Chá de tília: utilizações, benefícios e contra-indicações

O chá de tília está associado ao relaxamento, por isso o ajudará a adormecer e até a aliviar a dor. Mostramos tudo o que você precisa saber sobre ele.
Chá de tília: utilizações, benefícios e contra-indicações

Última atualização: 19 março, 2022

Se você é um amante de infusões, provavelmente gosta do sabor, entre o doce e o floral, do chá de tília. É preparado a partir dos frutos de um gênero de árvores chamadas Tilia, conhecidas por apresentarem efeitos sedativos. Na verdade, a espécie Tilia cordata é considerada a mais poderosa de todas nesse aspecto.

Graças a essas propriedades, não é surpreendente que a medicina popular use o chá de tília para essa e outras finalidades. Por exemplo, para baixar a pressão arterial, aliviar a indigestão e acalmar a ansiedade. Vamos ver o que a ciência tem a dizer sobre essa bebida.

Usos e possíveis benefícios do chá de tília

A medicina tradicional também usa outras partes dessas árvores, como folhas, flores e casca. Além disso, essas misturas geralmente são preparadas com pelo menos duas espécies diferentes de árvores.

Normalmente, são escolhidos T. cordata e T. platyphyllos, alternadamente chamados de tília comum e tília de folhas grandes. Mostramos como esta mistura pode contribuir para sua saúde.

1. Promove relaxamento

Há centenas de anos, o chá de tília é um aliado do relaxamento. Ele até foi usado para aliviar os sintomas de ansiedade. De acordo com um estudo publicado no Journal of Ethnopharmacology, o extrato da espécie T. tomentosa (tília prata ou tília húngara ) tem fortes propriedades sedativas.

Na verdade, a pesquisa descobriu que ele pode agir como o ácido gama-aminobutírico (GABA), uma substância que suprime a excitabilidade neuronal. No entanto, mais pesquisas ainda são necessárias para explicar esse fenômeno.

Chá de tília para ansiedade.
Entre as infusões para ansiedade, a tília é uma das mais reconhecidas no mundo.

2. É um anti-inflamatório natural

O dano oxidativo causado pelos radicais livres pode levar à inflamação. Felizmente, algumas partes das árvores Tilia, como flores e botões, têm antioxidantes chamados flavonóides.

Para ser mais específico, as gemas contêm tilirosídeo, quercetina e kaempferol. Em primeiro lugar, foi demonstrado que o tilirosídeo é capaz de inibir os radicais livres.

Em segundo lugar, há evidências científicas de que o kaempferol pode reduzir a inflamação, além de ajudar a combater as mutações celulares. No entanto, mais estudos ainda são necessários a esse respeito.

3. Alivia a dor leve

Os antioxidantes do chá de tília podem reduzir a dor. De acordo com um estudo em roedores com pés inchados, tomar 100 miligramas de tilirosida por quilograma de peso reduz o inchaço em 27% e a dor em 31%.

Da mesma forma, um estudo em mulheres com artrite reumatóide descobriu que a suplementação com 500 miligramas de quercetina reduz os marcadores de dor e inflamação. Agora, se você considerar que 80 miligramas de quercetina por dia é uma dose alta, 500 miligramas é extremamente alta, então mais pesquisas são necessárias para sua aplicação clínica.

4. Tem propriedades diuréticas

Na medicina tradicional, o chá de tília é usado para induzir a sudorese e tosse produtiva em problemas respiratórios menores, como resfriados. Da mesma forma, na Alemanha é aprovado tomar 1 a 2 xícaras de chá de tília antes de dormir para estimular a transpiração em adultos e crianças com mais de 12 anos de idade.

Acredita-se que esses efeitos sejam causados por uma combinação de compostos vegetais. Para ser mais específico, quercetina, kaempferol e ácido p-cumárico. Mas ainda são necessários mais estudos.

5. Pode reduzir a pressão arterial

Alguns componentes das plantas do chá de tília, incluindo tilirosídeo, rutosídeo e ácido clorogênico, estão associados à redução da pressão arterial. Na verdade, o estudo com roedores descobriu que a injeção de 1, 5 e 10 miligramas de tilirosídeo por quilograma de peso corporal reduziu a pressão arterial sistólica.

6. Melhora a qualidade do sono

Este é um dos usos populares mais conhecidos do chá de tília. Mas o que diz a pesquisa? De acordo com um estudo publicado no Journal of Clinical Sleep Medicine, os compostos vegetais desta infusão têm efeitos sedativos que promovem o relaxamento.

Da mesma forma, uma investigação em roedores mostrou que os extratos das árvores Tilia do México eram capazes de causar sedação. Os cientistas concluíram que o extrato foi capaz de deprimir o sistema nervoso e levar à sonolência.

7. Pode aliviar uma dor de estômago

Na medicina popular, o chá de tília é um remédio eficaz para problemas estomacais. Um estudo em crianças com diarreia resistente a antibióticos descobriu que o tilirosídeo presente nesta planta tem propriedades antibacterianas, que poderiam funcionar na gastroenterite bacteriana. No entanto, mais evidências ainda são necessárias para apoiar esse benefício.

Gastroenterite em mulher tratada com chá de tília.
Se a gastroenterite for de origem bacteriana, o efeito do chá de tília seria benéfico. Embora as doses necessárias ainda não sejam claras.

Riscos e recomendações para o uso do chá de tília

De acordo com a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), a ingestão de chá de tília, desde que moderada, é segura. Em números, isso se traduz em 2 a 4 gramas de mistura de chá diariamente. Lembre-se de que uma xícara de 8 onças contém aproximadamente 1,5 gramas de chá, portanto, não é recomendado beber mais do que 3 por dia.

Da mesma forma, as pessoas que atendem às seguintes características devem sempre evitá-lo:

  • Crianças.
  • Mulheres grávidas ou amamentando.
  • Alérgicos a árvores do gênero Tilia.
  • Pacientes com doenças cardíacas.
  • Pessoas que tomam medicamentos que contêm lítio ou diuréticos.

Chá de tília: consumir sempre com moderação

O chá de tília é valorizado na medicina popular por sua miríade de benefícios para a saúde. Desde induzir o relaxamento e ajudar a adormecer até o alívio de dores de estômago e dores de cabeça. Claro, devido aos seus efeitos sedativos, deve ser ingerido com moderação. Não é recomendado beber mais de 3 xícaras por dia.

This might interest you...
Chá de folhas de figo: benefícios e como prepará-lo
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Chá de folhas de figo: benefícios e como prepará-lo

Você pode fazer um chá de folhas de figo para ajudar a controlar o açúcar no sangue e reduzir a constipação. Descubra a receita aqui!



  • Allio, A., Calorio, C., Franchino, C., Gavello, D., Carbone, E., & Marcantoni, A. (2015). Bud extracts from Tilia tomentosa Moench inhibit hippocampal neuronal firing through GABAA and benzodiazepine receptors activation. Journal of ethnopharmacology, 172, 288–296. https://doi.org/10.1016/j.jep.2015.06.016
  • Toker, G., Küpeli, E., Memisoğlu, M., & Yesilada, E. (2004). Flavonoids with antinociceptive and anti-inflammatory activities from the leaves of Tilia argentea (silver linden). Journal of ethnopharmacology, 95(2-3), 393–397. https://doi.org/10.1016/j.jep.2004.08.008
  • Chen, A. Y., & Chen, Y. C. (2013). A review of the dietary flavonoid, kaempferol on human health and cancer chemoprevention. Food chemistry, 138(4), 2099–2107. https://doi.org/10.1016/j.foodchem.2012.11.139
  • Dahlhamer, J., Lucas, J., Zelaya, C., Nahin, R., Mackey, S., DeBar, L., Kerns, R., Von Korff, M., Porter, L., & Helmick, C. (2018). Prevalence of Chronic Pain and High-Impact Chronic Pain Among Adults – United States, 2016. MMWR. Morbidity and mortality weekly report, 67(36), 1001–1006. https://doi.org/10.15585/mmwr.mm6736a2
  • Grochowski, D.M., Locatelli, M., Granica, S., Cacciagrano, F. and Tomczyk, M. (2018), A Review on the Dietary Flavonoid Tiliroside. Comprehensive Reviews in Food Science and Food Safety, 17: 1395-1421. https://doi.org/10.1111/1541-4337.12389
  • Carullo, G., Cappello, A. R., Frattaruolo, L., Badolato, M., Armentano, B., & Aiello, F. (2017). Quercetin and derivatives: useful tools in inflammation and pain management. Future medicinal chemistry, 9(1), 79–93. https://doi.org/10.4155/fmc-2016-0186
  • Aderogba, M. A., McGaw, L. J., Bezabih, M., & Abegaz, B. M. (2011). Isolation and characterisation of novel antioxidant constituents of Croton zambesicus leaf extract. Natural product research, 25(13), 1224–1233. https://doi.org/10.1080/14786419.2010.532499
  • Roth T. (2007). Insomnia: definition, prevalence, etiology, and consequences. Journal of clinical sleep medicine : JCSM : official publication of the American Academy of Sleep Medicine, 3(5 Suppl), S7–S10.
  • Aguirre-Hernández, E., Martínez, A. L., González-Trujano, M. E., Moreno, J., Vibrans, H., & Soto-Hernández, M. (2007). Pharmacological evaluation of the anxiolytic and sedative effects of Tilia americana L. var. mexicana in mice. Journal of ethnopharmacology, 109(1), 140–145. https://doi.org/10.1016/j.jep.2006.07.017
  • Calzada, F., Juárez, T., García-Hernández, N., Valdes, M., Ávila, O., Mulia, L. Y., & Velázquez, C. (2017). Antiprotozoal, Antibacterial and Antidiarrheal Properties from the Flowers of Chiranthodendron pentadactylon and Isolated Flavonoids. Pharmacognosy magazine, 13(50), 240–244. https://doi.org/10.4103/0973-1296.204564