintomas incluem coceira, inchaço, urticária, pressão arterial baixa e dor de estômago. Em alguns casos, o colorau pode desencadear sintomas da síndrome do intestino irritável (SII), como diarreia e distensão abdominal.

Como precaução, mulheres grávidas ou lactantes não devem consumir urucum em quantidades superiores às normalmente encontradas nos alimentos.

Como usar o colorau em casa?

Em primeiro lugar, lembre-se de que essa especiaria é levemente picante, por isso tem uma semelhança com a páprica defumada e os temperos de pimenta. Portanto, seu uso é comum em molhos, marinadas e todos os tipos de carnes. Também é utilizado em receitas vegetarianas, como sopas de vegetais e molhos.

O colorau costuma estar disponível em sementes ou em pó. As primeiras são usadas para fazer infusões, mas é melhor moê-las para realçar o sabor e a cor. Elas também podem ser embebidas em água quente ou fritas em um óleo neutro como a canola.

Se você preferir pular essas etapas, basta comprar a apresentação em pó. Dessa forma, você pode adicioná-la sobre o que estiver cozinhando. Use em quantidades moderadas.

Nas regiões da América Central ela é usada no formato de molho concentrado, já que é comum em receitas tradicionais que têm sabor picante. Esta pasta pode ser usada assim ou pode ser diluída em caldo ou água.

Como usar achiote em casa?
A maneira mais fácil de incorporar o colorau às refeições é comprando a sua versão em pó.

Experimente o sabor do colorau!

Devido à sua composição, o colorau não só melhora o sabor de muitos pratos, mas também proporciona efeitos positivos à saúde. Obviamente, é importante incluí-lo no contexto de uma alimentação saudável e variada para que os seus benefícios sejam eficazes.

Embora também seja encontrado em uma ampla variedade de produtos alimentícios, é melhor experimentá-lo em sua forma natural. Você pode adicioná-lo a sopas, carnes e uma grande variedade de receitas.

Pode interessar a você...
8 especiarias essenciais na culinária indiana
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
8 especiarias essenciais na culinária indiana

As especiarias são ingredientes onipresentes na culinária indiana. Descubra quais são as mais usadas na gastronomia deste país asiático.



  • Raddatz-Mota D, Pérez-Flores LJ, Carrari F, Mendoza-Espinoza JA, de León-Sánchez FD, Pinzón-López LL, Godoy-Hernández G, Rivera-Cabrera F. Achiote (Bixa orellana L.): a natural source of pigment and vitamin E. J Food Sci Technol. 2017 May;54(6):1729-1741. doi: 10.1007/s13197-017-2579-7. Epub 2017 Mar 16. PMID: 28559632; PMCID: PMC5430180.
  • Galindo-Cuspinera, V., Westhoff, D. C., & Rankin, S. A. (2003). Antimicrobial properties of commercial annatto extracts against selected pathogenic, lactic acid, and spoilage microorganisms. Journal of food protection66(6), 1074-1078.
  • Van Cuong, T., & Chin, K. B. (2016). Effects of annatto (Bixa orellana L.) seeds powder on physicochemical properties, antioxidant and antimicrobial activities of pork patties during refrigerated storage. Korean journal for food science of animal resources36(4), 476.
  • Chisté, R. C., Mercadante, A. Z., Gomes, A., Fernandes, E., da Costa Lima, J. L. F., & Bragagnolo, N. (2011). In vitro scavenging capacity of annatto seed extracts against reactive oxygen and nitrogen species. Food Chemistry127(2), 419-426.
  • Fontaine, V., Monteiro, E., Brazhnikova, E., Lesage, L., Balducci, C., Guibout, L., … & Lafont, R. (2016). Norbixin protects retinal pigmented epithelium cells and photoreceptors against A2E-mediated phototoxicity in vitro and in vivo. PloS one11(12), e0167793.