Como lidar com o ciúme após uma infidelidade

Gerenciar o ciúme após uma infidelidade não é uma tarefa fácil e pode causar dificuldades no relacionamento. Neste artigo, explicamos as melhores estratégias para combatê-lo.
Como lidar com o ciúme após uma infidelidade

Última atualização: 09 Fevereiro, 2021

Quando ocorre uma traição, esse fato atua como um terremoto, abalando os alicerces sobre os quais o relacionamento foi construído. Na verdade, é extremamente comum sentir desconfiança e ciúme após uma infidelidade.

A intensidade das suspeitas vai depender, em parte, de como éramos antes da traição: se confiávamos em nosso parceiro ou se o ciúme já fazia parte do nosso dia a dia. Mas não importa como estávamos, é provável que, diante da infidelidade, fiquemos mais desconfiados.

Não importa em que fase da relação o casal se encontrava, uma decepção sempre gera dor. Se analisarmos com frieza, não estamos preparados para que a pessoa em quem mais confiamos venha a mentir para nós.

Modelos de relacionamento

Até recentemente, o modelo predominante de relacionamento era o casamento heterossexual monogâmico. No entanto, a sociedade evoluiu e cada vez mais pessoas estão estabelecendo relacionamentos além desse arquétipo.

Desta forma, hoje em dia podemos encontrar mais facilmente casais swingers ou pessoas que praticam o poliamor em uma de suas diferentes estruturas.

No entanto, se todas as relações afetivas têm algo em comum, é que seus membros devem concordar explícita ou implicitamente sobre que tipo de acordos apoiam a união. Obviamente, um dos pontos básicos que devem ser abordados é o modelo de relacionamento emocional e sexual que você deseja estabelecer.

O que entendemos por infidelidade?

Mulher descobrindo traição
O conceito de infidelidade pode variar de um casal para o outro. Enquanto para alguns significa que o parceiro manteve relações com terceiros, para outros contatar pessoas online com uma intenção sexual já é traição.

A infidelidade é um conceito que cada casal deve determinar o que é e o que não é. Assim, para muitas pessoas, consistirá em um dos cônjuges ter relações sexuais com um membro fora do casal.

Por outro lado, para outros, também será paquerar, contatar pessoas online com uma intenção sexual ou ter uma conexão emocional com alguém que não seja seu parceiro.

Todas as relações passam por fases distintas e o pacto de fidelidade não precisa ser estático, pode evoluir se houver acordo. O problema surge quando uma das duas partes quebra as regras acordadas e ocorre a traição.

Como lidar com o ciúme após uma infidelidade?

É comum que o ciúme surja e se instale na vida do casal depois de uma infidelidade. Por este motivo, vamos ver alguns dos aspectos emocionais que devemos trabalhar para combatê-lo.

1. Melhorar o autoconhecimento

A infidelidade é um excelente momento para analisar a origem das nossas inseguranças e por que elas se transformam em ciúme. Se não nos conhecermos melhor e não compreendermos o que nos causa dor, será difícil superar a crise.

2. Recuperar a confiança no parceiro

O ciúme tem um componente de desconfiança muito importante. Para voltar a confiar no parceiro, é imprescindível que possamos comentar cada aspecto da relação que nos preocupa e, juntos, decidir como lidar com eles.

Ciúme no relacionamento
A confiança é um dos aspectos mais afetados após uma infidelidade. Porém, é necessário recuperá-la para evitar problemas posteriores devido ao ciúme.

3. Aprender a usar as “mensagens eu”

A comunicação adequada com nosso parceiro será essencial para o gerenciamento da situação. Esse tipo de mensagem consiste em descrever o que acontece colocando nossos sentimentos antes do fato em si, sem cair em qualquer tipo de acusação ao outro. Ao usá-las, facilitamos uma comunicação mais fluida e menos conflituosa.

4. Esquecer as censuras

Quando somos traídos, é fácil repreender a outra pessoa pela dor que ela nos causou. No entanto, isso aumentará a dor, criará discussões desnecessárias e aumentará o desconforto.

5. Respeitar a liberdade do cônjuge

Desconfiar da outra pessoa e querer controlá-la o tempo todo só vai afastá-la de nós. Por mais que sua infidelidade nos tenha ferido, entender que ele ou ela não nos pertence e respeitar sua independência são dois bons princípios para reconstruir o relacionamento.

6. Amar, não precisar

Quando estamos com ciúmes, podemos esquecer a diferença entre amar e precisar. As pessoas devem aprender a amar seus cônjuges sem cair na dependência emocional. Isso não alcançará mais do que o efeito oposto: distanciar nosso parceiro/a.

Dependência emocional
Amar não é a mesma coisa que depender. Como casal, é muito importante ter isso claro, pois esta situação pode ser prejudicial a longo prazo.

7. Passar pela dor

É completamente normal que nos sintamos tristes, chateados ou com raiva quando somos traídos. No entanto, devemos aprender a sentir as emoções e depois deixá-las ir. Caso contrário, corremos o risco de elas ficarem instaladas no nosso dia a dia.

8. Perdoar

No fim, só teremos duas opções: perdoar ou terminar o relacionamento. Viver sem perdoar não é viável a longo prazo, pois causará muito mais dor e desconforto para ambos os parceiros.

9. Aceitar

Só podemos ficar em paz com nosso cônjuge se aceitarmos que somos todos humanos e que podemos cometer erros sem calibrar as consequências das nossas ações.

10. Agradecer

Agradecer por tudo o que vivemos e aprendemos nesta difícil situação nos ajudará a estar em harmonia conosco e com nosso parceiro, para que o vínculo seja fortalecido e estejamos mais preparados para enfrentar as adversidades futuras.

Se conseguirmos controlar o ciúme depois de uma infidelidade e reconquistar a confiança em nosso parceiro, teremos aprendido uma grande lição de vida e, sem dúvida, seremos mais fortes e mais sábios.

Pode interessar a você...
8 passos para salvar um relacionamento que está desmoronando
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
8 passos para salvar um relacionamento que está desmoronando

Se você quer saber o que pode fazer para salvar um relacionamento que não vai bem, saiba que o primeiro passo será uma autoavaliação.



  • Espinoza, A. V., Correa, F.E. y García, L.F. (2014). Percepción social de la infidelidad y estilos de amor en la pareja. Enseñanza e Investigación En Psicología, 19(1), 135-147.
  • Humberto, J. y Osorio, V. (2011). La dinámica vincular celos-infidelidad. Pensamiento Psicológico, Volumen 9(17), 97-102.
  • Parada, M. (2012). Recursos utilizados en la relación de pareja que ayudan a superar la crisis producida por la infidelidad. BS thesis. Universidad de la Sabana.