Bullying escolar: como detectá-lo a tempo

· 4 de dezembro de 2018
Como pais, nós devemos ajudar nossos filhos a ter uma vida escolar feliz e sem problemas. O bullying escolar pode se tornar prejudicial para a vítima. Atue e ajude seu filho a pôr fim a essa situação desagradável.

Prevenir, detectar e parar o bullying escolar o quanto antes é fundamental para evitar o desenvolvimento de sequelas e evitar que a situação se torna crônica.

Desde ser diferente dos outros, até a maneira como uma criança se veste, podem ser causas para que ela sofra bullying escolar.

Este tipo de situação é muito comum em crianças, mas muito poucas pessoas se atrevem a dizer que são vítimas disso.

Às vezes porque eles não estão cientes de que o que está acontecendo não é bom, sentem vergonha ou pensam que ninguém vai acreditar que neles.

Os pais desempenham um papel fundamental para detectar o assédio. É necessário se manter alerta para as alterações no comportamento da criança.

Você tem que dar apoio se sofrer algum tipo de assédio. Você deve evitar fazer com que ela se sinta culpada.

O mais recomendável é faze-la se sentir em um ambiente saudável no qual possa dizer o que está acontecendo sem medo de ser julgada.

Como detectar o bullying escolar a tempo?

Para detectar o bullying, você deve estar alerta para as mudanças no comportamento do seu filho. As vítimas de bullying se tornam mais irritadas, violentas e muitas vezes têm vários acessos de raiva por dia.

Além disso, elas também podem ter alterações psicossomáticas, como dores de cabeça, estômago e até mesmo um grande medo na hora de ir para a escola.

Criança pedindo para parar o bulying

Se seu pequeno deixa de ir para as viagens escolares, não quer ir para a escola e muito menos a outras festas de aniversário de outras crianças, você deve considerar conversar com ele para saber o que pode estar acontecendo no seu entorno.

Outra coisa que costuma acontecer quando uma criança é vítima de bullying escolar é que suas coisas começam a chegar quebradas da escola, ou eles as “perdem”.

1. Seu filho não vai querer ir para a escola

Quando uma criança é vítima do bullying escolar não quer ficar perto de seus abusadores. Portanto, é normal que chore na hora de ir à escola. Inclusive, que chegue a fingir um mal-estar para ficar em casa.

Se o seu filho esconde informações sobre a escola, é um sinal de alarme. A tendência natural da criança é esconder o assédio. Por medo, porque está ameaçada ou porque acredita que é uma situação temporária.

Então, é recomendado manter uma boa comunicação com seu pequeno. Pergunte a ele constantemente sobre o que acontece na escola, sobre a relação com os colegas e os medos que você pode ter.

2. Seu filho se tornará inseguro

A insegurança e desconfiança são características comuns em crianças que sofrem de bullying na escola.

Quando um colega as incomoda com frequência por sua forma de ser, vestir ou falar, as crianças se sentem vulneráveis e lhes custa acreditar que outras pessoas não farão o mesmo.

Como a consequência, se transformam em pessoas introvertidas e tentam passar desapercebidas. Além disso, lhes custa fazer qualquer tipo de contato visual com outras pessoas.

Leia também: Como superar o medo de falar em público

3. Seu filho se tornará agressivo em casa

O bullying escolar pode fazer com que a criança tenha fortes mudanças de conduta.

Isto se deve ao fato de que não é capaz de compartilhar o que lhe acontece, então vai calar seus sentimentos e terminará os expressando de uma outra maneira.

Algumas crianças, quando são abusadas, costumam ter um comportamento agressivo com seus pais.

Fazem isso para aliviar a frustração que trazem da escola por causa do assédio que sofrem nas aulas.

4. Seu filho vai chorar secretamente

Crianças que são vítimas de bullying não discutem isso com seus pais por medo de que eles levem essa situação até a escola e o abusador queira se vingar.

Então, procuram chorar em silêncio. Dessa forma, ninguém vai perguntá-los sobre as razões do seu choro.

O bullying escolar faz a criança chorar

Por esta razão é importante manter uma comunicação aberta e transmitir confiança aos seus filhos.

Assim sentirão que podem compartilhar o que acontece nas aulas sem a necessidade de consequências que ponham em risco sua integridade física.

5. Seu filho chegará com hematomas

Alguns abusadores recorrem a insultos. Outros preferem punição física. Se o seu filho frequentemente chega em casa com hematomas, você deve perguntar o que acontece.

É mais provável que procure responder com uma mentira como “caí” ou que sofreu um acidente na aula de educação física.

Se isso acontecer, a primeira coisa que você deve fazer é conversar com seu filho e perguntar quem está fazendo isso.

Se não te der uma resposta clara, vá até o professor e fale sobre a situação.

Assim, ele ficará a par de quem são as crianças problemáticas da turma. Você vai saber exatamente quais represálias podem ser tomadas contra o assediador.

Consequências do bullying escolar

Uma criança que é vítima de assédio na escola pode sofrer de muitas e profundas consequências:

  • Denotam uma autoestima muito baixa.
  • Se tornam pessoas completamente passivas.
  • Apresentam distúrbios emocionais.
  • Sofrem de ansiedade, depressão e estresse.
  • Não têm coragem de continuar com as atividades acadêmicas e evitam, a todo custo, ir à escola.

Ressentimento

Se seu filho sofre de bullying o mais provável é que desenvolva sentimentos de ressentimento e rancor, não só em relação ao seu agressor, mas também ao seu entorno em geral.

Isto pode fazer com que ele próprio se torne um assediador e repita as mesmas ações que seu assediador tomou contra ele.

Em outras palavras, o ressentimento criará mais abusadores, tornando esse comportamento um círculo vicioso.

Veja também: Pessoas passivo-agressivas: 3 coisas que você deve saber sobre estas grandes manipuladoras

 Baixa autoestima.

Quando um menino é incomodado na escola, tende a desenvolver baixa autoestima.

Isso é porque seu abusador o insulta constantemente ou faz com que se sinta menosprezado por suas atitudes ou características.

O bullying escolar torna a criança triste

A baixa autoestima pode fazer com que a criança entre em depressão, desenvolva estresse e ansiedade.

Terão dificuldade para se relacionar com o entorno. Verão inimigos em todos os lugares e limitações para estabelecer laços de amizade ou parceiro no futuro.

Doenças ou morte

O bullying escolar também prejudica a saúde física no presente e futuro da criança que o está sofrendo.

As crianças que sofrem de bullying podem sofrer de inflamação sistêmica crônica que persiste até a idade adulta.

A depressão que essas crianças chegam a sentir é tão forte que para evitar continuar enfrentando ao assédio consideram o suicídio como uma opção e algumas chegam a executá-lo.

Conclusão

O bullying escolar é comum em crianças e qualquer criança está à mercê de ser vítima dele.

O importante é poder detectá-lo a tempo para tomar as medidas necessárias e evitar que as crianças sofram sérias consequências em sua saúde física e psicológica enquanto crescem.

Se seu filho sofre de bullying, evitará possivelmente ir a aula.

Ficará mais nervoso ou retraído, apresentará sintomas psicossomáticos como dor de estômago, vômitos ou insônia; seu material escolar desaparece com frequência.

Manter uma boa comunicação com seu filho é uma das melhores maneiras de evitar o bullying. Torne a casa o seu lugar seguro para que possa compartilhar sem medo o que acontece na escola.

Smith, P. K., Mahdavi, J., Carvalho, M., Fisher, S., Russell, S., & Tippett, N. (2008). Cyberbullying: Its nature and impact in secondary school pupils. Journal of Child Psychology and Psychiatry and Allied Disciplines. https://doi.org/10.1111/j.1469-7610.2007.01846.x